FUTEBOL FEMININO Tatiana Dinis, do Paio Pires à Selecção Nacional

 Chama-se Tatiana Dinis e tem 14 anos 

Em Paio Pires há uma estrela que brilha a nível internacional

  O Paio Pires Futebol Clube passou a dispor nas suas fileiras, desde o dia 17 de Fevereiro, de uma atleta internacional de futebol. Para o clube do concelho do Seixal este é um momento histórico porque se trata da primeira vez que tal acontece. Tatiana Dinis, lateral direito, de 14 anos, é a protagonista.

A jovem, proveniente de uma família ligada ao desporto rei começou a praticar futebol aos cinco anos e chegou a jogar juntamente com os rapazes no Ginásio de Clube de Corroios, até aos infantis. Depois, porque o regulamento não permite equipas mistas nos escalões superiores, optou pelo Paio Pires porque queria continuar a jogar futebol, seguindo as pisadas de Fernando Torres (Chelsea) que é o seu ídolo.

Aproveitando este momento alto na carreira da atleta e do próprio clube, o nosso jornal deslocou-se ao campo Vale da Abelha onde falou com a jogadora Tatiana Dinis e com o vice-presidente desportivo José Carlos Costa.


 “Quando entrei em campo nem sei o que senti”


  “Desde pequenina que jogo futebol e sempre sonhei um dia poder representar Portugal e envergar o símbolo das quinas. Para mim, a ida à selecção foi a concretização de um sonho e a recompensa pelo trabalho feito até aqui”, disse a propósito Tatiana Dinis que atingiu assim a sua primeira internacionalização no Torneio de Desenvolvimento da UEFA que se realizou em Vila Real de Santo António, no Algarve. “Foi contra a Holanda no último jogo do torneio e o momento foi inesquecível. Quando a treinadora me mandou aquecer, pensei, bom vai ser agora. E, quando entrei em campo nem sei o que senti”, recorda a jovem futebolista que promete trabalhar até ao limite para poder continuar a ser opção para a equipa de todos nós. “Esta chamada às sub-16 significa que tenho valor. Por isso, vou trabalhar com mais intensidade para poder continuar entre as convocadas, chegar às sub-19, e, depois, um dia mais tarde, à selecção principal”, promete Tatiana Dinis que faz parte também, desde a época passada, da selecção distrital. “Sim, é verdade. Já o ano passado integrei a selecção de Setúbal. Ficámos em segundo lugar, coisa nunca antes conseguida. E, este ano, fui chamada novamente”. Relativamente ao Paio Pires e à forma como está a decorrer a sua participação no campeonato de promoção, a nova internacional portuguesa diz que na primeira época as jogadoras sentiram alguma dificuldade porque não se conheciam mas “agora já está a correr melhor e para o ano se continuarmos a trabalhar como até aqui penso que poderemos estar entre a lutar pelos primeiros lugares. Em termos pessoais, a época tem corrido bem porque dou sempre tudo em cada jogo e vou sempre até aos meus limites”.

 “Tenho propostas para jogar noutros clubes” 

 Com esta chamada à selecção nacional surgiram alguns convites por parte de outros clubes. Por isso, o mais provável é que Tatiana Dinis se veja obrigada a enveredar por outros caminhos. “Neste momento, o que posso dizer é que vou acabar a época em Paio Pires. Não vou deixar a equipa porque o clube não merece. Foi aqui que me deram a oportunidade de continuar a jogar e foi graças a ele que consegui ir à selecção de Setúbal e agora à selecção nacional. Mas, para o ano não prometo ficar cá porque já tenho propostas para jogar noutros clubes”, afirmou a jovem jogadora que apesar de actuar como defesa direito esta época já marcou um golo e logo de canto directo. “Foi contra o Arsenal. As minhas colegas estavam todas tapadas e eu tentei a minha sorte. Fiquei muito contente porque não é fácil marcar golos na minha posição e muito menos de canto directo”, disse Tatiana Dinis que explicou também por que se dedicou à prática do futebol e não de outra modalidade. “O meu pai é treinador de futebol, o meu irmão foi jogador de futebol, o meu tio foi director de futebol e eu sempre estive envolvida nestes meios. Como o meu irmão jogava no Corroios e o meu pai treinava lá, um dia decidi experimentar e acabei por jogar até aos infantis. Depois, como o regulamente não permite equipas mistas nos escalões superiores, surgiu esta oportunidade e eu agarrei-a com unhas e dentes. Houve vários clubes de futsal que me convidaram mas como eu nunca gostei de futsal decidi fazer uma pesquisa na Internet onde encontrei a informação de que o Paio Pires estava a formar uma equipa de futebol feminino. Vim, treinei e fui logo aceite”. Tatiana Dinis aproveitou a oportunidade para agradecer à sua família, nomeadamente ao pai, mãe, irmão e namorado, a forma como a têm incentivado a continuar e desvendou também a razão por que é fã de Fernando Torres. “É o meu ídolo. Sempre gostei de o ver jogar, apesar de eu ser defesa e ele avançado. O meu nome no futebol é “Torres”, no Paio Pires, na selecção de Setúbal e na selecção nacional. A técnica que tenho e muitas das fintas que faço, aprendi com ele. Todos os domingos, antes dos jogos, vejo vídeos dele para me inspirar”.

 José Carlos Costa, vice-presidente desportivo: 

 “É uma honra ter uma atleta na selecção nacional”

  Orgulhoso da atleta que vai ficar para sempre na história do clube por ser a primeira internacional enquanto jogadora do Paio Pires, estava o vice-presidente desportivo, José Carlos Costa. “Para o Paio Pires é uma honra ter uma atleta na selecção nacional. Qual é o clube de futebol no concelho que tem um atleta internacional. Para nós, é a valorização do trabalho que está a ser feito no futebol feminino. E, para a Direcção, o concretizar de um sonho que consistia exactamente em ter um atleta internacional. Esperamos que depois da Tatiana outras mais possam seguir as suas pisadas”. Sobre a intenção de formar uma equipa de futebol de 11 feminino, José Carlos Costa diz que foi uma aposta ganha. “Sabíamos que nos primeiros anos não podíamos ter grandes aspirações porque se tratava de um período de aprendizagem. Agora que o projecto está consumado os resultados vão certamente melhorar, até porque há muitas miúdas pelo concelho fora que só agora se aperceberam que existe uma equipa de futebol feminino em Paio Pires”. E, a terminar, uma palavra de apreço para a coqueluche do Paio Pires. “Quero dar os parabéns à Tatiana. Que consiga muitas mais internacionalizações quer seja pelo Paio Pires ou por qualquer outro clube. É uma miúda que merece”.
Share on Google Plus