TAÇA AF SETÚBAL»» Moitense 1 Olímpico 4 (após prolongamento)

Moitense, que jogou com 10 desde os 75 minutos, bateu-se bem mas claudicou nos instantes finais…

OLÍMPICO FORÇA PROLONGAMENTO COM GOLO MARCADO NO ÚLTIMO MINUTO DA COMPENSAÇÃO

O Olímpico do Montijo saiu vitorioso da sua deslocação ao Juncal Desportos onde defrontou o Moitense em jogo relativo aos oitavos de final da Taça AF Setúbal que assinalou também a estreia do treinador Olívio Cordeiro que substituiu no início da semana Nuno Paulino.

A equipa da Moita realizou uma exibição bastante agradável mas não foi feliz porque sofreu o golo que deu origem ao prolongamento no último minuto do tempo extra dado pelo árbitro.   

Na primeira parte do prolongamento a equipa ainda se aguentou mas depois claudicou nos instantes finais e permitiu que o adversário construisse um resultado bastante dilatado, com golos marcados aos 110, 118 e 120 minutos.

De referir entretanto que o Olímpico surgiu neste jogo com várias alterações no onze inicial, deixando de fora Carlos Miguel, Projecto, Nuno Afonso, Thiago, Queijinho e Cami.

Na 1.ª parte o Olímpico sentiu alguma dificuldade em fazer circular a bola porque Iuri ao lado de Jean, no meio-campo, não estavam a produzir aquilo que era esperado.

Moitense apresentou-se muito personalizado e sempre a saber o que fazer com bola.

Algumas oportunidades foram surgindo para os dois lados com ascendente para o Moitense que marcou no último lance da primeira parte num bonito pormenor técnico de Amadeu. Contra-ataque rápido e finalização com um chapéu à saída do guarda-redes Diogo.

Na 2.ª parte, com Queijinho e Cami, o Olímpico passou a ter mais posse de bola mas não conseguia criar grande perigo, para além de uma bola na barra enviada por Cami. 

O momento do jogo, foi o vermelho directo mostrado a Rafa por entrada dura a meio-campo sobre um adversário. O árbitro muito próximo, não hesitou, mas o lance originou alguma discussão.

A partir daí o sentido de jogo altera drasticamente, Olímpico pressiona bastante mas sem nunca sufocar enquanto o Moitense queimava tempo. Mas no último lance do jogo  o Olímpico chega ao golo por Cami, após passe de Ruben Góias que entrou muito bem na partida.

No prolongamento o jogo foi de sentido único mas Moitense ainda resistiu na primeira parte.  No início da 2.ª parte do prolongamento Cami marca de cabeça e desbloqueia a partida. Depois Ruben Góias a passe de João Monteiro, e Raúl de baliza aberta, após subida do guarda-redes à área contrária, fecharam o marcador.

Em suma, foi um jogo que terminou com um resultado enganador porque o Moitense, com 11 jogadores em campo, pareceu ter sempre o jogo controlado.

Na próxima jornada, para o campeonato, o Olímpico recebe o Charneca de Caparica e o Moitense desloca-se à Costa de Caparica para defronatr os Pescadores.

Fotos: Bruno Belmonte


 A OPINIÃO DOS TREINADORES…

OLÍVIO CORDEIRO, treinador do Moitense:

“Na única falha após um mau corte e já aos 97 minutos de jogo o Olímpico empatou” 



Numa primeira fase quero agradecer publicamente à direcção do Moitense por ter confiado em mim para liderar a sua equipa sénior. No que ao jogo diz respeito: Nos primeiros 15 minutos o Olímpico teve supremacia na posse de bola e entrou a jogar no nosso meio campo, a partir daí equilibramos as coisas com os jogadores a colocarem em prática um futebol mais condizente com o que pretendíamos. No que aos lances de perigo diz respeito pode-se dizer que a 1.ª parte fica marcada por dois lances de maior relevo, um em que o Chusso de forma superior defende um remate de meia distância e outro com o golo do Amadeu mesmo ao acabar, após um passe longo do nosso keeper. 

Na 2.ª parte tentei dar velocidade e maior mobilidade à equipa com a entrada em campo do Ari, que resultou muito bem, com a equipa a manter o equilíbrio em todos os sectores. Acreditávamos que podíamos fazer o 2 – 0 explorando a defesa adversaria com transições rápidas. Aos 73 minutos tivemos um revés com a lesão muscular do João Nuno que teve de ser substituído. Passados 2 minutos após essa lesão o Rafael foi expulso num lance em que nós achamos ter existido um grande exagero por parte do Tiago Rodrigues. Daqui até ao final tivemos de alterar o nosso comportamento em campo com uma maior solidez defensiva e espírito de entreajuda dos nossos jogadores e um futebol mais directo. O Olímpico só assustou num lance colocando a bola na trave. No final do jogo o Tiago Rodrigues deu 6 minutos de compensação, um exagero também, tendo em conta as paragens que o jogo teve na 2ª parte. Na única falha após um mau corte e já aos 97 minutos de jogo o Olímpico empatou. 

Com menos uma unidade em campo e a equipa exausta quer animicamente pelo golo sofrido depois da hora, quer pela condição física dos jogadores, conseguimos jogar da melhor forma anulando por completo o adversário na qual ainda tivemos 2 grandes ocasiões de golo. Na 2ª parte do prolongamento tivemos a nossa única falha táctica em todo o jogo, bem explorada pelo adversário com o Cami a finalizar com qualidade. Reagimos com uma bola no poste e no contra sofremos o 3 - 1 que matou completamente o jogo. Com facilidade reparei que a estrutura global do União Moitense está em franco desenvolvimento e acredito que com pequenos ajustes em sectores estratégicos, o Moitense faça TOP 5 já na próxima época, no entanto e dada à actual tabela classificativa, o que conta mesmo é que conquistemos o máximo de pontos possível, ainda estão 36 pontos em disputa”.


DAVID MARTINS, treinador do Olímpico :   



Share on Google Plus