AMORA»» Entrevista a Paulo Correia

Há quem diga que é o homem dos sete ofícios…

TREINADOR DE SUCESSO NOS JUVENIS FALA SOBRE A SUA SAÍDA DA EQUIPA SÉNIOR

Paulo Correia, licenciado em gestão do desporto com pós-graduação em marketing desportivo, professor de educação física na escola da Brejoeira e possuidor do curso de treinador UEFA Nível III, desempenhou no último ano várias funções na área do futebol nomeadamente os cargos de presidente e coordenador técnico do Leão Altivo, Special Olimpics e Amora onde acumulou também em simultâneo o cargo de treinador da equipa de juvenis e equipa sénior, de onde saiu após a realização da 3.ª jornada.

Paulo Correia é um verdadeiro “homem dos sete ofícios” daí a razão de ser desta entrevista onde são abordadas sem rodeios as questões mais pertinentes vividas nos últimos tempos. 


Paulo Correia que balanço faz do ano de 2016?
Penso que foi um ano muito positivo. O Leão Altivo continua a trilhar o caminho da formação com vitórias no futebol de 7. Na época passada todas as equipas estiveram presentes nas fases finais dos respectivos campeonatos e uma delas (2004) sagrou-se tri-vice campeã distrital e esta época temos já algumas equipas a liderar os campeonatos. Em relação ao Amora e mais propriamente ao futebol de 11, tivemos equipas campeãs distritais e todas a lutar pelos títulos. Esta época temos os juvenis no Nacional com um desempenho absolutamente extraordinário, sendo de destacar o grande jogo feito com Benfica (apesar da derrota), as vitórias sobre o Belenenses, Portimonense, Oeiras e Cova Piedade. Não começámos muito bem mas depois de nos adaptarmos à realidade do campeonato nacional a equipa evoluiu muito (tudo com muito trabalho) e neste momento vamos com uma série de 6 vitórias consecutivas.


Podemos então concluir que somente nos seniores do Amora a época não correu tão bem?
Nada disso, antes pelo contrário. A passagem pela equipa sénior do foi o prolongamento de um projecto cheio de vitórias, numa parceria entre o Amora e o Leão Altivo absolutamente relevante para o sucesso dos dois clubes. O Leão Altivo porque como clube pequeno não tem mais por onde crescer e o Amora como clube grande que é, tem tudo a ganhar com a chegada de mais atletas, treinadores e dirigentes de grande qualidade, num processo de selecção natural.
Nos seniores do Amora já existem alguns atletas treinados por mim neste projecto, mas no futuro próximo provavelmente serão todos oriundos deste grande projecto da formação. Nos 3 meses em que estive directamente como treinador criámos a equipa B, um gabinete de scouting , modernizámos o gabinete técnico e fizemos chegar ao clube alguns novos jogadores (Edi, Bruninho, Marcelo, Marcelo Silva, Marcos).



Mas eu referia-me concretamente à parte desportiva…
Também correu bem embora não tenha sido excelente. Perdemos na 1.ª eliminatória da Taça de Portugal com um equipa do CNS por 1-0, com um golo sofrido num canto directo, vencemos a Taça Cidade Amora, apurámos o clube em 1.º lugar no nosso grupo da Taça AF Setúbal. Depois vencemos os dois primeiros jogos do campeonato contra equipas que lutam pelo título e no terceiro jogo tivemos manifestamente "azar" em casa com Grandolense  num jogo em que vencíamos por 1-0 e quando procurávamos o segundo sofremos um golo precedido de mão do jogador contrário num lance em que o nosso GR não esteve bem e depois no último minuto um autogolo. Coisas do futebol.


Então porque saiu dos seniores?
Como sabe, não dá para viver do futebol distrital. É preciso fazer muitos sacrifícios e trabalhar muitas horas em vários projectos. No entanto, alguns "problemas pessoais" por vezes surgem para nos desviar dos nossos objectivos.


Podemos saber que problemas pessoais são esses?
Como o nome diz, são pessoais. No entanto, o presidente Carlos Henriques sabe que problemas são. Pela minha parte, se as coisas se conjugarem, estarei disponível para um dia mais tarde continuar este projecto voltando à equipa sénior. Agora, há que apoiar o Amora e o seu treinador [José Carvalho] que foi indicado por mim para treinar a equipa B.

Uma última palavra para concluir
O futebol é o imediato. No entanto, eu acredito nos projectos pensados e executados com tempo e os resultados estão à vista.
Desejo um ano de 2017 cheio de sucessos para o Amora, clube do qual sou sócio e simpatizante desde sempre e foi o meu primeiro clube de futebol e para o meu Leão Altivo, que é para mim como um filho porque foi fundado por mim.


Share on Google Plus