2.ª DIVISÃO AF SETÚBAL»» Alcacerense 1 Moitense 3

Alcacerense foi impotente para travar o campeão…


MOITENSE TERMINA FASE FINAL SEM SOFRER QUALQUER DERROTA


O Moitense que se deslocou a Alcácer do Sal para defrontar a equipa local na derradeira jornada do Campeonato Distrital da 2.ª Divisão fechou com chave de ouro a sua participação na competição.

A vitória por 3-1 assenta na perfeição à equipa orientada por Nuno Paulino  que desta forma terminou em beleza e sem derrotas a fase final de um campeonato em que foi claramente superior aos seus adversários como se pode constatar através de uma breve consulta  à tabela classificativa. Nos 10 jogos efectuados a equipa da Moita, que se sagrou campeã distrital à duas jornadas atrás, obteve oito vitórias e dois empates que, conjuntamente com a pontuação registada na primeira fase, valem 42 pontos, contra 37 da equipa segunda classificada [Vasco da Gama]. Para além destes registos importa ainda salientar que foi também a equipa mais concretizadora com 21 golos marcados e a que menos golos sofreu [juntamente com o V. Gama]. Esta foi de facto uma época de ouro para o clube mais representativo da vila da Moita não só pelo regresso à 1.ª Divisão Distrital mas também porque viu concretizado um sonho que perdurou durante alguns anos. Estamos a falar do reforço e melhoria das suas infraestruturas onde se incluem naturalmente a bancada e mais recentemente o sintético do agora denominado Juncal Desportos.

O Alcacerense que se viu obrigado a mudar de treinador com a época em curso terminou a fase final em quarto lugar atrás do Moitense, Vasco da Gama e Palmelense que eram apontados como os principais candidatos. Por esta razão pode dizer-se que ficou numa posição mais ou menos esperada, embora pudesse ter concluído a competição com mais alguns pontos se os seus jogadores não tivessem sido tão perdulários em determinadas situações. Paulo Martins com as suas ideias conseguiu colocar a equipa a praticar bom futebol mas a falta de eficácia foi de facto o grande problema. Duas vitórias, dois empates e seis derrotas, com oito golos marcados e dezassete sofridos, com um saldo negativo de 11 golos, foi o registo da equipa de Alcácer do Sal nesta fase da competição.

Sobre o jogo pode dizer-se que o Moitense entrou a ganhar porque conseguiu marcar logo aos dois minutos por Rogélio aquele que serai o único golo da primeira parte.


No segundo tempo a equipa da Moita elevou a contagem para 2-0 por intermédio de Nivaldo (60’) e já em período de compensação surgiram os restantes golos; primeiro para o Alcacerense por Gonçalo (90+2’) e depois para o Moitense por Félix (90+3’). 





A OPINIÃO DOS TREINADORES...



PAULO MARTINS, treinador do Alcacerense:

"O resultado não espelha em nada o futebol praticado"


"Começo por dar os parabéns ao Moitense porque foi campeão. em relação ao jogo é óbvio que queríamos ganhar para dar mais uma alegria à massa associativa mas a grande verdade é que começámos o jogo a perder com um golo sofrido num cantos nos minutos iniciais. Depois penso que o jogo foi mais bem jogado da nossa parte com trocas de bola na zona de finalização. Não conseguimos marcar e fomos para o intervalo a perder por 1-0, depois de uma primeira parte em que o adversário jogou em contra-ataque e nós com um futebol mais organizado. A segunda parte foi mais do mesmo, mais uma bola parada e mais um golo do Moitense. A minha equipa não baixou os braços e por volta dos 90 minutos reduziu para 2-1 mas logo a seguir o nosso adversário repôs a diferença de dois golos, fixando o resultado final em 3-1. O resultado não espelha em nada o futebol praticado. Acabámos a época de consciência tranquila e com a sensação de que podíamos ter feito algo mais. O meu futuro pode passar pela continuidade no clube mas de momento não há ainda nada de concreto porque estamos a analisar a situação. Dentro de uma ou duas semanas deve ficar tudo resolvido". 


NUNO PAULINO, treinador do Moitense:
;

Share on Google Plus