1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» BANHEIRENSE 0 PALMELENSE 1

Banheirense não teve a sorte pelo seu lado…

PALMELENSE GANHA NO VALE DA AMOREIRA COM AUTO GOLO DE UM ADVERSÁRIO   

A União Banheirense jogava uma partida extremamente no seu reduto contra um adversário do seu campeonato mas as coisas acabaram por não correr da forma desejada e no final sofreu mais uma derrota, considerada injusta.

Na primeira parte houve algum equilíbrio embora com ligeiro ascendente da equipa de Palmela mas com poucas oportunidades de golo para ambas as partes.

Na segunda parte a equipa da Baixa da Banheira entrou disposta a alterar o rumo dos acontecimentos e dispôs de algumas boas ocasiões para marcar mas não conseguiu e o Palmelense com a irreverência própria da juventude acabou por chegar ao golo (56’) num lance infeliz de Pedro que introduziu a bola na sua própria baliza.

O Banheirense continuou à procura do golo mas o Palmelense, que se mostrou sempre uma equipa muito organizada, não permitiu e acabou por regressar a casa com os três pontos, naquela que foi a sua segunda vitória no campeonato.

Na classificação o Palmelense segue agora na 11.ª posição com 7 pontos e o Banheirense reparte com Alcochetense o último lugar com apenas um ponto.

Na próxima jornada o Banheirense desloca-se a Sines para defrontar o Vasco da Gama e o Palmelense recebe o Sesimbra.  

 


A OPINIÃO DOS TREINADORES…

JOSÉ MEIRELES, treinador do Banheirense:

“Os meus pupilos justificavam plenamente outro desfecho na partida”

Mais um dia que saímos de uma partida com o sentimento de injustiça, e quando digo injustiça falo pelo resultado. Os meus pupilos justificavam outro desfecho na partida, criaram situações mais que suficientes para marcar, mas como vem sendo hábito temos claudicado no último terço, e como quem não marca sofre, foi isso que aconteceu, e ainda por cima com um jogador nosso a ter a infelicidade de o marcar na própria baliza.

Tivemos pela frente uma equipa jovem muito bem organizada e estruturada penso mesmo que durante os primeiros 45` tiveram talvez mais alguma supremacia sem criarem contudo dificuldades ao nosso guardião e terão sido nossas as duas melhores oportunidades de golo, que o guardião contrário resolveu bem pois os remates saíram denunciados e com pouca força.

Durante o intervalo corrigimos posições, entrámos muito fortes e aos 48`, 51`e 53` poderíamos ter aberto o activo, se na primeira o Pardana esteve muito bem ao fazer a mancha nas outras duas faltou a calma necessária para fazermos o golo. E, lá está, quem não marca sofre. Bola perdida em zona proibida, cruzamento para a área e um dos defesas ao tentar interceptar acaba por introduzir a bola na própria baliza, lance infeliz talvez do jogador que menos merecia este resultado.

A equipa sentiu a injustiça do golo e correu atrás do prejuízo, fazendo-o mais com o coração do que com a cabeça, fizemos três alterações todas elas com cariz atacante mas o nosso adversário sob aguentar a pressão e conseguiu levar os três pontos para casa.

Temos consciência que as coisas não estão fáceis mas acreditamos no grupo que temos e sabemos que há matéria, só não temos tido a estrelinha pelo nosso lado, uma vitória será o suficiente para mudar as coisas.

Quanto à equipa liderada por Mário Quendera dizer que quando a qualidade está lá as coisas são sempre diferentes, hoje Alberto Rodrigues (observador) não terá dificuldades em dar a nota. Parabéns Mário e um resto de boa época para os três.


JAIME MARGARIDO, treinador do Palmelense:


Share on Google Plus