ORIENTAL»» Homenagem a Toni Pereira


32 anos de carreira…

TRABALHO REALIZADO PELO TREINADOR RECONHECIDO PELOS ADEPTOS


A Voz Orientalista, página não oficial do Clube Oriental de Lisboa, publicou recentemente um post cujo título é bem elucidativo: Homenagem ao treinador António Pereira.

Por se tratar de um homem da margem sul e pelo facto de ter passado por clubes como o Amora, Montijo e Pinhalnovense, transcrevemos aqui na íntegra o seu conteúdo.

 António Pereira é um líder nato. Treinador exigente, mas de muito bom carácter. É um bom profissional e um bom treinador. Quando se chega a este nível é porque fez uma boa carreira.


A humildade que o caracteriza impele-o a ter esta atitude, mas perder apenas 14 jogos oficiais nas últimas duas épocas, em 59 jogos disputados, é, no mínimo, bastante positivo.

Já eliminou da Taça de Portugal três equipas da Liga: Gil Vicente, Rio Ave e no dia 7 de Janeiro de 2007, o FC Porto no Estádio do Dragão no encontro referente à 4ª eliminatória da Taça de Portugal (pontificava nessa equipa Marco Bicho, actualmente jogador do nosso Oriental).

Ao longo da sua carreira, António Pereira treinou clubes como o Amora, Montijo, Pinhalnovense, Atlético CP, Mafra, Torreense, Tirsense entre muitos outros, vinte e um clubes no total, foram treinados por este credenciado técnico de futebol.

 
Conta no seu currículo, nos últimos sete anos com duas subidas de divisão, entre elas com especial destaque as do Atlético CP (2010/11) e do Mafra (2014/15) à 2ª Liga, entre outros clubes.

É um treinador colaborante e humilde que procura escolher os melhores jogadores de acordo com as possibilidades financeiras e directrizes estratégicas, nesta matéria, emanadas dos clubes por onde passou.

Muito do êxito desportivo das equipas que orienta, depende em muito do seu "dedo" e carisma de treinador, da forma entusiasta como organiza, gere e idealiza todos os treinos e competições em que as suas equipas estão envolvidas.

Um treinador, bom líder, transmitindo aos seus atletas os seus conhecimentos, fazendo estes aperfeiçoarem-se de modo a conseguirem corresponder às exigências da competição.

Sobretudo, é um treinador bom gestor de recursos humanos, que as direcções dos clubes por onde tem passado lhe colocaram ao seu dispor, rentabilizando-os ao máximo ( o que aconteceu no nosso clube). Sabe lidar como poucos com os seus atletas de forma a obter deles o seu máximo.

Promove e fomenta um clima de confiança, credibilidade e aceitação nas equipas que dirige, pelas convicções que exprime.


Um treinador que tem a capacidade de conseguir criar um grupo forte e unido com um bom espírito de grupo de forma a criar um projecto coeso conseguindo mais facilmente atingir os objectivos propostos, por vezes consegue ultrapassar barreiras quase impossíveis de ultrapassar (um bom psicólogo que sabe unir as equipas que dirige em torno de um objectivo).

Um treinador que tem uma capacidade de imaginação muito grande, tem mente forte, tem um espírito combativo, firme, é corajoso, nas decisões que toma em ambiente intra e extra jogo, sabe reagir eficazmente conforme as situações, é um bom comunicador, tem uma capacidade notável em moralizar os atletas ( como um “psicólogo”).

Concluindo, é um treinador além da sua capacidade como ser humano, é um expert em futebol, bom gestor sendo também uma pessoa organizada. Sabe reagir conforme as mais diversas situações. É um treinador que nunca beneficia um certo jogador, mas sim um treinador que beneficia o grupo no seu todo, em detrimento do individual.


Share on Google Plus