ALFARIM»» Clube crítica momento actual da arbitragem na AF Setúbal

Em causa está a falta de maturidade de muitos árbitros…

“APITAR SENIORES NA 1.ª DIVISÃO DISTRITAL É FÁCIL, DIFÍCIL É SER JOGADOR, TREINADOR E DIRIGENTE”

Como acontece habitualmente em todos os jogos da 1.ª Divisão Distrital, no final de cada um, pedimos sempre declarações aos treinadores, uns entendem que devem falar e outros não e, nós, claro está, respeitamos sempre a opinião de cada um.

Serve isto para dizer que Alfredo Almeida é daqueles que nunca se esquiva, quer ganhe ou perca está sempre disponível mas no último domingo disse-nos que iria fazer chegar as suas declarações por e-mail e na realidade assim foi, só que em anexo às suas declarações chegou também um extenso comunicado da direcção do GD Alfarim que coloca o dedo na ferida sobre algumas situações que se vão passando no seio do futebol distrital, como é o caso da qualidade [ou falta dela] na arbitragem e de algumas decisões do Conselho de Disciplina.

Começamos então pelas declarações do treinador, Alfredo Almeida, sobre o jogo disputado com o Beira Mar de Almada relativo à 6.ª jornada do Campeonato Distrital da 1.ª Divisão.  

O Beira Mar, o Alfarim e os 3 árbitros…

“A equipa do Alfarim na primeira parte construiu, criou e finalizou uma vez com êxito, e duas sem êxito, por mérito também do guarda-redes adversário e foi para o intervalo a ganhar por 1-0, com zero remates do Beira Mar à sua baliza.

Na segunda parte o Alfarim construiu, criou e finalizou, mas desta vez sem êxito, por demérito nosso na hora de finalizar por duas vezes e outras duas novamente por mérito do guarda-redes do Beira Mar; ou seja, o 2-0 esteve bem perto mas infelizmente não aconteceu.

Depois num canto e numa segunda bola o central do Beira Mar remata e Sérgio faz a sua única defesa em todo jogo. O certo é que o Beira Mar venceu porque aproveitou uma perda de bola em zona proibida na nossa defesa e fez o 1-1 e depois num penalti que lhe caiu do céu, fez o 2-1.

Existem inúmeras variantes num jogo de futebol entre elas a eficácia e a sorte, que fazem parte. O Beira Mar teve as duas, nós não. Nesse aspecto parabéns ao Beira Mar que aproveitou aquilo que lhe deram. Aos meus jogadores quero apenas dizer que continuamos de corpo e alma a trabalhar para sermos melhores, naquilo que podemos controlar”


Comunicado da Direcção do GD Alfarim…

“NÃO NOS IREMOS CALAR E MUITO MENOS ACOBARDAR ENQUANTO ESTAS LAMENTÁVEIS SITUAÇÕES PERSISTIREM”

“Sobre a terceira equipa em campo, não queremos falar de lances concretos de futebol porque teríamos de dizer que o miúdo com o pau na mão viu uma bola na mão do atleta do Alfarim que não existiu (temos asimagens claras que mostram a veracidade do dito) mas prontamente marcou penalti, mas o seu colega não viu Bailão ser derrubado, num penalti que ficou por marcar. Não são lances que queremos falar até porque ainda há duas semanas enviámos para a AFS o vídeo que mostra um atleta do Alfarim ser agredido por um adversário e ainda por cima levou dois jogos de suspensão quando o adversário viu apenas amarelo. As imagens não deixam dúvidas mas a AFS até hoje nem sequer se pronunciou, ignorando por completo tudo o que fizemos.


Simplesmente vamos olhar para a floresta em vez de olhar para as árvores e hoje mais um jogo deste campeonato em que o árbitro chegou tarde porque tinha estado a fazer outro jogo, situação que não espanta porque a AFS não tem muitos árbitros e aqui é que está o problema. É esta a parte que nos espanta, pois convidamos e pedimos a todos os jovens para irem para a arbitragem porque vale a pena, principalmente se gostam de futebol e nunca tiveram jeito para dar um pontapé na bola. É um caminho que devem seguir e devem arriscar pois para apitar seniores na primeira distrital é fácil, difícil é ser jogador nesta divisão porque a concorrência e competência é grande e difícil é ser treinador porque a concorrência e competência é de igual forma grande, difícil é ser dirigente, presidente, roupeiro, massagista, isto sim é difícil. Agora ir para o meio do campo com um apito na boca e ir para a linha com uma bandeira na mão está ao alcance de muitos, só têm de querer. Convidamos todos a ir para a arbitragem porque depois são os donos do jogo, fazem o que querem, como querem, e a quem querem, e na próxima semana lá estão outra vez.

São os donos do jogo, fazem o que querem, como querem, e a quem querem, e na próxima semana lá estão outra vez.

Neste mundo da arbitragem estamos a ser injustos para os que têm qualidade, para os que zelam pela arbitragem e por aqueles que respeitam todos os intervenientes no jogo mas a esses não precisamos de pedir desculpa porque este carapuço não é para eles, eles sabem que não (ainda bem que mesmo em minoria estes ainda existem), agora miúdos que não sabem o que fazem, que sistematicamente são arrogantes para os outros e que se fiam na protecção dada pela retaguarda, a esses nós dizemos que um treinador investe dinheiro e tempo da sua vida para melhorar individualmente e para dar um contributo positivo ao futebol, um jogador tem uma aptidão natural para a modalidade e depois tenta melhorar todos dias para ser melhor nestas divisões onde não joga por dinheiro mas por paixão e ambição seja ela qual for, porque a ambição é diferente em qualquer ser humano.


Miúdos como este artista que esteve em Cacilhas, com um apito na boca, devem parar de gozar com pessoas que trabalham arduamente para valorizar algo que se chama futebol. O que ele e os seus assistentes fizeram foi vergonhoso, mas ele foi para casa todo triste porque queria expulsar o nosso treinador e não conseguiu, isso foi visível a todos os que estiveram presentes em Cacilhas. O nosso treinador não lhe deu esse prazer mantendo uma postura séria, correcta, e honesta, ao contrário do chamado árbitro da partida.

Ao miúdo com apito na boca, que nem árbitro lhe podemos chamar, dizemos que a vida é muito mais que um jogo de futebol, não te esqueças disso.

O Alfarim está acima de qualquer treinador, de qualquer jogador ou de qualquer dirigente e merece respeito por parte de todos. Por isso, ao miúdo com apito na boca, que nem árbitro lhe podemos chamar, dizemos que a vida é muito mais que um jogo de futebol, não te esqueças disso.

Estamos num campeonato com excelentes jogadores, excelentes treinadores, excelentes dirigentes, excelentes roupeiros e excelentes massagistas todos na MAIORIA são muito competentes e depois juntamos a este campeonato uma MAIORIA de medíocres rapazes que andam lá com um apito e uma MINORIA de bons árbitros de futebol. É a realidade custe a quem custar!

Clubes de primeira e clubes de segunda

Mas o problema não fica por aqui no nosso descontentamento pois parece que a AFS tem claramente para si clubes de primeira e clubes de segunda no que toca a vários aspectos, inclusive ao pagamento de multas. Os problemas começam no futebol 7 e o exemplo claro disso está numa situação que passamos a relatar:


Quando o GDA joga em casa dois jogos à mesma hora tem como regra pedir GNR para o campo n.º 1 e P.C.S para o campo n.º 2, acontece que mais um artista miúdo com mania que é árbitro chegou ao intervalo de um jogo no campo n.º 2 e disse que se não tivesse policiamento não continuava o jogo. Nós pedimos por especial favor ao policiamento que se encontrava no campo n.º 1 que fosse para o campo n.º 2 e o jogo prosseguiu sem que nenhum incidente tivesse acontecido, mas depois aparecem os clubes de segunda. Para nosso espanto, recebemos uma notificação para o clube pagar uma multa de 25€ e o delegado ao jogo 35€, isto porque aquele miúdo que se diz árbitro escreveu o que lhe apeteceu e ponto final, o Alfarim paga.

Podemos concluir que os problemas estão mais acima dos chamados árbitros e que passam por um Conselho de Disciplina que claramente tem clubes de primeira e clubes de segunda, no que toca ao pagamento de multas.

Por coincidência na semana seguinte num jogo de Juniores, de uma equipa que nos ficaria mal divulgar porque nada tem a ver com a questão, que tinha P.C.S, o dirigente dessa equipa da casa passou todo jogo atrás do árbitro auxiliar sem que uma única repreensão levasse. Só podemos concluir que os problemas estão mais acima dos chamados árbitros e que passam por um Conselho de Disciplina que claramente tem clubes de primeira e clubes de segunda, no que toca ao pagamento de multas.


Logo, só temos um caminho enquanto direcção, pedir às nossas equipas técnicas para trabalharem as equipas para saberem e conseguirem ser melhores em tudo o que podem controlar e nesse ponto está toda a direcção do GD ALFARIM solidária, dando total apoio a todas as suas equipas técnicas porque sabemos que realizam um trabalho sério de muita qualidade e sempre no intuito de valorizarem o futebol a todos níveis, formando e fazendo crescer atletas em todas as componentes a que se propõem, e depois é esperar pelos sábados e domingos que nos apareça um árbitro e não um badameco qualquer com um apito na boca a sentir-se como se estivesse a devorar a última bolacha do pacote. Não nos iremos calar e muito menos acobardar enquanto estas lamentáveis situações persistirem.

Share on Google Plus