OLÍMPICO DO MONTIJO»» David Martins faz balanço da 1.ª volta

Jogadores têm demonstrado ambição e muita determinação…

“DO PONTO DE VISTA DESPORTIVO, ESTAMOS A CUMPRIR O OBJECTIVO DEFINIDO NO INÍCIO DA ÉPOCA”

O Campeonato de Portugal, que conta com a participação de duas equipas da região, atingiu no passado fim-de-semana o final da primeira volta. Por isso, entendemos ser esta a altura ideal para fazermos um balanço da forma como a competição foi decorrendo.

Começámos pelo Olímpico do Montijo que actualmente está posicionado sensivelmente a meio da tabela, mais precisamente no 7.º lugar, com 18 pontos.

Tanto quanto sabemos o orçamento é muito baixo e isso tem sido um obstáculo para que a equipa tenha conseguido reforços. Contudo, mesmo assim, o clube montijense conseguiu proceder a alguns ajustes.

Na entrevista que nos concedeu, o treinador David Martins fez o balanço da primeira metade do campeonato, da posição que a equipa ocupa neste momento, das alterações que o plantel sofreu e daquilo que pretende fazer na segunda volta da competição.  


“Podíamos ter feito mais alguns pontos em casa mas mesmo assim o balanço é positivo”
  
O Campeonato de Portugal viu agora concluída a sua primeira volta. Que balanço se pode fazer relativamente ao Olímpico?
Posso dizer que é positivo até ao momento. Tendo em conta apenas o ponto de vista desportivo, estamos a cumprir como o maior e único objectivo definido no início da época, garantir a manutenção, sabendo que estamos apenas a metade do percurso e que temos de manter o mesmo compromisso, dedicação e humildade até ao final da época.



A posição que a equipa ocupa neste momento está dentro daquilo que foi perspectivado?
Estamos na posição possível tendo em conta tudo o que temos vivido. Temos um plantel muito jovem e procuramos sempre ganhar mas sabemos que para se promover jogadores jovens a qualidade de jogo é importante e fazemos por aliar essa qualidade aos resultados. Podíamos na verdade ter mais alguns pontos, em especial dos confrontos que tivemos em casa mas não ficámos a pensar nisso, mas que podemos conquistar no futuro.

Os ajustes feitos no plantel

O plantel está a corresponder ou será que precisa de reforços?
É natural, com qualquer equipa, que nesta fase da época existam ajustes, alguns por opção do atleta e em concordância com a equipa técnica e outros do ponto de vista técnico e de gestão orçamental, porque até isso para um clube como o Olímpico tem o seu peso. Perdemos o Ary e o Queijinho, e tivemos de prescindir do Emerson e do Ramião. Entraram o Raul Rocha, Mezenga, e Leandro (ex -Eléctrico). E possível que ainda chegue mais algum jogador para promover ainda mais competição interna e incremento de soluções técnicas.

Que espera vir a fazer agora na segunda volta?  
Acima de tudo procuramos conquistar o maior número de pontos o mais rapidamente possível para garantir o nosso objectivo. Continuar a praticar um futebol de qualidade e promover os jovens atletas deste grupo, que em nada têm defraudado as expectativas e alguns podem sem dúvida atingir patamares competitivos mais elevados.



“Somos a equipa com menor orçamento do campeonato”

Que análise global faz da Série?
Considero que a classificação revela a existência de um grupo de equipas que se têm revelado mais competente, Farense, Olhanense, Pinhalnovense, Casa Pia e Oriental. E depois existem 11 equipas, todas elas de valor semelhante e que certamente irão disputar até à última jornada a permanência. Temos consciência que somos a equipa com menor orçamento do campeonato, não só na série, mas isso só por si não é diferenciador e não é algo que se tenha revelado até ao momento impeditivo das nossas prestações ao domingo.

Há algo mais que importe salientar?
Apraz-me salientar a qualidade humana e o carácter dos jogadores que tenho ao meu dispor e a ambição e determinação que tem levado para cada treino e jogo, apesar de todos os problemas que temos enfrentado durante a época. Queria também salientar a dedicação das pessoas que mais de perto têm procurado solucionar os nossos problemas e partilham connosco as nossas dores. Aos nossos adeptos fervorosos e ao orgulho aldeano que continuem a ser a nossa força exterior e continuem a empurrar-nos para a vitória, pois são fundamentais para nós.
Share on Google Plus