DINIS ROSA»» Treinador tri-campeão está sem clube

Esperou até ao limite e rejeitou outras propostas…

A NÃO CRIAÇÃO DE UMA EQUIPA B ESTEVE NA ORIGEM DA SUA SAÍDA

Dinis Rosa é um treinador de reconhecida qualidade, tem dedicado muito do seu tempo ao futebol de formação e nos últimos anos tem obtido algum sucesso e também alguns títulos.

Depois de quatro anos no Amora, onde se sagrou campeão distrital juniores e juvenis, o técnico acabou por sair porque o projecto que lhe iria ser confiado [a criação de uma equipa B] não se chegou a concretizar.

Dinis Rosa esperou até ao limite e rejeitou uma ou outra proposta que havia recebido e em consequência disso ficou sem clube para treinar.

Agora fica à espera que o telefone toque porque o seu desejo é continuar a treinar se possível uma equipa de seniores.

Em entrevista ao nosso jornal Dinis Rosa fala do seu percurso no Amora, explica por que razão fiou sem clube e das suas ambições como treinador.


Fim de um ciclo vitorioso

- Depois de quatro anos de sucesso e de alguns títulos conquistados Dinis Rosa deixou o Amora. Porquê?
Deixando de haver possibilidade de existir uma equipa de seniores B no Amora FC, possibilidade em cima da mesa até à cerca de duas semanas atrás e, não existindo outra possibilidade de ligação, provavelmente pelo adiantamento das épocas desportivas em curso, não surgiu essa hipótese e assim fechou-se um ciclo vitorioso de 4 anos, bem como a minha ligação enquanto treinador a este clube. 

Sente alguma frustração por não ter ficado?
Não. Claro que gostaria, em conjunto com a minha equipa técnica e jogadores, de ter dado continuidade ao trabalho que fizemos ao longo destes anos, mas frustração não. Merecemos todas as vitórias e conquistas que alcançámos e penso que honrei e dignifiquei, conjuntamente com todos os que me acompanharam, o nome deste grande clube. Fomos também, em conjunto com outros intervenientes e factores, uns fortes impulsionadores do “renascimento” e crescimento deste clube, e quando isso acontece é impossível haver frustração, independentemente do que aconteça. A decisão foi esta, cabendo-me a mim entendê-la, respeitá-la e seguir em frente.


Reconhecimento público do trabalho realizado

- Está satisfeito com o trabalho desenvolvido?
Sim, extremamente satisfeito. Primeiro que tudo pelo reconhecimento público e privado, de quem fez esta caminhada de 4 anos comigo, onde incluo jogadores, treinadores, pais e alguns responsáveis pelo futebol do Amora FC. Depois, por tudo o que conseguimos conquistar desportivamente. Numa 1.ª época em que à sétima jornada estávamos em último lugar no campeonato distrital de juvenis da 1ª divisão, conseguimos terminar a época como terceiros classificados. Na 2ª época, também na mesma competição e já com o plantel e pré-época definidos e preparados por mim e minha equipa técnica, conseguimos ser campeões distritais de juvenis, empatando apenas 2 jogos e perdendo 1. Na terceira época, no campeonato distrital de juniores da 1ª divisão, fomos de novo campeões distritais consentindo apenas um empate durante todo o percurso. Na 4ª época, no campeonato nacional de juniores da 2ª divisão, ao alcançarmos a manutenção de forma relativamente confortável, conseguimos atingir plenamente o objectivo definido, batendo por várias vezes, o “pé”, a equipas com outras aspirações, suportadas financeiramente e desportivamente por Sad´s, dos quais entre outros, saliento resultados como as vitórias por 1x0 ao Olhanense, 7x0 e 1x0 ao Casa Pia, 4x1 e 1x0 ao Portimonense, 2x1 e 1x0 ao Oeiras, 2x0 ao Linda-a-Velha, 3x0 e 5x0 ao Lusitano de Évora. Na 1ª fase da competição fomos quintos classificados e na 2ª fase fomos terceiros classificados, na qual conseguimos ser a equipa com mais pontos averbados nesta fase da competição. Assim sendo, totalizámos em partidas oficiais, um total de 74 vitórias, 18 empates e 16 derrotas. Face a este conjunto de factores, considero-me bastante satisfeito com o trabalho desenvolvido.


Disponível para abraçar outro projecto

- Em relação ao futuro. Está disponível para abraçar outro projecto?
Sim, encontro-me receptivo. Durante o interregno dos campeonatos fui convidado para abraçar outro projecto e houve ainda outra sondagem por parte de alguém de outro segundo clube. O meu compromisso e palavra para com a possibilidade do surgimento de uma equipa de seniores B no Amora FC, levaram-me por opção própria, a declinar qualquer hipótese. A minha paixão por este jogo, far-me-á com toda a certeza querer continuar, ainda com mais motivação e profissionalismo.

- Quais são os seus objectivos enquanto treinador?
Os meus objectivos, neste momento, passarão fundamentalmente, e sem descurar outras possibilidades, por poder orientar uma equipa sénior. Depois de ter sido campeão distrital em diferentes clubes, nos escalões de iniciados, juvenis e juniores, após ter experienciado várias realidades competitivas e escalões etários, sem saltar etapas do meu crescimento enquanto treinador e fazendo uma auto-analise ao meu crescimento enquanto treinador e pessoa, penso estar preparado para assumir o comando técnico de uma equipa de seniores, constituindo-se este, entre outros, como o meu principal objectivo neste momento enquanto treinador.


“O Amora terá sempre um lugar no meu coração”

- Terá ficado algo por dizer nesta conversa?
Sim. Agradecer e dar os parabéns ao Senhor José Pina pelo excelente trabalho que têm feito na divulgação e promoção de todo o desporto no distrito de Setúbal, especialmente no desporto federado e no futebol. Também um agradecimento muito especial a todos aqueles que me acompanharam e apoiaram ao longo destes quase quatro anos, especialmente a todos os jogadores que sempre estiveram comigo e que participaram activamente nas mais variadas conquistas desta equipa, uma verdadeira família. Foi um prazer cantar a “Marcha” do Amora no início dos jogos com todos eles e certamente iremo-nos reencontrar novamente e quem sabe, disputar novos campeonatos, celebrar mais vitórias e campeonatos, honrado sempre a camisola do clube onde estivermos. Finalizo apenas dizendo que o Amora FC, foi um clube que sempre me recebeu e tratou bem, que continuarei a acompanhar com muita atenção e que certamente terá sempre um lugar no meu coração.

Share on Google Plus