AMORA»» Ruben Nunes e o jogo com o Belenenses

Estádio da Medideira volta a ser palco de grandes jogos...

“A TAÇA É FÉRTIL EM SURPRESAS, QUEM SABE SE NÃO SEREMOS NÓS A CAUSAR UMA DELAS”

No historial das duas equipas não há qualquer registo de confrontos para a Taça de Portugal mas já se encontraram seis vezes em competições oficiais e o Amora leva vantagem…

“Na teoria o Belenenses é favorito mas a Taça é fértil em surpresas, quem sabe se não seremos nós a causar uma delas”, disse o capitão da equipa do Amora a propósito do confronto com o Belenenses a contar para a 3.ª eliminatória da Taça de Portugal, que se disputa este sábado às 15 horas.

“Na Medideira não vai ser fácil para eles, acredito que podemos ganhar” acrescentou Rúben Nunes que vai defrontar a equipa que é orientada por Silas, que foi seu companheiro no Cova da Piedade.

“Ele foi ver o nosso jogo no último domingo e, eu, como não joguei por estar lesionado, falei com ele ao intervalo e brincámos um pouco com a situação. Vai ser um jogo especial porque se trata de uma pessoa que me marcou bastante. No Cova da Piedade fomos campeões mas agora espero ser eu a ganhar”, referiu.

No historial das duas equipas não há qualquer registo de confrontos para a Taça de Portugal mas já se encontraram seis vezes em competições oficiais, duas para o extinto campeonato nacional da 2.ª divisão na época de 1983/84 e quatro para o então denominado campeonato nacional da 1.ª divisão, em 1980/81 e 1981/82, e o saldo é favorável aos azuis da Medideira porque obtiveram três vitórias, duas derrotas e um empate nos confrontos realizados.


Entre os dois clubes, que vestem de azul, há, entretanto, algumas situações curiosas.

Uma delas tem a ver com o facto de Matateu, lenda do Belenenses, ter jogado em 1968 no campeonato distrital da 1.ª divisão da AF Setúbal em representação do Amora, ajudando-o a subir à 3.ª divisão nacional e a ganhar 3500 escudos por mês, sagrar-se-ia o melhor marcador do campeonato com 21 golos.

Outra tem a ver com Jaime Mercês, um jovem então com 18 anos que começou a dar nas vistas no clube da margem sul de Tejo e dois anos depois se transferiu para o clube do Restelo onde permaneceu nove épocas consecutivas e atingiu a internacionalização.

Os tempos agora são outros e as realidades bem diferentes mas as curiosidades continuam a existir porque no plantel do Amora há dois jogadores (Rúben Nunes e Tiago Duque), que alinharam na mesma equipa com Silas, o actual treinador do Belenenses.


Tiago Duque: 


"Se desempenharmos bem o nosso papel podemos alcançar um resultado positivo"

“Agradeço ao Belenenses a oportunidade que me deu em ser jogador profissional. Agora segui o meu caminho mas não guardo mágoa. Tenho muito carinho pelo clube e pela sua história”.

Tiago Duque, que rescindiu com o clube no início da época e agora se encontra no Amora, consciente das dificuldades adiantou que “o adversário é da I Liga mas nós estamos invencíveis em casa. Se desempenharmos bem o nosso papel podemos alcançar um resultado positivo”.

Em relação ao seu ex-companheiro de equipa no Atlético, Tiago Duque não tem dúvidas. “Por aquilo que conheço do Silas tenho a certeza que vai ter uma carreira de treinador melhor ou igual daquela que teve como jogador”. 


Share on Google Plus