1.ª DIVISÃO AF SETÚBAL»» Beira Mar 0 Monte Cap. 0

Igualdade a zero foi um desfecho justo…


FOI UM JOGO DE MUITO COMBATE E POUCO FUTEBOL


O Campo da Mutela, em Cacilhas, foi palco de mais um derbi do conelho de Almada. Desta vez, frente a frente estiveram Beira Mar de Almada e Monte de Caparica, duas equipa com as suas posições já definidas em termos de tabela classificativa, facto que provavelmente terá também contribuído de certa forma para a fraca qualidade do futebol praticado.

O jogo terminou empatado a zero e a repartição de pontos parece ter sido mesmo o desfecho mais justo a avaliar pelas declarações proferidas pelos dois técnicos no final da partida.

João Luís, treinador do Beira Mar de Almada, é da opinião que se tratou de um jogo com muita intensidade para esta altura do campeonato e que isso aliado às reduzidas dimensões do campo terá contribuído para a fraca qualidade do futebol praticado. O jogo foi mais combativo e houve algumas oportunidades para ambas as partes mas nós fomos guerreiros contra uma equipa muito agressiva, no bom sentido da palavra”, referiu a propósito.

José Meireles por sua vez realça o facto de ter sido “uma partida em fim de estação que valeu sobretudo pela entregas dos jogadores de ambas as equipas”. O treinador do Monte de Caparica considera que o resultado se ajusta mas salienta o facto da sua equipa ter criado “mais oportunidades” de golo e lamenta as duas expulsões, uma para cada equipa. Demonstrando também o seu sentido de fair play o treinador do Monte de Caparica desejou felicidades ao Beira Mar de Almada para a final da taça que vai disputar com o Amora.

Com o ponto conquistado o Beira Mar de Almada passou a somar 35 e encontra-se no 11.º lugar enquanto a equipa do Monte de Caparica ocupa a 14.ª posição com 27 pontos.

Na próxima jornada, que será a última, o Beira Mar de Almada desloca-se á Quinta do Conde para defrontar a ADQC e o Monte de Caparica encerra a sua participação no campeonato com a recepção ao Amora no campo Rocha Lobo. 


A OPINIÃO DOS TREINADORES...

JOÃO LUÍS, treinador do Beira Mar de Almada: 

  

JOSÉ MEIRELES, treinador do Monte de Caparica:


“Jogo de fim de estação que valeu pela entrega das duas equipas”


“Autêntica partida de fim de estação que valeu principalmente pela entrega dos jogadores de ambas as equipas já que o futebol praticado não foi da melhor qualidade, muito por culpa do vento que se fazia sentir que em nada ajudava à boa prática de futebol. Penso que o resultado se ajusta embora reconheça que foi a minha equipa quem esteve mais perto de ganhar ou, por outra, a que criou mais oportunidades”.

“Com as duas equipas já com as posições definidas na classificação e com um Beira Mar a pensar neste momento mais na final da taça do que no campeonato foi natural que nós tivéssemos entrado melhor na partida e ganhássemos supremacia. Os primeiros 25 minutos foram praticamente passados no meio campo adversário, não só porque entrámos melhor na partida mas porque o vento também nos ajudava e foi neste período que criamos as melhores oportunidades. Após este período embora o pendor atacante fosse maior do nosso lado o nosso adversário equilibrou e à beira do intervalo poderia mesmo ter marcado numa falha defensiva da nossa parte”.

“Na segunda parte as equipas equilibraram-se muito bem com jogada cá jogada lá e neste período só há lamentar as duas expulsões uma para cada lado. Num jogo de final de época não havia necessidade mas enfim por vezes no calor do jogo temos reacções das quais trinta segundos depois nos arrependemos. Aproveito para desejar as maiores felicidades ao João Luís e sua equipa para a final da taça”.


“Quanto à equipa de arbitragem liderada pelo veterano Francisco Mendes e pelas jovens Priscila Calmeirão e Ana Paiva estiveram ao nível do jogo de fim de época, nas expulsões o Francisco não podia fazer outra coisa”.





Share on Google Plus