ALMADA»» Clube passa pela pior situação da sua vida

Nuno Cirilo responsabiliza alguns dirigentes…

“NÃO SOU CAPAZ DE ABANDONAR UM BARCO QUE MUITOS QUEREM AFUNDAR”

O nosso jornal convidou Nuno Cirilo para falar sobre a nova época desportiva e acabou por ficar surpreendido com algumas revelações do técnico sobre o momento actual do clube que, ao que consta, é muito grave.

Cirilo fala de “antigas direcções que denegriram o Almada, endividaram-no e foram-se embora deixando os problemas para quem vem a seguir. Neste momento o clube passa pela pior situação na sua vida e precisa urgentemente de ajuda. As cinco ou seis pessoas que estão neste momento à frente do futebol, juntamente com alguns dirigentes do andebol, tentam a todo o custo a sobrevivência do clube mas sem ajuda será muito difícil”, alerta o actual treinador da equipa principal de futebol.

Antigas direcções denegriram o Almada, endividaram-no e foram-se embora deixando os problemas para quem vem a seguir

Plantel renovado

O Almada apresenta-se esta época com um plantel bastante renovado onde se nota a presença de muitos jogadores provenientes do Charneca. Houve alguma razão especial para que isso tivesse acontecido?
O único motivo foi os jogadores terem preferido vir para o nosso clube ao invés de ficarem no Charneca. Aconteceu o mesmo com o João do Carmo e o Bruninho que fizeram o sentido inverso. Da nossa parte houve uma grande preocupação em conseguirmos ficar com os jogadores que nos interessavam da época passada, conseguimos a maioria e ficámos satisfeitos por isso. Os que vieram, vêm acrescentar qualidade e experiência ao plantel.


Mais-valias

Para além destes, surgem também alguns “captados” no futebol de praia. Trata-se fundamentalmente de mais-valias para o plantel?
Não houve "captados" no futebol praia... O Adriano já fazia parte do plantel desde Janeiro mas não foi inscrito por causa do passe internacional. O Lucas estava com a equipa desde Março e também não podia ser inscrito. O Hernâni e o Nicolau jogavam no Charneca, o Ricardo jogava no Beira Mar e o Hassan no Almada. Sim, são mais-valias para qualquer plantel desta divisão.

Objectivos? Vamos devagar, jogo a jogo, fase a fase e depois logo se verá

E em relação à equipa técnica, também foi reforçada?
A equipa técnica foi alterada. Era uma situação que já se previa. Mais uma vez a escolha baseou-se na confiança das pessoas que estão ou vão estar comigo.

Objectivos

Quais são então os objectivos para as competições em que o Almada se encontra envolvido nesta nova época desportiva?
Em relação aos objectivos vamos devagar... jogo a jogo, fase a fase e depois logo se verá. Não somos melhor nem pior que ninguém mas competentes somos de certeza.


Empate no jogo de estreia

O arranque das competições oficiais não foi certamente o desejado porque empatou em casa com um adversário de escalão inferior. Que falhou neste jogo?
De facto não foi o resultado desejado mas foi o possível. Defensivamente estivemos desconcentrados em algumas fases do jogo e um lance duvidoso custou-nos o golo do adversário, através de penalti. Ofensivamente, os nossos jogadores estiveram muito perdulários falhando oportunidades claras de golo onde poderíamos ter marcado uma mão cheia de golos mas a precipitação e a falta de frieza para definir bem o lance fez com que concretizássemos sempre da pior forma. O adversário teve pelo menos mais duas ou três oportunidades de golo onde também poderia ter marcado mas o resultado justo seria a vitória do Almada. Para além disso tivemos várias baixas para este jogo, que nos dificultou bastante, para além de termos ido com jogadores lesionados para o banco de suplentes, só para fazer número. Entraram os possíveis.

O apoio dos sócios

Os sócios têm razão para acreditar na equipa?
Os sócios devem acreditar na equipa sim mas também devem aparecer aos jogos, devem vir apoiar o clube da cidade que parece esquecido pela maioria dos sócios. Não só a equipa precisa de apoio como o Almada precisa dos sócios presentes no Campo do Pragal.


Clube precisa urgentemente de ajuda

Que terá ficado ainda por dizer nesta conversa?
Joguei no Almada até aos 13 anos, saí e voltei aos 24 por opção, escolhi o Almada por ser o clube da cidade onde vivo e o clube do meu coração. O melhor para mim, como treinador, seria abandonar o clube e optar por seguir o meu caminho noutro clube qualquer, com mais condições, com mais organização e com mais projecção na actualidade mas, tenho tempo, sou novo e tenho muito para aprender. Enquanto jogador não sabia dos problemas do Almada mas neste momento como treinador sei os problemas todos e não sou capaz de abandonar um "barco que muitos querem afundar".

Sem ajuda será muito difícil a sobrevivência do clube...

Várias antigas direcções denegriram o Almada, endividaram-no e foram-se embora deixando os problemas para quem vem a seguir. Neste momento o clube passa pela pior situação na sua vida e precisa urgentemente de ajuda. As cinco ou seis pessoas que estão neste momento à frente do futebol, juntamente com alguns dirigentes do andebol, tentam a todo o custo a sobrevivência do clube mas sem ajuda será muito difícil.

Share on Google Plus