INICIADOS»» Benfica 6 Portimonense 0

Aos dois minutos já estava a ganhar…

ÁGUIAS NÃO DERAM QUALQUER HIPÓTESE 

O Benfica goleou o Portimonense por 6-0, em jogo antecipado da 12.ª jornada do campeonato nacional de iniciados, realizado no campo n.º 7 do Caixa Futebol Campus, no Seixal, assumindo assim, de forma provisória, o comando da série sul, 2.ª fase.

Como o resultado dá a entender, este foi um jogo sem grande história dada a superioridade evidenciada pela equipa orientada por Luís Nascimento que dominou do princípio ao fim.

Na sua primeira jogada ofensiva, quando ainda não estava concluído o segundo minuto, o Benfica colocou-se em vantagem com um golo de Paulo Bernardo que correspondeu da melhor forma a um cruzamento efectuado do lado esquerdo por Famana Quizera.

A equipa algarvia jogava com as linhas muito recuadas para não dar grande espaço ao adversário mas as águias com jogadores mais evoluídos tecnicamente conseguiram dar a volta à situação e aos 14 minutos aumentaram para 2-0 por intermédio de Diogo Cardoso, num cabeceamento, após canto cobrado do lado direito. E, pouco depois (25’), o mesmo jogador elevou a contagem para 3-0, desta vez com um toque subtil que traiu o guarda-redes Duarte que logo a seguir deu nas vistas ao fazer uma excelente defesa num livre cobrado por Famana Quizera que levava o selo de golo.

Na segunda parte, o domínio do jogo continuou a pertencer por completo às águias e o marcador foi evoluindo de forma perfeitamente natural. Gerson Sousa (39’), Gonçalo Batista (52’) e Fábio Silva (70+2’) foram os marcadores dos golos neste período mas outros ficaram por marcar.

O Portimonense, que foi obrigado a trabalhar muito no seu sector mais recuado, nunca incomodou verdadeiramente o guardião encarnado, Hélder Pereira, que teve muito pouco trabalho. 


TREINADORES:
Luís Nascimento (Benfica): “Entrámos muito bem no jogo, marcámos logo na primeira jogada e isso deu-nos algum conforto. Foi um bom jogo, uma boa vitória e uma boa exibição”.    


Luís Gonçalves (Portimonense): “O Benfica tem melhores individualidades e um colectivo muito forte. A nossa estratégia passava por retardar o primeiro golo mas sofremos logo ao minuto e meio e os jogadores foram-se abaixo“.

Share on Google Plus