JUVENIS»» Benfica 4 Sp. Braga 0


Encarnados são líderes com um ponto de vantagem sobre o FC Porto…   
     
ÁGUIAS IMPÕEM-SE PERANTE UM ADVERSÁRIO INCÓMODO 

O Benfica venceu o Sp. Braga por 4-0 em jogo relativo à 8.ª jornada do Campeonato Nacional de Juvenis mantendo assim a sua posição de líder, com um ponto de vantagem sobre o FC Porto, nesta luta a dois pela conquista do título nacional.

A vitória assenta na perfeição à equipa orientada por Renato Paiva que trabalhou bastante para a conseguir mas há também que realçar o empenho dos bracarenses que em determinados momentos do jogo também causaram alguns problemas.


As águias colocaram-se em vantagem por Gonçalo Ramos (11’) após assistência primorosa de Jair Tavares mas quatro minutos depois o empate esteve à vista num lance em que Diogo Vieira apareceu isolado frente a João Monteiro, que acabou por resolver a situação.

O jogo estava a ser bem disputado mas o maior volume de jogo ofensivo pertencia ao Benfica que foi compensado com a obtenção do segundo golo, desta vez marcado por Guilherme, na própria baliza (21’).

Apesar da infelicidade os bracarenses não baixaram os braços e Edu (31’), na sequência de um ataque rápido, atirou ao poste da baliza do Benfica.

Na 2.ª parte o Sp. Braga entrou com vontade de surpreender mas o Benfica que foi controlando sempre o jogo ampliou a vantagem para 4-0, com golos de Gonçalo Gomes (72’) e Tomás Tavares (76’), sendo este num chapéu a Bruno Carvalho.

Neste período será ainda de salientar um remate ao poste de Umaro Embaló (62’) e dois à barra por Iuri Tavares (71’) e Samuel Pedro (78’).



A OPINIÃO DOS TREINADORES…

Renato Paiva (Benfica): “Foi um jogo fantástico, tanto a nível táctico como em intensidade, para miúdos de 16 e 17 anos. Não entrámos bem no jogo e fizemos o golo no melhor momento do Sp. Braga, mas depois estabilizámos. A base disto tudo é o jogo posicional que permite mudar de sistema para encontrar melhores soluções”


Rui Santos (Sp. Braga): “O jogo teve momentos bons de ambas as partes mas nós pecámos no capítulo da finalização ao desperdiçar o empate por duas vezes. Depois com o desenrolar do jogo as coisas foram ficando mais tendenciosas para o Benfica porque os nossos jogadores começaram a desacreditar um pouco no processo”.


Share on Google Plus