PEDRO DE ANDRADE»» De guarda-redes a jogador de campo


“Foi uma experiência única e engraçada”, diz o jogador…

FC SETÚBAL JOGOU COM DOIS GUARDA-REDES CONTRA O CHARNECA DE CAPARICA

O FC Setúbal apresentou-se no último domingo na Charneca de Caparica com apenas 11 jogadores; ou seja, sem suplentes. O facto, por si só, merece destaque mas a maior curiosidade no meio de tudo isto está no facto da equipa ter alinhado com dois guarda-redes.

É evidente que não foram os dois para a baliza mas que jogaram dois ninguém pode desmentir, um jogou na sua posição habitual [Miguel] e o outro [Pedro de Andrade] numa posição intermédia do campo. As razões têm a ver com escasso número de jogadores disponíveis para o encontro e ao pedido feito pelo treinador Mário Leandro.

Com uma vasta experiência na guarda das balizas, Pedro de Andrade, actualmente com 39 anos, vestiu uma camisola diferente e lá foi com os seus colegas para dentro do campo disposto a dar o seu melhor, como faz sempre. E no final até ficou satisfeito com a experiência…

Aproveitando, este facto curioso, Jornal de Desporto foi ao encontro de Pedro de Andrade para saber como tudo aconteceu.


“Era algo que gostaria de fazer antes de acabar a carreira”

Depois de tantos anos a jogar na posição de guarda-redes, no jogo com o Charneca de Caparica jogaste como jogador de campo, creio que por necessidade devido ao escasso número de jogadores disponíveis. Como foi a experiência?
Sim, é verdade. Ao fim da minha 27.ª época como jogador federado, devido a contingência daquele dia (algumas lesões e atletas a trabalhar),acabei por realizar algo que gostaria de fazer antes de acabar a carreira. O mister Mário Leandro perguntou-me se não me importava e tinha disponibilidade para actuar na frente, e eu disse que sim, porque estou para ajudar no que for preciso...

Tendo a noção clara que não seria o MVP do jogo, mas que tudo faria para cumprir minimamente o que me fosse pedido, julgo que não me saí mal. Saí de consciência tranquila porque fiz tudo o que podia e estava ao meu alcance, se calhar sem a arte e engenho dos meus colegas que jogam na posição há mais tempo mas ninguém me poderá apontar o dedo de, pelo menos, não ter corrido em ambos os sentidos durante os 90 minutos. 

Acabou por ser uma experiência única e engraçada. Aprendi a valorizar um pouco mais quem joga na frente do mesmo modo que às vezes gostaria que alguns tivessem a experiência contrária para valorizar a tarefa ingrata que é ser guarda-redes.

Estás disposto a repetir, se houver necessidade?
Sim, já antes tinha dito a alguns treinadores que se fosse preciso eu jogava a frente. No final do jogo disse isso mesmo. Domingo que vem, caso seja necessário, não terei qualquer tipo de problema em jogar mais uma vez a frente.


“A próxima poderá ser a minha última época”

Em termos pessoais como está a decorrer a época?
Em termos pessoais este ano esta a ser um pouco atípico para mim porque pela primeira vez troquei de clube a meio da época. Iniciei no Grupo Desportivo Benavente com o mister Nuno Cláudio mas por questões profissionais fiquei sem disponibilidade horária para as viagens. Saí ainda com possibilidade de cumprir os objectivos traçados mas infelizmente isso não foi possível. Entretanto, apareceu o FC Setúbal e aproveitei. Tenho jogado em 95% dos jogos e isso deixa-me feliz porque o principal objectivo tem sido alcançado.

Como estamos no fim desta temporada, já estás a pensar na próxima?
Espero fazer mais uma época, sinto-me bem fisicamente e apto, apesar de ter 39 anos. Não sei o que o futuro me reserva, mas gostaria de continuar a jogar porque provavelmente a próxima poderá ser a minha última época.

Há mais algum facto que queiras salientar?
Apenas felicitá-lo pelo excelente trabalho que eu acompanho deste o início. Ajuda em muito ajuda o futebol a nível distrital que, cada vez mais, tende a ser esquecido. O sr. Pina só valoriza o nosso esforço com estas crónicas. Desde já o meu/nosso obrigado.


Share on Google Plus