FUTEBOL DISTRITAL»» No decorrer do Palmelense – FC Setúbal

Jogo esteve interrompido durante bastante tempo…

ESTADO DE SAÚDE DE SANDRO GEROU GRANDE PREOCUPAÇÃO NO CORNÉLIO PALMA 

Jogador caiu inanimado no chão e foi conduzido ao hospital mas regressou a casa sem problemas de maior. A ocorrência motivou a interrupção do jogo e com os ânimos exaltados registaram-se três expulsões. O golo da vitória do Palmelense foi marcado aos 106 minutos. 

O Campeonato Distrital da 1.ª Divisão, que teve início este fim-de-semana, começou de forma algo atribulada. 

Para além do adiamento do U. Santiago - Fabril, devido à participação da equipa alentejana na 3.ª eliminatória da Taça de Portugal, a primeira jornada ficou marcada pelas ocorrências registadas em Palmela onde o jogo esteve interrompido durante largos minutos para ser prestada assistência ao jogador Sandro (FC Setúbal) que teve de ser conduzido ao hospital e pelo facto de se terem registado três expulsões, uma para o Palmelense e duas para o FC Setúbal que jogou os últimos com apenas oito jogadores, porque quando se deu a lesão já tinha feito todas as substituições.


“Ficámos todos muito assustados”

Não estou chateado por ter perdido mas sim com a infantilidade dos meus jogadores que se deixaram envolver nas provocações devido à sua juventude”, disse ao nosso jornal Mário Leandro, presidente e treinador do FC Setúbal.

Facilitámos a vida ao Palmelense. Durante o jogo tivemos várias oportunidades para marcar e até fizemos um golo, que foi mal anulado. A pressão exercida sobre a equipa de arbitragem acabou por dar resultado. Durante esse período de provocações em determinada altura o nosso central Sandro, numa disputa de bola, caiu no chão e ficou sem sentidos. Ficámos todos muito assustados porque ele ficou também com a língua de fora e foi conduzido ao hospital de onde já saiu sem problemas de maior. Como já tínhamos feito as três substituições ficámos a jogar apenas com 10 jogadores. Depois face às tais provocações e à pressão das gentes de Palmela, acabámos por ter mais duas expulsões e terminámos a jogar com apenas 8 jogadores. O árbitro deu 17 minutos de descontos e o golo aconteceu aos 106 minutos”, conta Mário Leandro. 

Perdemos o primeiro jogo, agora vamos tentar ganhar em casa. Sabemos que este ano vamos sofrer mais do que tem sido hábito mas com trabalho e mais um ou outro reforço vamos conseguir fazer resultados positivos e tentar a manutenção no campeonato que é o nosso principal objectivo”, referiu também.


“Não foi nenhuma batalha”

Jaime Margarido, treinador do Palmelense, por sua vez diz que “o jogo foi muito disputado mas não foi nenhuma batalha. O que aconteceu foram incidências do próprio jogo que foi equilibrado na primeira parte mas teve superioridade do Palmelense na segunda. Marcámos o golo no período de compensação mas a vitória é inteiramente justa porque fomos a melhor equipa em campo”, que lamentou o sucedido ao jogador do FC Setúbal que caiu inanimado no chão e deixou toda a gente preocupada. “Houve mesmo alguns jogadores que começaram a chorar”, salientou.

O jogo continuou, o Palmelense arriscou tudo e acabou por ser compensado com o golo da vitória que surgiu já nos últimos minutos da compensação”, acrescentou.

Sobre as expulsões Jaime Margarido disse que “no nosso caso foi o João Pereira que respondeu à agressão de um adversário, que na época passada foi jogador do Palmelense”.  

Share on Google Plus