BARREIRENSE»» Pedro Amora e o jogo com o Vasco da Gama


Treinador do Barreirense contesta ‘opinião’ do adversário sobre o jogo…

“O VASCO DA GAMA LEVOU AQUI NA VERDERENA UM BANHO DE BOLA”

“Tínhamos noção das dificuldades que iríamos encontrar porque defrontávamos uma excelente equipa, que partiu para este campeonato com outras aspirações mas que de facto, o mau inicio acabou por deitar  por terra o seu desejo.

Penso que entrámos muito bem no jogo com uma boa dinâmica, com bola na procura dos espaços, sempre muito concentrados a nível defensivo, a jogar bom futebol, a criar oportunidades e a fazer um golo sem nunca consentir que a equipa adversária chegasse perto da nossa baliza com bola controlada e fomos para o intervalo a ganhar com cerca de 75% de posse bola, reconhecido pela equipa adversaria na sua "crónica" ao jogo.

A segunda parte foi em tudo idêntica à primeira, nós com bola, a jogar bom futebol, a conseguir criar várias oportunidades para dilatar e o Vasco da Gama com um futebol directo e a procurar nas faltas, através do Márcio, a sua sorte, sem nunca conseguir incomodar.

Um jogo completamente dominado por nós, com momentos brilhantes da nossa parte, provando que é dentro de campo que se joga, e que só por desacerto na hora de finalizar o resultado não foi mais dilatado”.


As opiniões sobre o jogo divergem

"Numa bola directa para a nossa área e após ganhar a segunda bola chega ao golo" - esta frase é a descrição do nosso golo, só pode ser de alguém que com certeza deve ter estado num qualquer campo, em frente a um qualquer continente, que não o da Verderena. 

A propósito desta descrição, deixo em anexo o nosso golo para que cada um possa atestar a credibilidade de quem o descreve desta forma.

O que eu vejo é um hino ao futebol, onde durante dois minutos o Vasco da Gama toca 2 vezes na bola, para aliviar, e o Barreirense com uma posse de bola ("consentida", dizem) domina por completo o adversário até chegar ao golo.


Quanto a penaltis,  deixo também em anexo as imagens do único que há durante o jogo (mais um não assinalado a nosso favor), mas que alguém conseguiu ver na outra área (pela segunda vez digo que me levam a crer que estavam noutro campo).


E como não há duas sem três, em relação à perda de tempo nas substituições, deixo também em anexo um jogador nosso a ser substituído e a sair pela linha mais próxima, perdendo apenas 5 segundos na substituição.

Para finalizar dizer que, apesar de ter ouvido as declarações  (desculpas facilmente desmascaradas com as imagens)  do treinador do Vasco da Gama, não o vi no banco, onde estava?  Porquê?

Talvez no outro tal campo, ao pé de um qualquer Continente, que não o da Verderena, porque aqui na Verderena, o Vasco da Gama levou um banho de bola”.


Share on Google Plus