TRAFARIA - Polémica no Distrital de Juniores

Trafaria indignado com insinuações
 do treinador de juniores do Alcochetense 

Treinador do Trafaria (na época passada) não estava inscrito
 e ficou na bancada mas é alvo de criticas  por parte do
treinador  do Alcochetense pelo facto de ter ficado na fotografia
  Trafaria e Alcochetense empataram a duas bolas no passado sábado em jogo a contar para a 17.ª jornada do campeonato distrital de juniores, realizado no Campo Pepita, sob arbitragem de Tatiana Martins, do Núcleo de Árbitros de Almada e Seixal.

A insatisfação pelo trabalho da equipa de arbitragem mereceu alguns comentários desagradáveis publicados no facebook do Grupo Desportivo Alcochetense, por parte do seu treinador, Vítor Conceição. E, o Clube Futebol Trafaria por se sentir ofendido com algumas insinuações feitas e acusações que considera graves, por colocarem em causa o seu bom nome, entendeu por bem prestar alguns esclarecimentos.

 Os comentários insultuosos

 “O senhor Vítor Conceição deu-se ao trabalho de ir ao baú, retirar imagens do primeiro jogo de juniores da época passada, disputado em Setembro de 2011. As fotos foram tiradas por alguém ligado à arbitragem e, numa delas, vê-se o nosso treinador na bancada (dado que não havia sido inscrito) por trás do árbitro assistente que foi agora, o árbitro principal do jogo que terminou empatado. Veja-se então o comentário que o referido treinador fez”. Passamos a citar: “Só factos engraçados. Mais uma foto, esta do ano passado da 2.ª Divisão de Juniores em que o Trafaria subiu. Esta era num confronto directo na luta pela subida. Em quem recaiu a escolha? Óbvio! Já agora, para quem não conhecia a árbitra, o treinador do Trafaria ficou bem na foto!” A propósito, o Trafaria esclarece que “venceu o jogo por 2-1, em casa, com o adversário directo, tal como na 2ª volta fez o mesmo, e teve uma inquestionável subida de divisão, juntamente com a melhor equipa do campeonato, o Grupo Desportivo de Alfarim. Opinião unânime e reconhecida por todas as equipas”. Mas os comentários do treinador do Alcochetense não se ficaram por aqui: “ A nossa querida árbitra deste fim-de-semana está aqui presente do lado esquerdo da imagem, precisamente no campo onde este fim-de-semana nos apitou! Curiosidade, o facto de esta foto ter sido tirada por alguém do clube que nos defrontou e ainda referir o facto de serem pessoas próximas da tal árbitra... Assim é difícil...”, pode ler-se também no facebook do GD Alcochetense. Como resposta o Trafaria faz questão de referir que “não tem pessoas próximas da D. Tatiana Martins, nem de qualquer assistente. Provavelmente, neste jogo não refere o resultado porque o Trafaria venceu o Atlético Clube Arrentela por 6-1, foi no ano passado com a árbitra citada, como auxiliar”. Em nossa opinião, “estas acusações só servem para deixar passar em claro a sobranceria que foi demonstrada para com a equipa do Trafaria que na opinião dos jogadores do Alcochetense não era do seu campeonato. Afinal, o resultado conseguido pelo Trafaria parece que incomodou e muito, o senhor Vítor Conceição.Se quiser veja a classificação do Trafaria na Taça Disciplina e compare-a com o Alcochetense, para poder tirar conclusões. Nos últimos 3 anos, o Trafaria ganhou uma, no ano passado ficou em segundo lugar e este ano está nos primeiros”.

 A indisciplina do líder

"A nossa querida árbitra no lado esquerdo da foto que
 foi tirada por alguém do clube que nos defrontou
e por pessoas próximas da árbitra", diz Vítor Conceição.
  Em relação ao jogo, o Trafaria convida Vítor Conceição a apresentar lances duvidosos. “Os golos do Trafaria foram legais, não aconteceram jogadas duvidosas nas áreas, nenhuma expulsão de jogadores foi feita durante o encontro, mas sim apenas no final e para a equipa do Alcochetense, que, talvez incentivada pela indisciplina do seu líder que fora também expulso, não pelo árbitro principal mas sim por indicação do árbitro auxiliar. Esse senhor, nas suas alegações e citações de vergonhosa arbitragem, não apresentou nenhum lance em concreto, porque não existiram”. Portanto, em nossa opinião, “deveria preocupar-se mais, em disciplinar os seus jogadores, por forma a não pontapearem a porta de acesso aos balneários, quando procediam à sua entrada; de não permitir, que entre seus atletas, se assistisse a cenas de pancadaria dentro do balneário; que tivesse a preocupação de não deixar o balneário num estado em que nunca se viu, mais parecendo uma pocilga, tal o lixo deixado pelos atletas no chão; e que não utilizasse vocabulário impróprio, audível em todo o campo, como aconteceu quando dois ou três minutos antes do intervalo abandonou o banco e se dirigiu aos seus atletas dizendo, alto e bom som, vamos lá a despachar, rápido, car…. Na bancada do Trafaria estavam apenas 3 ou 4 pessoas, derivado ao frio, e no campo, não estariam mais de 40, sendo, que, talvez 10 ou 12 pertencessem ao Alcochetense. Logo, não sabemos de que pressão é que fala. Não procure bodes expiatórios nem ponha em causa uma instituição séria com 75 anos de vida”.

 Respeito e dignidade nos insucessos
 não fica mal a ninguém 

 A Direcção do Clube Futebol Trafaria quer deixar bem patente que nada tem contra a instituição Grupo Desportivo Alcochetense, nem contra o director, senhor Pais Correia, presente no Campo Pepita, nem tão pouco o adjunto da equipa técnica que mostrou pelo menos mais disciplina que o seu superior. “O presente esclarecimento pretende apenas ser uma defesa contra ofensas demasiado graves para passar impunes. O senhor Vítor Conceição é livre de criticar a arbitragem. Se não ficou contente, que o faça mas não ponha em causa o bom nome do Clube Futebol Trafaria e do seu treinador porque, nem um nem outro, nada têm a ver com a situação. Se o seu jogador não tivesse enviado a bola à barra nos descontos, e tivesse marcado golo, tudo seria uma maravilha. Mais respeito e dignidade nos insucessos não fica mal a ninguém”.
Share on Google Plus