FUTEBOL FEMININO»» Selecção Distrital Sub16 em 2.º lugar - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

18 de abril de 2018

FUTEBOL FEMININO»» Selecção Distrital Sub16 em 2.º lugar


No Torneio Interassociações disputado em Castelo Branco…
JOGADORAS RECEBEM OS MAIS RASGADOS ELOGIOS PELO SEU DESEMPENHO  

A estrutura directiva da AF Setúbal acompanhou e apoiou de perto os dois dias de competição interassociativa, que decorreu no passado fim-de-semana, em Castelo Branco, da qual resultou mais uma brilhante prestação da selecção distrital de sub16 que alcançou um honroso 2.º lugar e o consequente estatuto de vice campeã da edição 2018 da prova federativa, que envolveu um total de 19 representações associativas.


Orgulho para a região

Francisco Cardoso, presidente da Direcção da AF Setúbal, presenciou o jogo da final e reconheceu que o destacado trajecto da selecção "é motivo de orgulho para o futebol feminino da região e de todo o universo AF Setúbal".

O líder da instituição não hesitou, no final da partida de atribuição do troféu que foi parar às mãos da AF Lisboa, após triunfo por 3-1, em elogiar o comportamento competitivo e social das jovens atletas que vestiram a camisola associativa e que “tão bem souberam honrar os pergaminhos da instituição”.

“Vocês estão todas de parabéns por este desfecho. Esta foi mais uma demonstração da vossa qualidade que é reconhecida e que vai ser reforçada daqui para frente com a conquista de títulos que terão a oportunidade de continuar a justificar, quer nos clubes que representam ou novamente no âmbito da AF Setúbal”, declarou Francisco Cardoso numa mensagem de incentivo perante o valoroso seleccionado.


Exemplo para as gerações vindouras

Na véspera, a representação da estrutura directiva havia ficado a cargo do vice-presidente desportivo, João Aires, que acompanhou os dois jogos e respectivas vitórias que permitiram a chegada à final do torneio.

O dirigente, com pelouro das selecções distritais, salientou que o resultado obtido “é o corolário de um trabalho de qualidade conjunto, patenteado pelas atletas, clubes que representam e equipa técnica distrital”.

“Ser vice-campeã deve ser assumido com grande orgulho, mas com a humildade e a convicção de que muito mais há para ganhar”, registou o dirigente, que deseja que estas atletas sejam um “exemplo para as gerações de formação vindouras, que seguem a evoluir nos nossos clubes filiados e que alimentam, por certo, o objectivo de chegar ao patamar da representação distrital e avançar para as selecções nacionais”.


A cereja no topo do bolo

Por seu turno, Amadeu Mota, director que chefiou a comitiva da AF Setúbal, em Castelo Branco, lamentou o desaire na final, mas assumiu que “foi, de facto, uma grande campanha”.

“Os dois triunfos fantásticos obtidos na fase zonal, que nos colocaram na discussão do troféu, e as duas vitórias registadas nesta fase final mereciam um desfecho ainda mais positivo de um grupo de jovens atletas de muita qualidade e que exibiram um comportamento muito digno dentro e fora da competição”, elogiou, vivamente.

Amadeu Mota não duvida de que “a cereja vai ser, dentro em breve, colocada no topo do bolo”. “A AF Setúbal e os clubes filiados há muito que já justificam ver reconhecido o seu trabalho nesta variante com um título interassociativo”, apontou o director.

Recorde-se que o futebol feminino da AF Setúbal já viu fugir, em três presenças nas finais (2011, 2015 e 2018), o troféu nacional interassociativo.

Fonte: AFS


Post Bottom Ad

Responsive Ads Here