SEIXAL»» Carvalho partiu aos 77 anos de idade


Era uma das velhas glórias do clube…


TINHA UMA APETÊNCIA ESPECIAL PARA MARCAR GOLOS AO BENFICA


Vítor Carvalho, velha glória do Seixal Futebol Clube, faleceu no passado dia 25 de Junho, com 77 anos de idade.

Para além da sua qualidade de jogador há também que salientar o seu carácter como pessoa, amável, cordial, sincero e muito amigo do seu amigo, é uma figura que deixa saudades a quem com ele conviveu.

Com passagens pelo Vialonga e SL Olivais foi no Seixal que se notabilizou sendo de realçar o tempo em que actuou na 1.ª Divisão Nacional, nas épocas de 1963/64 e 1964/65.

Em 1963/64, Carvalho alinhou em 14 jogos e marcou dois golos, sendo um deles contra o Barreirense e o outro contra o Benfica, que venceu no Estádio do Bravo [então pelado] por 3-2. Neste jogo, Serafim (4’) e Iaúca (17’) colocaram os encarnados a ganhar por 2-0 mas os seixalenses não baixaram os braços e conseguiram chegar à igualdade com golos de Necas (30’) e Carvalho (42’). O golo da vitória benfiquista foi marcado por Iaúca (74’).

Pelo Seixal alinharam: Vítor Manuel; Aurélio, Serra Coelho, Caldeira, Hermenegildo; José Carlos, Aniceto, João Pereira; Cambalacho, Carvalho e Necas.

Pelo Benfica: Costa Pereira; Humberto Fernandes, Raul Machado, Neto; Santana, Cavém, Simões; José Augusto, Serafim e Iaúca.  

Em 1964/65, Carvalho foi utilizado em 19 jogos e marcou quatro golos, sendo dois deles marcados contra o Sp. Braga que perdeu no Seixal por 3-0, um ao Varzim e outro ao Benfica no Estádio da Luz, num jogo em que os encarnados ganharam por 11-3 [os outros dois golos seixalenses foram marcados por Cambalacho].  

Na primeira época a equipa seixalense terminou em 12.º lugar, posição que lhe permitiu garantir a permanência na 1ª Divisão Nacional que era o grande objectivo do clube. Contabilizou 14 pontos fruto de 4 vitórias e 6 empates alcançados nas 26 jornadas da prova, onde apontou 28 golos e sofreu 66.

Na segunda temporada as coisas correram menos bem e a equipa acabou por descer de divisão porque chegou ao fim em penúltimo lugar com 8 pontos provenientes de apenas duas vitórias e dois empates.


Aos filhos, João e Pedro Carvalho, e restante família, o Jornal de Desporto [que lhe presta aqui uma singela homenagem] envia as mais sentidas condolências.

Share on Google Plus