FUTEBOL FEMININO»» Costa de Caparica na 2.ª Divisão Nacional


Equipa não tem objectivos definidos…

“O QUE QUEREMOS É PARTICIPAR, MAS COM TODA A GARRA QUE É CARACTERÍSTICA DAS GENTES DA CAPARICA”

Depois de na época passada ter dado os primeiros passos na modalidade ao participar na Taça Distrital de Futebol Feminino, em futebol de sete, o Grupo Desportivo dos Pescadores da Costa de Caparica surge este ano reforçado com a chegada de mais atletas que vão possibilitar a participação do clube em duas competições completamente distintas; a equipa de Sub-15 no Campeonato Distrital e a equipa sénior no Campeonato Nacional da 2.ª Divisão.

João Pelica, o responsável técnico pelo futebol feminino dos Pescadores disse ao nosso jornal que “tudo começou o ano passado. Juntámos um grupo de meninas porque havia na zona muita matéria-prima e agora há que construir a equipa, organizá-la e criar um modelo de jogo. É tudo novidade e ninguém está à espera de grandes resultados. O que queremos é participar, mas com toda a garra que é característica das gentes da Costa de Caparica”.

Os Pescadores, que fazem a sua estreia em competições de âmbito nacional, integram a Série E onde participam também o Atlético, Amora, Bairro de Santo António (Évora), Estoril, Barreirense, Palmelense, Guia, Escola de Futebol Feminino de Setúbal e Quintajense. Na primeira jornada, a realizar no dia 16 de Setembro, os Pescadores recebem o Amora, na Costa de Caparica. 


“Cada dia é uma surpresa”

Como disse, não temos objectivos definidos no Campeonato Nacional da 2.ª Divisão, o que queremos é que elas se divirtam. Somos a única equipa da Costa de Caparica a participar em campeonatos nacionais e, por isso, queremos dar alegria à cidade, ao clube e a elas próprias”, referiu João Pelica que tem à sua disposição cerca de 30 atletas, de todos os escalões, sendo de salientar algumas meninas com 9 e 10 anos que integram as equipas de Benjamins e Traquinas, juntamente com os rapazes.

Como na Costa de Caparica há um núcleo de emigrantes brasileiros, temos algumas jogadoras brasileiras que já têm experiência no futebol juvenil. Queremos que elas joguem também no nosso campeonato mas não vai ser fácil porque os processos são muito demorados. Vamos ver se temos tempo de as inscrever”, adiantou João Pelica que se sente satisfeito com o trabalho desenvolvido até aqui com as meninas porque “é diferente” e porque “cada dia é uma surpresa”.

Sobre a participação da equipa no Campeonato Distrital de Sub-15, o treinador dos Pescadores, é peremptório “vamos querer fazer coisas bonitas porque a maioria das jogadoras já vem da época passada”.

Share on Google Plus