OLÍMPICO DO MONTIJO»» David Martins esclarece pormenores sobre a sua saída

  
Pedro Messias, treinador adjunto, anunciou também a saída dos restantes elementos da equipa técnica…

CLUBE ESTÁ A VIVER MOMENTOS DE INSTABILIDADE E CONSTANTE TURBULÊNCIA 

 “Sentia que era mais uma parte do problema do que uma solução e, quando assim é, a única decisão que me restava era sair porque acima de tudo deve estar o clube, a sua evolução e o melhor para os jogadores e para o grupo de trabalho que tem sido fantástico desde o início, pela maneira como se entregam, como se dedicam, com o profissionalismo que revelam e por tudo o que têm vivido com a instabilidade e constante turbulência que se vive no próprio clube”, foi esta a resposta dada por David Martins quando o interrogámos sobre as razões que o levaram a deixar o Olímpico do Montijo, nesta altura do campeonato.

“É muito difícil trabalhar nestas condições. Como não consegui inverter a situação achei que era melhor sair. Tendo em conta os interesses dos jogadores, seria importante marcar uma posição e, de alguma forma, agitar as hostes, para que se consiga resolver os problemas que existem diariamente e a instabilidade em relação ao futuro”, acrescentou.

David Martins tem sido pressionado a reconsiderar a sua posição mas adiantou ao nosso jornal que “esta é uma situação irreversível. Esta era a terceira época no clube e infelizmente todos os anos tem havido problemas. Há situações que causam desgaste”, e passou a exemplificar.



“Alguém tem que dizer o que se passa”

“No primeiro ano andámos com muitos meses de ordenados em atraso porque o pseudo-investidor acabou por sair ao fim de pouco tempo. No segundo ano aconteceu a mesma coisa, problemas com pagamentos e turbulência no balneário, com jogadores a querer sair. Este cansaço e o avolumar de situações acabaram por ser decisivas na minha saída”, realçou David Martins que diz sentir muito orgulho em ter representado o Olímpico do Montijo, porque foi sempre muito bem tratado.

“Agradeço todas as mensagens que tenho recebido a pedir para voltar atrás mas neste momento não me sinto capaz, nem preparado, para fazer isso. As pessoas da direcção ou da pseudo-SAD têm que se pronunciar e dizer o que realmente se está a passar e explicar porque as coisas não funcionam e não correm os trâmites normais, que é previsível numa estrutura de futebol”.


Trabalho sério e competente

David Martins tem a perfeita noção do trabalho desenvolvido conforme se pode constatar nas suas afirmações. “Deixo o clube com a noção do dever cumprido e saio com a plena consciência que desenvolvi um trabalho competente e sério”.

E, a finalizar, sobre o seu futuro referiu: “Tenho as minhas ambições e vou estar atento. Se houver algum convite será objecto de análise mas voltar de imediato à actividade não é para já uma prioridade. É importante haver também um período de reflexão para perceber o que é melhor para mim”, rematou.

Share on Google Plus