TAÇA AF SETÚBAL»» PAIO PIRES 2 BANHEIRENSE 2 - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

12 de outubro de 2014

TAÇA AF SETÚBAL»» PAIO PIRES 2 BANHEIRENSE 2

Banheirense esteve muito aquém do esperado…

Paio Pires chega ao empate com alguma justiça mesmo ao cair do pano

O Paio Pires despediu-se da Taça AF Setúbal com um empate na partida que disputou em casa com o Banheirense, finalista vencido da edição anterior. Para a equipa paiopirense este foi também o terceiro empate obtido nos cinco jogos efectuados no grupo B, onde participou juntamente com o Grandolense, Charneca de Caparica, Olímpico do Montijo, Com. Indústria e Banheirense.

No jogo do passado domingo quem entrou melhor foi o Paio Pires que se colocou em vantagem aos 15 minutos pelo inevitável Djá, só que três minutos depois a partida estava de novo igualada com o Banheirense a marcar por Lourenço, de grande penalidade. O Paio Pires procurou reagir mas quem voltou a marcar foi de novo a equipa da Baixa da Banheira desta vez por Rafael, atingindo-se assim o intervalo com o Banheirense a ganhar por 2-1.

Na segunda parte, o Paio Pires foi superior, exerceu algum domínio e teve algumas boas oportunidades para marcar mas o marcador mantinha-se muito por culpa do guarda-redes do Banheirense, Flávio, que brilhou com excelentes intervenções. Apesar da valentia do opositor, os jogadores paiopirenses nunca deixaram de acreditar e no final viram o seu esforço compensado com a obtenção do golo do empate marcado por Flávio Costa mesmo sobre o minuto noventa.

No final, o treinador do Paio Pires mostrava-se satisfeito com os seus jogadores que “na realidade fizeram um bom jogo” enquanto Ricardo Pardal mostrava o seu desagrado pela forma como os seus jogadores actuaram: “foi um dia em que senti vergonha de ser treinador desta equipa”


A OPINIÃO DOS TREINADORES

CARLOS NEVES, treinador do Paio Pires:

“O guarda-redes adversário foi o nosso principal obstáculo”

“Foi um bom jogo contra uma boa equipa. Entrámos bem, criámos oportunidades e fizemos o 1-0. Depois voltámos a sofrer um golo de penalti [já é a terceira ou quarta vez que acontece] e logo a seguir sofremos o segundo golo num erro defensivo que é fruto da inexperiência da equipa e fomos para o intervalo a perder por 1-2. Na segunda parte tivemos maior ascendente e criámos várias oportunidades mas o guarda-redes do Banheirense que fez uma grande exibição, com três ou quatro defesas de qualidade, foi o nosso principal obstáculo. Não estávamos a conseguir concretizar mas ao cair do pano a coroar o empenho e o acreditar dos jogadores acabámos por fazer o 2-2 que foi inteiramente merecido porque fizemos na realidade um bom jogo. Os objectivos para esta competição foram cumpridos porque a equipa foi evoluindo de jogo para jogo. A partir de agora é já a doer e nós sentimo-nos preparados para atacar o campeonato da 2.ª divisão com competência”.


RICARDO PARDAL, treinador do Banheirense:

“Paio Pires merecia os 3 pontos pela vontade e atitude que teve em campo”

“Foi um dia que senti vergonha de ser treinador desta equipa. Lamento profundamente este sentimento, mas foi o que senti. Os meus jogadores não vieram jogar, só vieram passear as camisolas e quando assim acontece não há muito a dizer, a não ser pedir desculpa ao clube e aos adeptos que com grande esforço se deslocaram ao Vale da Abelha, pelo comportamento dos meus jogadores, comportamento esse que é da minha responsabilidade. Tomarei as medidas que achar necessárias, pois este tipo de comportamento não se pode repetir porque a continuar com esta falta de atitude e empenho adivinham-se tempos difíceis e resultados muito negativos. Não reconheço a minha equipa, se as coisas continuarem por este trilho e eu não conseguir invertê-lo, é porque estou a mais e nesse caso o caminho a seguir só pode ser a minha saída. Quando os jogadores não estão com o treinador, a corda certamente partirá pelo lado mais fraco. Por último, uma palavra para a equipa de arbitragem que sob uma pressão constante por parte do adversário (faz parte da estratégia deles) efectuou uma arbitragem muito positiva. Apenas num lance que suscitou alguma dúvida na nossa área, num pretenso penalti contra nós [mas que eu por estar muito longe e do lado contrário não possa dizer muito mais, mas aceito que pudesse ter marcado]. Quando as equipas de arbitragem não pretendem ser protagonistas no jogo, as coisas correm sempre melhor. Portanto, foi uma boa exibição da equipa de arbitragem”.


FICHA DO JOGO

Jogo no Campo Vale d’Abelha, em Paio Pires
ÁRBITRO: André Pagaime (Núcleo do Pinhal Novo), auxiliado por João Martinho e José Vieira

PAIO PIRES: Damas; Neves, Fernando (Rafa, 45’), Caldeira, Tiago Rosa (Iuri, 70’); Moreira (Filipe Pinto, 70’), Nazário, João Vasco (Paulo Fernandes, 45’); Adilson, Djá e Flávio Costa.
TREINADOR: Carlos Neves

BANHEIRENSE: Flávio; José Filipe, Gonçalo, Oliveira, Rafael; Ruben, Márcio, Nelson (Sanches, 60’); Lourenço, Ailton (Nicolau, 60’) e Tiago (Bruno, 60’).
TREINADOR: Ricardo Pardal

Ao intervalo: 1-2
Marcadores: 1-0, Djá (15’); 1-1, Lourenço (18’) gp; 1-2, Rafael (26’); 2-2, Flávio Costa (90’).


Post Bottom Ad

Responsive Ads Here