PAIO PIRES»» Prepara-se para o jogo com o Oriental Dragon

Sérgio Alegria, treinador da equipa…

“ESTE JOGO REPRESENTA PARA NÓS UMA FINAL PORQUE QUEREMOS TERMINAR A PRIMEIRA VOLTA COM 13 PONTOS”

O Paio Pires vai disputar no próximo domingo no campo do Juncal, na Moita, o jogo que tem em atraso da 6.ª jornada com o Oriental Dragon.

“Este jogo representa para nós uma autêntica final porque estamos no fim da primeira volta e queremos terminar com 13 pontos a par do Monte de Caparica e do Corroios, deixando tudo em aberto para a segunda volta”, disse a propósito Sérgio Alegria, treinador do Paio Pires, que também falou do jogo realizado no passado domingo em Corroios.

“Nas últimas duas semanas trabalhámos bem e esperávamos um resultado diferente do que alcançámos, que acaba por ser demasiado pesado para o que ambas as equipas produziram em campo.


Começámos bem a primeira parte e obrigámos o adversário a esticar o seu jogo para conseguir chegar à nossa baliza. Aos 16 minutos, a partir de um pontapé de canto, o Corroios adiantou-se no marcador, num lance em que o jogador teve tempo para receber a bola, virar-se para a nossa baliza e rematar, tendo a bola batido no poste e nas costas do nosso guarda-redes, antes de entrar. O Corroios habituado a jogar com as dimensões do seu terreno, soube tirar partido da menor largura do campo e, como não conseguia ganhar os lances na disputa, foi gradualmente aumentando a agressividade com a equipa da arbitragem a assistir passivamente.

O jogo foi-se tornando muito agressivo graças a uma equipa de arbitragem que, à imagem de outras que temos encontrado, procurou controlar o jogo sem mostrar cartões. Chega ao ponto de argumentar com a atribuição da lei da vantagem para não assinalar faltas passíveis de cartão amarelo.

Cometemos erros que o adversário aproveitou

Na primeira parte criámos algumas oportunidades, mas o jogo foi sempre muito equilibrado e se tivemos duas ou três oportunidades para marcar, também o adversário teve, chegando a acertar por uma vez na nossa trave.
Ao intervalo insistimos no plano de jogo que tínhamos traçado e na segunda parte começámos com 11 minutos sempre a atacar, fomos criando as oportunidades que seriam desperdiçadas ou pelos nossos jogadores ou por foras-de-jogo muito duvidosos. Aos 12 minutos numa transição rápida, quando finalmente o Corroios conseguiu sacudir a pressão a que estava sujeito, chegou até à nossa baliza e ampliou o resultado para 2-0, totalmente contra a corrente do jogo. A nossa equipa ainda assim procurou sempre chegar à baliza do adversário, mas fomos pouco eficazes e apenas chegámos ao golo aos 80 minutos por intermédio do Rodrigo.

Com o 2-1 no marcador e mais de 10 minutos para jogar, criámos oportunidades suficientes para reequilibrar o jogo, mas o Corroios aos 87, sentenciou o jogo após a marcação de um livre do lado esquerdo, que resultou num cruzamento do lado direito e um cabeceamento ao primeiro poste.

Cometemos alguns erros no sector defensivo que o adversário aproveitou eficazmente e criámos oportunidades suficientes para marcar e sairmos com os 3 pontos. Mantivemos sempre o nosso modelo e jogámos como queremos durante muito tempo, mas no futebol ganha quem marca mais”.

Share on Google Plus