COSTA DE CAPARICA»» É tempo de unir esforços - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

7 de julho de 2016

COSTA DE CAPARICA»» É tempo de unir esforços


Ricardo Aires pede apoio dos adeptos…

“O LEMA DO COSTA É TODOS JUNTOS SEREMOS CAPAZES E ISSO ENQUADRA-SE AQUI NA PERFEIÇÃO”


Entre os reforços obtidos pelos Pescadores da Caparica para 2016/2017 sobressaem dois jogadores não só pelo seu passado desportivo mas também pelo facto de se tratar de dois regressos e de jogadores vindos do Campeonato de Portugal Prio.

Estamos a falar de Ricardo Aires que foi campeão nacional pelo Cova da Piedade e Carlos Carvalho que terminou a época no Sacavenense.

Ricardo Aires, de 37 anos, e com um curriculum deveras notável como jogador com passagens pelo Belenenses, Imortal, Atlético, U. Micaelense, Mafra, Odivelas, Olivais e Moscavide, Pescadores e C. Piedade, é a principal referência e ao mesmo tempo uma novidade porque havia anunciado a sua retirada do futebol.


“Como gosto de jogar futebol e ainda me sinto em perfeitas condições, acabei por aceitar o convite do Miguel Lopo”

“É verdade, tinha pensado em deixar a carreira de jogador mas isso acabou por não acontecer. Devo dizer que tive vários convites que os rejeitei porque tinha efectivamente decidido que não iria dar continuidade à minha carreira de jogador. No decorrer da época passada fui treinador dos juvenis aqui no Costa de Caparica, onde tudo correu bem, porque fomos campeões distritais da 2.ª divisão e estava à espera de poder continuar com eles no escalão seguinte. Este foi um dos factores que me levou a dizer que não iria continuar a jogar. Mas, depois, houve um volte face na questão relativa às funções de treinador e quase em simultâneo surgiu o convite do Miguel Lopo, que foi meu colega de equipa, para voltar a jogar. Eu ponderei um bocadinho, mas como gosto de jogar futebol e ainda me sinto em perfeitas condições, acabei por aceitar”, disse ao nosso jornal Ricardo Aires que se mostrou esperançado na realização de uma boa temporada.

Temos aqui jogadores com alguma experiência e malta nova com qualidade. Penso que estão reunidas as condições para fazermos um trabalho giro. Se a coisas forem preparadas com o máximo de organização, empenho e rigor, creio haver condições para fazermos uma época tranquila”.

Sobre o projecto apresentado, Ricardo Aires falou na qualidade de adepto. “Como sou aqui da Costa, espero que façam tudo em prol do clube para o ajudarem a sair da situação em que está. Só tenho que acreditar nas pessoas que estão a dar início a este projecto”.
E a concluir, deixou um apelo aos adeptos dos Pescadores. “As pessoas da Costa afastaram-se um pouco do clube, não me cabe a mim dizer porquê. Eu tenho a minha opinião mas não vou fazer qualquer comentário sobre isso. Prefiro apelar às pessoas que vêm para mostrar trabalho porque se isso acontecer a gente da Costa vai certamente aparecer. O lema do Costa é todos juntos seremos capazes e eu acho que esse lema se enquadra aqui na perfeição”.




Carlos Carvalho:“Este é um clube do qual eu gosto
e que aprecio desde novo”

Carlos Carvalho, médio, de 25 anos, jogador que fez toda a sua formação na Costa de Caparica e que depois representou também o Alcochetense, C. Piedade e Sacavenense, também está de regresso às origens.

“Por motivos profissionais e desportivos queria voltar a estar perto de casa, surgiu a oportunidade e aproveitei-a. Este é um clube do qual eu gosto e que aprecio desde novo porque foi aqui que fiz a minha formação. Portanto, dá sempre gosto voltar”, disse ao nosso jornal Carlos Carvalho que não ficou com muitas saudades da sua passagem pelo Sacavenense.

“Não correu da maneira que eu queria. Transferi-me já lesionado e não tive a melhor oportunidade de responder em termos desportivos ao que o Sacavenense pretendia de mim mas o importante era assegurarmos a manutenção no Campeonato de Portugal e o objectivo foi cumprido”.

Em relação ao projecto dos Pescadores Carlos Carvalho emitiu a seguinte opinião: “Sabemos que ao longo dos anos as pessoas [investidores] que querem mudar o futebol têm sentido algumas dificuldades. Mas, vamos acreditar que as coisas vão decorrer da melhor maneira. Têm o nosso apoio dentro do campo e a nível de treino, com a nossa entrega. Esperamos da parte deles que cumpram a sua palavra até ao fim”.

E, tal como Ricardo Aires, também Carlos Carvalho deixou uma palavra aos adeptos. “Aquilo que os jogadores criados na Costa, como é o meu caso, prometem é a entrega total dentro do campo tanto nos treinos como nos jogos para que possamos trazer a massa associativa do Costa para mais perto da equipa para que nos apoie na bancada. Em casa não podemos perder pontos…”




Daniel Guerreiro: “Este é um projecto interessante
porque abrange também os jovens”

Daniel Guerreiro, tem 19 anos, é guarda-redes e está também de regresso aos Pescadores clube que representou nos juvenis, juniores e seniores. Jogou no Vale de Milhaços, Charneca de Caparica e Beira Mar de Almada. Na época passada começou no Paio Pires e terminou no Oriental Dragon, de onde se transferiu agora.

“O Costa sempre foi um clube que mexeu comigo porque joguei aqui nas camadas jovens. Assim que me fizeram o convite aceitei logo porque as pessoas aqui sempre me trataram bem. No meu caso pessoal vou trabalhar para evoluir” prometeu o jovem jogador que considera ser este “um projecto interessante porque abrange também os jovens. O facto de haver aqui pessoal que jogou já a um nível superior é também importante pelo apoio que nos podem dar. É um projecto que cativa os jogadores. Pela minha parte vou tentar dar o meu melhor”, referiu Daniel Guerreiro.




Roger vai ser director desportivo, treinador adjunto
e se for necessário também jogador

Novidade é também a presença de Roger, de 37 anos, que na época passada jogou no Monte de Caparica. Nos Pescadores vai exercer várias funções: director desportivo, treinador adjunto e se for necessário pode dar também o contributo como jogador.


“Para mim, este vai ser um período de transição. Vou deixar um bocadinho o futebol jogado e entrar na parte do futebol escrito, actuando nos bastidores procurando saber e satisfazer as necessidades dos jogadores. Depois de mais de 20 anos a jogar, aceitei este desafio para poder transmitir também um pouco do que aprendi ao longo destes anos. Vou estar nos bastidores para tentar saber o que a equipa precisa para ganhar. Estou optimista em relação a esta época. Estou agora a conhecer o grupo mas creio que temos condições para fazer coisas giras. Vamos formar base. Casa sólida cresce com bases sólidas, é isso que vamos procurar fazer”, disse Roger.

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here