AMORA»» Litos e a liderança isolada

Treinador não quer embandeirar em arco...

É SEMPRE BOM ANDAR NA FRENTE MAS NÃO VIVO OBCECADO POR ISSO”

O Amora subiu ao primeiro lugar da tabela classificativa da Série D do Campeonato de Portugal onde segue isolado com mais um ponto que o Olímpico do Montijo, o anterior líder, que perdeu na última jornada com o Casa Pia, mas o treinador, Litos, desvaloriza a situação.

É sempre importante ganhar e melhor ainda andar na primeira posição mas não vivo obcecado por isso”, disse o técnico no final do jogo com o Moura que terminou com a vitória do Amora, por 2-0.


O campeonato é muito longo e vai haver jogos muito difíceis, como já aconteceu no 1.º Dezembro, onde empatámos. É evidente que jogamos sempre para conquistar os três pontos mas nem sempre vai ser possível, temos que estar preparados para isso”, alertou Litos.  

Em relação à vitória alcançada no último domingo, que lhe deu a liderança o técnico foi taxativo. “Fiquei contente com a vitória mas não com a exibição, demonstrei isso ao intervalo na conversa que tive com os jogadores porque entendo que temos capacidade para fazer melhor. Os jogadores aperceberam-se que havia alguma falta de qualidade no adversário e desligaram-se em alguns momentos do jogo. Na segunda parte melhorámos um pouco mas notei que não houve aquela entrega que tem sido habitual. Acho que a nossa equipa não teve respeito pelo adversário e fiquei chateado com isso”.

Litos explicou também porque efectuou algumas mudanças na equipa em relação aquilo que vinha sendo habitual. “O Adérito teve uma gastroenterite e o Lacão também revelou esses sintomas. Tivemos que fazer alterações mas algumas prestações não foram bem conseguidas, vamos tentar melhorar já no próximo jogo.”


Gildo e Geraldo na selecção de Moçambique

Gildo e Geraldo foram convocados por Abel Xavier para a selecção de Moçambique que no dia 8 de Setembro defronta a Guiné-Bissau em jogo a contar para a segunda jornada do grupo K de qualificação para o Campeonato Africano das Nações que se realiza em 2019, nos Camarões.

Para os atletas é motivante mas para o clube não é bom porque fica sem eles para o próximo compromisso. “O que mais me preocupa é o desgaste causado pelas viagens. Estive naquele país durante quatro anos inserido na Taça dos Campeões Africanos e às vezes queríamos ir para um país próximo mas tínhamos que dar quase a volta ao mundo para lá chegar, por causa do custo das viagens. Neste caso, a Federação vai ter um voo directo que causa um desgaste menor, mas mesmo assim são sempre 11 horas de viagem”, rematou o treinador do Amora.

Share on Google Plus