TRAFARIA»» Quer colocar mais equipas a competir


Nuno Henrique Santos, presidente do clube…


“SE HOUVER VIABILIDADE FINANCEIRA AVANÇAREMOS JÁ ESTA ÉPOCA COM UMA EQUIPA DE FUTEBOL SÉNIOR”


O Clube de Futebol da Trafaria, uma das colectividades mais prestigiadas não só do concelho de Almada mas também do distrito de Setúbal, fundada em 1 de Outubro de 1937, tem desde o final do mês de Março uma nova direcção.

Nuno Henrique Santos, de 37 anos, é o líder de um grupo, também jovem, que pretende fazer renascer o clube de forma sustentada e se possível fazer regressar o futebol sénior que se encontra suspenso desde a época de 2010/2011.  

Com cinco títulos conquistados, três na 1.ª Divisão [1975/76, 1978/79 e 1988/89] e dois na 2.ª Divisão Distrital [1993/1994, sem qualquer derrota e 2003/2004], sete presenças na extinta 3.ª Divisão Nacional e várias participações na Taça de Portugal, “o clube está a ponderar essa hipótese” adiantou ao nosso jornal o novo presidente da direcção.

Se houver viabilidade financeira para que possamos avançar, avançaremos. Mas, neste momento ainda nada está decidido”, disse a propósito Nuno Henrique Santos, em entrevista ao nosso jornal.

O clube que ultimamente se tem dedicado única e exclusivamente à prática do futebol de formação está entretanto a viver momentos de grande satisfação com a subida da sua equipa de juniores à 1.ª Divisão Distrital.

Mas quais são concretamente os objectivos do clube a curto prazo. Foi o que tentámos saber junto do presidente da direcção, Nuno Henrique Santos que gentilmente aceitou o nosso desafio.  





“Em primeiro lugar está o equilíbrio financeiro do clube”

O Trafaria tem uma nova Direcção, quais são concretamente os vossos projectos?
De facto, assim é, estamos em funções desde o dia 31 de Março. Temos cerca de dois meses e meio de trabalho, basicamente o que temos feito nos últimos tempos, e uma das primeiras decisões que tomámos, foi equilibrar o clube financeiramente para depois podermos arrancar com todos os processos inerentes às equipas de competição. Este ano tivemos três equipas a competir, Benjamins, Iniciados e Juniores que subiram à 1.ª Divisão. Mas, é como digo, em primeiro lugar está o equilíbrio financeiro do clube e só depois pensar em colocar mais equipas a competir.

A situação financeira do clube é problemática?
Eu diria que não é preocupante. O passivo está controlado mas o clube neste momento tem poucas fontes de receita. O produto que temos é proveniente apenas do bar do clube que está a ser explorado pela nova direcção e isso faz-nos ponderar bastante sobre a possibilidade de termos uma equipa sénior. Isto não quer dizer que o clube esteja financeiramente descontrolado porque foi gerido sempre de forma racional. Mas nós não queremos criar um endividamento maior do qual encontrámos aquando da tomada de posse. Por isso, numa primeira instância, um dos nossos objectivos passa pelo equilíbrio financeiro e por uma gestão rigorosa de tudo o que é finanças e património.


“Não poderemos demorar muito a decidir”

Quanto à equipa de seniores é provável já na próxima época?
Não posso garantir a 100%. Está ser estudada a hipótese, se houver viabilidade financeira para que possamos avançar, avançaremos. Se for para criar um maior aperto financeiro ao clube iremos ponderar e possivelmente só arrancaremos na próxima época. Mas, como já referi, nada está ainda decidido.

Quando é que pensam tomar a decisão?
Não poderemos demorar muito mais tempo porque há que decidir sobre a constituição do plantel, sobre a inscrição de jogadores e a estrutura que envolve o futebol sénior tem que estar montada. O tempo é muito curto e tudo terá que ser resolvido a breve trecho.

Quer dizer que é uma forte hipótese mas não há nada de concreto, neste momento?
Exactamente, por enquanto não posso garantir aos sócios que vai haver equipa sénior. Existe essa possibilidade mas não podemos prometer que seja uma realidade já na próxima época.


“Gostaríamos de formar uma equipa com jogadores sub-23”

E a equipa que vier a ser formada será com base em jogadores saídos do plantel júnior?
A equipa de juniores do Trafaria tem muitos jogadores de primeiro ano e a nossa prioridade é que venha a ser reforçada para que na próxima temporada possa competir dignamente na divisão superior e que venha a fazer uma boa campanha. Sobem cerca de seis ou sete jogadores aos seniores e a ideia é no futuro municiar a equipa sénior com jogadores das camadas jovens. Mas, como não temos uma equipa construída neste momento, teremos que optar sempre por jogadores de fora mas sobretudo jovens porque gostaríamos de formar uma equipa com jogadores sub-23. Não quer dizer que não haja jogadores mais experientes que possam interessar ao Trafaria. Contudo, a nossa ideia passa por formar uma equipa relativamente jovem para que depois possamos lançar os jogadores para outros patamares. É este o nosso objectivo a médio e a longo prazo.




Que ficou ainda por dizer sobre o momento actual do Trafaria?

Neste momento, estamos ainda numa fase muito inicial do nosso mandato. Encontrámos o clube com poucas equipas a competir. Os Iniciados nem sequer no Torneio Complementar entraram porque as coisas não foram bem estruturadas e organizadas. Desta forma, o trabalho que tem que ser feito tem que ser de base, quer a nível das equipas de competição quer a nível das escolas de formação que queremos ver arrancar na próxima época com mais crianças para podermos ser no futuro uma referência na formação do concelho. Mas, como disse, estamos a desenvolver um trabalho numa fase muito inicial onde tudo está para ser feito. De qualquer modo, como temos uma direcção jovem e com gente da terra, gostaria de deixar bem claro que temos muita vontade em ajudar o clube a crescer e torná-lo como uma referência tanto no concelho como no distrito.


Share on Google Plus