VASCO DA GAMA»» 90% do plantel já está constituído


Vítor Madeira faz balanço positivo de 2017 / 2018…

NO CAMPEONATO MELHORÁMOS A CLASSIFICAÇÃO DA ÉPOCA ANTERIOR E NA TAÇA ALCANÇÁMOS MAIS UMA ELIMINATÓRIA”

O Vasco da Gama de Sines, que na época que agora se classificou em 4.º lugar no Campeonato Distrital da 1.ª Divisão, já trabalha na formação do plantel para a nova temporada onde o objectivo passa por fazer melhor.

Vítor Madeira que continua no comando técnico da equipa disse ao nosso jornal que o clube já renovou com a maioria dos jogadores.

 “Se o campeonato começasse amanhã já tínhamos jogadores para apresentar. Ainda há uma ou outra indefinição como é perfeitamente compreensível mas também já temos dois jogadores novos. Como o clube não paga qualquer tipo de subsídios por vezes não é fácil reforçar a equipa. Por isso, é completamente megalómano dizer que vamos subir de divisão. O nosso objectivo vai ser o mesmo, fazer o melhor campeonato possível para assegurarmos a manutenção. Com cerca de 90% do plantel já constituído, posso dizer que vamos continuar a ter qualidade e que queremos fazer boa figura mas tem que ser passo a passo e jogo a jogo”.


Início complicado

Sobre a época passado o treinador vascaíno considera que “o balanço é extremamente positivo porque no campeonato melhorámos a classificação da época anterior e na Taça AF Setúbal alcançámos mais uma eliminatória. Tivemos um início complicado porque não conseguimos ganhar nas primeiras oito jornadas onde registámos quatro empates e outras tantas derrotas, sendo uma delas no tal jogo que não se realizou por causa das medidas de uma das balizas. Pela forma como trabalhamos e pela nossa qualidade que tínhamos consideramos uma situação algo estranha porque não é normal isto acontecer. A culpa é nossa e de algumas equipas adversárias, que nos complicaram a vida, mas também de algumas arbitragens que nos prejudicaram”.


O jogo da viragem e os sistemas tácticos

“À 8.ª jornada quando perdemos com o Sesimbra tínhamos quatro pontos e o Sesimbra tinha 15, recordo-me perfeitamente que foi aqui que se deu a viragem. Na semana seguinte recebemos o U. Santiago, ganhámos e tivemos uma série de resultados positivos. Só voltámos a perder na deslocação ao Fabril e acabámos por fazer um final de primeira volta e uma segunda volta de forma notável”

“O mérito foi dos jogadores que souberam executar o que nós pedimos. A equipa conseguiu criar uma variabilidade táctica que nos permitiu encarar alguns jogos de forma diferente do que vínhamos fazendo nos outros anos, conseguindo jogar em sistemas que julgamos ser mais adequados em determinados jogos”.


As lesões e o regresso a casa de alguns jogadores

“De salientar será também as muitas lesões graves que tivemos. Por exemplo, o Migalhas lesionou-se na 1.ª jornada da Taça com o Amora, foi operado, e só voltou a jogar no fim da época, o guarda-redes Rui Afonso também foi operado, assim como o João Nunes; e, depois, tivemos também as lesões do Idi e no final o José Manuel. Foram muitas contrariedades, lançámos também alguns jovens e fizemos regressar alguns jogadores a casa, recuperámos o Daniel Direito, trouxemos de volta o Gandarez, o Valdir e o Elson e foi com estes jogadores que partimos para um campeonato extremamente difícil”.

“Será também importante dizer que fomos a única equipa que não perdeu com o Amora. Isto é bem demonstrativo da qualidade e da força do Vasco da Gama. Fica-nos bem o quarto lugar”.

Não queria terminar sem dar os parabéns ao Amora pelo título de campeão e ao Barreirense pela conquista da Taça AF Setúbal, assim como desejar felicidades ao C. Piedade B e ao Oriental Dragon por terem subido à 1.ª divisão distrital”.




Share on Google Plus