V. SETÚBAL»» Treinador ordena à sua equipa para fazer autogolo

Numa atitude de grande fair play…

ACONTECEU NUM JOGO DE BENJAMINS (B) A CONTAR PARA O CAMPEONATO DISTRITAL DA AF SETÚBAL

No passado sábado quem se deslocou ao Campo da Bela Vista, em Setúbal, para assistir ao jogo de Benjamins B (sub-10) entre o Comércio e Indústria e o V. Setúbal, a contar para a 5.º jornada do Campeonato Distrital, teve oportunidade de presenciar um facto que, não sendo inédito, é no mínimo pouco usual no futebol.

Estamos a falar de um treinador que ordenou aos jogadores da sua equipa para fazerem um autogolo. À primeira pode parecer estranho mas depois de ficar a saber o que se passou certamente ficará com vontade de dar os parabéns ao técnico porque se tratou efectivamente de uma grande demonstração de fair play que muitas vezes anda arredado dos nossos campos de futebol apesar dos muitos apelos feitos nesse sentido.


Mas vamos então aos factos narrados pelo treinador do V. Setúbal, André Vilanova:  

“Numa jogada ofensiva da minha equipa houve um remate à baliza em que a bola bateu na cara do guarda-redes adversário. O menino começou a chorar no chão. Entretanto, como a bola ficou em nosso poder, começámos a trocá-la na zona do meio campo para dar tempo para o árbitro parar a jogada e o menino ser assistido. Isso não aconteceu, nós começámos a avançar no campo e fizemos o golo, já com o guarda-redes fora da baliza e no chão a chorar. Houve muita confusão com os pais dos jogadores da equipa adversária e dos treinadores do Comércio e Indústria a chamarem a atenção do árbitro por causa do guarda-redes estar caído no chão”, conta André Vilanova que no meio da confusão chamou os seus atletas para lhes dizer para fazerem um autogolo porque o que haviam marcado tinha sido obtido de forma injusta.

V. Setúbalmarcou um golo com o guarda-redes adversário no chão a chorar depois de ter levado uma bolada na cara sem que o árbitro tivesse interrompido a partida e o treinador vitoriano ordenou aos seus jogadores que fizessem autogolo porque o que haviam marcado tinha sido obtido de forma injusta 

“Eles concordaram. Falei então com o treinador do Comércio e disse-lhe para nos passarem a bola porque iríamos fazer autogolo. E assim foi. No final do jogo, os dirigentes e os pais dos jogadores do Comércio e Industria agradeceram a atitude e aplaudiram a nossa equipa”, explicou o treinador do V. Setúbal.


"Não me serve de nada ganhar por 10-0 se a minha equipa não sabe o que é o respeito pelo adversário" 


André Vilanova em declarações ao Jornal de Desporto disse que “a principal mensagem que queria passar é que nos escalões de futebol de formação é possível ganhar e formar ao mesmo tempo, tanto que foi isso que aconteceu neste jogo. A mim não me serve de nada ganhar por 10-0 todos os fins-de-semana se a minha equipa não sabe o que é o respeito pelo adversário. 

Poderíamos ter passado uma má imagem do Vitória, que queríamos ganhar a todo o custo, mas não foi isso que aconteceu porque demonstrámos ter um comportamento de fair-play”, realçou o técnico que em relação ao jogo disse ter havido muita emoção e muitos golos e muita contestação ao árbitro. “Não foi fácil gerir as emoções”, afirmou.

Por fim, André Vilanova deixou uma palavra de agradecimento aos meninos pela “entrega que tiveram ao jogo, apesar do ambiente complicado, aos pais pelo esforço em apoiar a equipa todos os fins- de-semana e à minha equipa técnica que está sempre comigo”.

Resta apenas dizer que o jogo terminou com o triunfo do V. Setúbal por 5-4, com 3-3 ao intervalo e que o lance em questão aconteceu aos seis minutos de jogo quando foi aberto o activo.  

Share on Google Plus