SANDRO GIOVETTI»» Empresário de futebol - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

domingo, 27 de julho de 2014

SANDRO GIOVETTI»» Empresário de futebol

Nascido e criado no Vale da Amoreira

"Quero ser conhecido pelo trabalho sério que vou desenvolvendo"

Ser empresário de futebol é uma actividade apetecível porque normalmente quando se fala da actividade pensa-se logo em muito dinheiro devido às avultadas quantias envolvidas em determinados negócios. É evidente que nem todos estão ao mesmo nível e há uns que ganham muito mais que outros. Tudo depende das circunstâncias, dos valores envolvidos e do estatuto que têm no mundo desportivo, nomeadamente do futebol.

Proveniente de uma família humilde, Sandro Giovetti nasceu em Fevereiro de 1979 no Vale da Amoreira onde viveu sozinho com a mãe e mais sete irmãos. Adepto confesso do Desportivo de Portugal e amante do futebol em particular, o empresário luso-angolano tem desenvolvido a sua actividade um pouco para todo o lado mas uma das suas acções mais recentes tem a ver com um protocolo estabelecido entre o Eléctrico de Ponte Sor e os Bravos de Maquis [de quem é representante em Portugal] que visa o intercâmbio de jogadores angolanos que irão permanecer no nosso país nos próximos anos.

Nos seus cinco anos de actividade muitos são os que têm recorrido aos seus serviços e a sua lista de contactos não pára de crescer porque praticamente todos os dias surgem novas adesões tanto por parte de jogadores como de treinadores.

Com o objectivo de dar a conhecer melhor a sua façanha e saber por que razão se dedicou a esta actividade, o JORNAL DE DESPORTO falou com Sandro Giovetti.

“O futebol na margem sul tem muita
qualidade e jogadores de grande valor”

Por que razão enveredou por esta actividade?
Por gostar muito de futebol. A minha vida de empresário começou quando procurei ajudar o jogador e amigo Willy, num contrato para um clube angolano. A coisa correu bem, gostei muito e resolvi dedicar-me a esta actividade.

Já desempenha estas funções há muito tempo?
Sensivelmente, acerca de cinco anos

A que nível está a trabalhar. Distrital, nacional ou internacional?
Trabalho a todos os níveis: distrital, nacional e internacional procurando sempre realizar um trabalho sério e honesto. Como sou de um bairro que tem muitos jogadores de qualidade [Vale da Amoreira] mas onde falta quem os apoie, entendi que talvez não fosse má ideia meter-me no futebol como empresário para os poder ajudar.

Qual a sua opinião sobre o futebol que se pratica na região. Existem por cá jogadores de qualidade?
O futebol na margem sul tem muita qualidade e jogadores de grande valor que se vão perdendo por falta de oportunidades. Só tenho que lamentar o facto de não olharem mais para estas equipas e para estes jogadores.

Quando se fala em empresários, pensa-se logo em muito dinheiro e em Jorge Mendes. Gostava um dia de poder chegar até onde ele chegou; ou, para si, isso não é o mais importante?
Eu, não penso dessa forma. Nunca me preocupei com isso. O Jorge Mendes é o Jorge Mendes. Eu quero tornar-me conhecido apenas pelo meu nome e pelo trabalho sério e honesto que vou desenvolvendo.

“Já coloquei muitos jogadores e treinadores”

Esta época já colocou muitos jogadores?
Sim, já coloquei muitos jogadores e treinadores da margem sul tanto nos campeonatos nacionais como no estrangeiro. Tenho trabalhado muito para abrir mais portas, seja onde for.

E ainda tem alguns por colocar?
Todos os dias aparecem muitos jogadores e treinadores a interessarem-se pelos meus serviços. Eu bem tento ajudá-los a todos mas infelizmente nem sempre isso é possível.

Que mais quer dizer neste momento?
Quero apenas dizer que o meu clube é o Desportivo de Portugal que felizmente tem agora pessoas sérias que estão a fazer um grande trabalho. Gostaria que voltasse a ter todos os escalões de formação e uma equipa de seniores porque existe muita qualidade no Vale da Amoreira.

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here