HÓQUEI EM PATINS»» Seixal faz balanço positivo da época - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

sexta-feira, 11 de julho de 2014

HÓQUEI EM PATINS»» Seixal faz balanço positivo da época

Devido à indefinição da situação do pavilhão

“Neste momento ainda não há a certeza
da continuidade da modalidade no clube”

O Hóquei em Patins do Seixal terminou mais uma época desportiva e o balanço feito é inteiramente positivo. Marco Costa, o treinador da equipa sénior, em entrevista ao nosso jornal fala do trabalho realizado e da forma como a equipa foi evoluindo tanto no Campeonato Regional de Lisboa como na Taça APL onde participam jogadores de nível bastante aceitável. O técnico é da opinião que existem bons valores na formação mas que o clube tem que repensar o seu trabalho e a sua organização para colher mais e melhores frutos. Marco Costa disse também que a situação de indefinição do pavilhão não ajuda e que neste momento ainda não há a certeza da continuidade da modalidade no clube mas acredita que não vão deixar "morrer" uma secção e uma modalidade, com tradição e história, que tanto custou a reerguer em tão pouco tempo.


“Dignificámos o grupo de trabalho e o clube na prova”

O Seixal terminou o Campeonato Regional de Lisboa em 5.º lugar. A posição está de acordo com o valor da equipa ou ficou a sensação que poderia ter sido melhor?
A classificação no Campeonato Regional de Lisboa enquadra-se com o que tínhamos estabelecido como objectivo no início de época. Acabámos em 5.º lugar num campeonato bastante competitivo, onde todas as equipas podiam ganhar umas às outras, efectuamos um maior número de jogos em relação à época anterior, acabando na mesma posição, mas com mais pontos conquistados. Queríamos fazer melhor e tentar a melhor classificação possível, mas o 5.º lugar acaba por ser meritório. A competição foi na minha opinião mais competitiva, com jogos mais disputados, com incerteza do resultado final. Perdemos pontos com equipas classificadas abaixo de nós, mas também conseguimos vitórias e pontos com equipas classificadas nos lugares cimeiros. O que demonstra essa competitividade e que também poderíamos ter conseguido ficar 1 ou 2 lugares mais acima. Dignificámos o grupo de trabalho e o clube na prova, mostrando rotinas e princípios de jogo, com ideias e fio de jogo, onde os jogadores saíram valorizados, demonstrando que nesta competição existem bons valores e boas equipas.

E na Taça APL, o que há para dizer sobre o segundo lugar no Grupo, logo atrás do Sporting?
Na Taça APL, de início o objectivo era proporcionar mais competição à nossa equipa, procurando a melhor classificação possível. Com o sorteio da prova, perspectivava uma competição com grande equilíbrio no grupo. Até à inclusão do Sporting á última da hora, equipa da 1ª divisão, onde a partir daí percebemos que muito dificilmente seriamos os vencedores do grupo. Fizemos uma excelente primeira volta, onde só perdemos com o Sporting, apesar da excelente exibição, onde estivemos sempre a equipa completa. Na segunda volta não estivemos tão fortes, com alguns condicionalismos fruto de situações profissionais dos nossos jogadores e um castigo disciplinar. Os resultados não foram os melhores, mas continuámos a fazer bons jogos e boas exibições e aproveitei também para dar mais oportunidades e minutos aos jogadores menos utilizados, para poderem mostrar o seu valor. Acabámos a prova em 2.º lugar no grupo, atrás do vencedor da prova, com uma prestação digna e como era o objectivo mantendo a nossa equipa em competição.

“Proporcionámos aos jogadores uma época bastante competitiva”

Numa análise global qual o balanço a fazer da época desportiva de 2013/2014?
No geral, o nosso objectivo era proporcionar à nossa equipa o mais número de jogos possível, no Campeonato Regional de Lisboa e na Taça APL. Os nossos jogadores fizeram 34 jogos oficiais, com classificações honrosas para o nosso clube. Iniciámos a época com três novos jogadores, sendo dois deles regressos ao clube que há muito os desejava. Não iniciámos bem a época porque estive ausente por doença e a preparação ficou afectada e o enquadramento dos novos jogadores foi feito já com a época em andamento. Ao longo da época tivemos também algumas ausências por questões profissionais e disciplinares injustas. Em comparação com os nossos adversários, não possuíamos a mesma carga horária de treinos. Felizmente não tivemos lesões preocupantes, no entanto, os condicionalismos mantiveram-nos sempre unidos e nunca deixei de acreditar no valor da equipa. Sensivelmente a meio da prova com o grupo completo conseguimos uma série de novos jogos sem perder, com vitórias muito importantes. Quer no Campeonato Regional quer no Taça APL batemo-nos com adversários de divisões superiores, mas apesar disso, realizamos excelentes exibições. Considero que evoluímos como equipa, acrescentamos qualidade e proporcionamos aos jogadores uma época bastante competitiva, registando-se boa evolução, na equipa e nos jogadores. É com muita satisfação que vejo os nossos jogadores valorizados, a conseguir mostrar que estão "vivos" na modalidade, com vontade de continuar a trabalhar comigo e no clube. É sinal que gostam do clube e pelo trabalho realizado por todo o staff. Assim, no geral, considero a época positiva e evolutiva, tendo em conta o que tínhamos feito até à data e de acordo com o que tínhamos planificado.

Ao longo do campeonato houve jogos bastante interessantes e emotivos. Isso quer dizer que a qualidade do hóquei praticado e o nível competitivo foram satisfatórios?
Como disse anteriormente, as competições proporcionaram-nos jogos muito competitivos e emotivos, com incerteza no resultado até final. O número de equipas era maior do que o registado na 3ª Divisão, e os custos menores. Quando se pensa que o nível é inferior, isso não se reflecte em termos competitivos, exemplo disso é que algumas equipas da nossa competição eliminaram equipas de divisões superiores na Taça de Portugal. Evoluem nesta competição jogadores de muito bom nível e vão surgindo equipas a lançar novos jogadores das suas camadas jovens. Isso faz com que o nível competitivo seja alto e que tenhamos de nós apresentar bem preparados e com equipa competitiva, para poder ombrear com nossos adversários.

Nos últimos jogos foram utilizados alguns jogadores das camadas jovens. Isso quer dizer que o Seixal está a contar com eles para a próxima época?
Desde que cheguei ao clube, que para além de trabalhar a equipa sénior para ser competitiva, a minha ideia é integrar jovens provenientes da nossa formação. E esta época sempre que me foi possível e necessário, foram chamados alguns Juniores para treinos e jogos. É importante que tenham contacto e a ambição de um dia chegar ao plantel sénior do clube, mas não chega só nós querermos integrá-los. Eles têm que demonstrar valor e essa vontade/ambição, servindo também como incentivo na sua evolução. Alguns deles serão seniores na próxima época, e é minha intenção, já transmitida, de fazerem parte do plantel sénior, se eu continuar a ser o treinador. Assim como irei continuar com o mesmo processo em relação à próxima época, relativamente à equipa júnior. O futuro dos clubes passa pela formação e o do Seixal não foge à regra, formar para posteriormente integrarem nos escalões superiores ,daí a importância da existência dos Seniores num clube. Com base numa equipa existente e competitiva será mais fácil integrar elementos da formação, para que faça sentido a questão de uma mística de clube e em formar futuros atletas/homens. Eles são o nosso futuro e o do clube.

“Associação tem que proporcionar um quadro
competitivo de acordo com as necessidades dos clubes”

Em termos gerais como vai evoluindo a modalidade no clube?
Existem bons valores na nossa formação, mas como é óbvio nem todos serão aproveitados. O clube tem que lhes dar condições para crescerem e evoluírem na modalidade. Condições em termos competitivos e a nível de treino. Assim, como a Associação tem de proporcionar um quadro competitivo de acordo com as necessidades da sua evolução etária, as nossas equipas, nesta época, estiveram algumas semanas sem competir, o que não é benéfico para jovens que procuram evoluir, ao contrário de outras Associações que competem ao longo de toda a época, causando naturalmente desigualdades na evolução do jovem hoquista de região para região. Assim como deve rever as taxas cobradas aos clubes, que juntamente com as despesas das inscrições e deslocações não se enquadram com a realidade do país, dificultando a manutenção de todos os escalões na formação. Os nossos Benjamins tiveram bons resultados, vencendo mesmo os Circuitos Regionais da APS, os Escolares demonstraram assim como os restantes escalões de Sub-15, Sub-17 e Sub-20 bons valores, existindo no clube uma grande preocupação de aumentar o número de jogos efectuados, recorrendo inclusive a presenças em torneios e provas de outras Associações. Tendo por objectivo proporcionar evolução em termos competitivos aos diversos escalões. Tendo, na minha opinião, o Seixal de repensar a sua aposta na formação, na sua qualidade de trabalho e sua organização, para no futuro poder colher mais e melhores frutos.

A modalidade corre algum risco face à situação do pavilhão?
A situação de indefinição com o Pavilhão também não ajuda. Nesta altura os pais e os jogadores procuram soluções, sem terem a certeza da continuidade da modalidade no clube. Com esta indefinição existe o risco de alguns jogadores não darem continuidade à modalidade no clube acabando por desfalcar os respectivos escalões. Esta incerteza é natural, mas tenho a convicção que não vão deixar "morrer" uma secção e uma modalidade, com tradição e história, que tanto custou a reerguer em tão pouco tempo.

Que ficou ainda por dizer?
Um agradecimento a todas as empresas e pessoas que contribuíram para a manutenção da equipa Sénior e de toda a formação do Seixal Futebol Clube, a quem acreditou em mim e no meu trabalho, a todo o staff dos seniores pelo esforço, dedicação e empenho com que defenderam e dignificaram o clube e o grupo. Aos jogadores, por acreditarem no meu trabalho, e pelo respeito que demostraram, pois sem eles nada seria possível. E, ao José Pina um obrigado pela disponibilidade na divulgação das nossas equipas e da nossa modalidade.

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here