CTT DE PAIO PIRES»» Câmara Municipal do Seixal contra encerramento

Trata-se de um novo ataque ao serviço público de proximidade…

AUTARQUIA JÁ SOLICITOU REUNIÕES COM A ADMINISTRAÇÃO DOS CTT E COM O MINISTRO DO PLANEAMENTO

O anúncio de encerramento da Loja dos CTT em Aldeia de Paio Pires foi recebido com estupefacção. Após o encerramento de outra loja em Amora, no ano de 2013, a população do Seixal vê-se novamente confrontada com mais um encerramento de serviços públicos de proximidade, que prejudicam as populações e a economia local.

Trata-se de um novo ataque ao serviço público de proximidade prestado pelos CTT, que, ao invés de privilegiar a sua função de serviço público, prioriza a lógica do lucro em serviços que outrora eram públicos, o que leva à inevitável degradação do serviço e ao aumento significativo de tarifas, como a realidade bem o tem demonstrado. 



Assistimos a esta inversão de prioridades não só nos CTT, mas também no sector dos transportes ou no sector energético. Todas essas privatizações se mostraram ruinosas para a função destas empresas e para a qualidade do serviço que prestam, afectando de forma negativa os direitos das populações, a economia e o interesse nacional.

Hoje vivem em Aldeia de Paio Pires cerca de 15.000 habitantes, com um número significativo de pessoas com dificuldades de mobilidade, e que à loja se deslocam para serviços de grande importância para as suas vidas, como o levantamento da reforma ou o pagamento de contas, e para quem, naturalmente, a distância será um factor extremamente negativo.

É também em Aldeia de Paio Pires que estão sedeados os principais parques industriais do concelho do Seixal e nos quais está prevista a instalação de novas empresas a breve prazo, não se alcançando a lógica de encerramento de balcões dos CTT, a não ser por factores meramente economicistas, e consequente despedimento de trabalhadores, bem com a acentuada degradação do serviço postal.
A Câmara Municipal do Seixal solicitou uma reunião à Administração dos CTT, por considerar esta medida lesiva dos interesses da população e contrária ao desenvolvimento do concelho, tendo solicitado também uma reunião ao ministro do Planeamento e Infra-estruturas enquanto responsável político por este sector, para manifestar o repúdio por mais uma situação de desinvestimento no concelho do Seixal, em defesa de um serviço que deverá ser assegurado em condições de igualdade a todos os cidadãos, sem discriminação de qualquer espécie.

O presidente da Câmara Municipal do Seixal, Joaquim Santos, referiu “que o Município do Seixal já solicitou reuniões com a Administração dos CTT e com o ministro do Planeamento e Infra-estruturas e que a Câmara Municipal do Seixal estará com a população de Aldeia de Paio Pires e com os trabalhadores dos CTT em todas acções que forem tomadas contra o encerramento do balcão de Aldeia de Paio Pires. Iremos exigir também, enquanto clientes dos CTT, pois pagamos cerca de meio milhão de euros por ano, a reposição da normalidade na distribuição postal e instaremos o governo a tomar medidas em relação a este assunto, porque o serviço postal tem uma importância estratégica para o desenvolvimento dos concelhos e do país.”

Share on Google Plus