CHARNECA DE CAPARICA»» Rescaldo do jogo da “taça”

Treinador realça atitude da equipa…

“NO FUTURO ESTES JOGADORES VÃO DAR MUITAS ALEGRIAS À MASSA ASSOCIATIVA DO CLUBE””

Foto: João Domingos Galão
O Charneca de Caparica iniciou no passado domingo, em termos oficiais, mais uma época desportiva, e logo com um jogo a contar para a Taça de Portugal, a prova rainha do futebol nacional.

E, porque a taça é sinónimo de festa, foram muitos os charnequenses que se deslocaram ao Estádio Municipal José Martins Vieira para assistirem ao encontro com o Operário (Açores), uma equipa já traquejada nestas andanças, que milita num escalão superior.

O favoritismo estava do lado dos açorianos mas os charnequenses estavam dispostos a lutarem condignamente pelo resultado. E, na verdade assim foi…
Os pupilos de Zé Manuel fizeram um bom jogo e bateram-se muito bem mas acabaram por sair derrotados devido essencialmente à falta de eficácia no momento da finalização porque se o Operário teve algumas oportunidades para marcar o Charneca também as teve…


No rescaldo do encontro, o nosso jornal falou com o treinador da equipa canarinha:


Operário marca de bola parada

Foto: João Domingos Galão
“O resultado não foi o que desejávamos porque a vitória sorriu ao nosso adversário mas em termos de exibição não temos nada a apontar aos nossos jogadores que fizeram tudo o que estava planeado e tacticamente estiveram muito bem. Sofremos o primeiro golo de bola parada por volta dos 35 minutos e, apesar de alguma superioridade que o Operário teve, nós tínhamos o jogo controlado. Na segunda parte entrámos bem e até conseguimos chegar ao golo que foi anulado mas logo a seguir eles fizeram o 2-0 que nos deixou um pouco abalados em termos anímicos”, disse a propósito José Manuel Almeida.

“Tínhamos estudado bem o adversário, daí eu dizer que estivemos bem tacticamente, mas o Operário que é de um campeonato superior ao nosso conseguiu ganhar porque demonstrou ter mais maturidade. Nós, apesar da derrota, conseguimos honrar o emblema que representamos e deixámos boa impressão. Estamos convictos que no futuro estes jogadores vão dar muitas alegrias à massa associativa do clube”, referiu também.


Golo anulado

Foto: João Domingos Galão
Em relação ao golo anulado e ao trabalho da equipa de arbitragem o treinador do Charneca de Caparica, afirmou: “Acredito que o golo tenha sido marcado em posição de fora de jogo. Aliás, a equipa de arbitragem não teve qualquer influência no resultado. Em minha opinião, parece ter apenas exagerado logo no início na amostragem dos cartões amarelos. Provavelmente quis segurar o jogo mas nós nesse aspecto fomos prejudicados”.

Cabeça erguida

Foto: João Domingos Galão
“Saímos de cabeça erguida e com a consciência de que fizemos tudo para honrar a camisola que vestimos. Demos tudo em campo para que as coisas tivessem sido diferentes mas o futebol tem destas coisas. Ganhou a equipa que foi mais eficaz. Na primeira parte o Operário foi lá acima duas ou três vezes e fez um golo mas nós também tivemos algumas oportunidades que não conseguimos finalizar com sucesso”, rematou o treinador José Manuel Almeida.



Constituição da equipa

Nesta partida com o Operário, relativa à 1.ª eliminatória da Taça de Portugal, o Charneca de Caparica alinhou da seguinte forma: Silveira; Bruno, Neca, Hadil, Rui; Daniel (João do Carmo, 78’), Miranda (Carlos Carvalho, 70’), Bambo, Elias; Ivo (Pipo, 60’) e Luís.  

Share on Google Plus