U. SANTIAGO»» Qualquer paragem tem os seus efeitos adversos - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

22 de março de 2020

U. SANTIAGO»» Qualquer paragem tem os seus efeitos adversos

Luís Raposo, presidente do clube, não está muito optimista....

“PELO QUE SE PERSPECTIVA NÃO É EXPECTÁVEL O REINÍCIO DOS CAMPEONATOS”

A AF Setúbal deve tomar medidas em consonância com os  clubes e com os seus interesses para que ninguém seja prejudicado.



Em entrevista ao nosso jornal o presidente do clube alentejano diz que em termos financeiros os efeitos não são muito negativos porque “se não há receitas também não há despesas” e adianta que “a grande perda é a ausência da actividade desportiva”.

Luís Raposo abordou também a carreira menos boa da equipa de futebol sénior que tem capacidade para se manter na 1.ª Divisão Distrital e por fim apelou à união e solidariedade entre todos, deixando uma mensagem de esperança em relação ao futuro.   

Quais os efeitos que o Covid-19 está a causar no U. Santiago?
Qualquer paragem, suspensão de actividade, tem os seus efeitos adversos e contraproducentes, nomeadamente financeiros, como a redução de receita, desportivos, como a inactividade de competição, causando nos atletas perda de rotina competitiva e forma física. No entanto também existe a outra face da questão, que é a redução de despesas, que permite equilibrar a balança financeira do clube, nomeadamente, a inexistência de taxas de jogos, policiamento, despesas com subsídios a jogadores, com deslocações, para além de outros custos inerentes à actividade desportiva. Em termos financeiros o União SC, não tem grandes perdas, muito pelo contrário, não há receita mas também não há despesa que seja superior à receita. No entanto a grande perda e aspecto negativo é a ausência de actividade desportiva e competitiva para o clube e para os atletas.



O clube transmitiu alguma mensagem aos seus jogadores quando comunicou a suspensão das provas?
Sim, teve-se a preocupação imediata de informar todos os atletas, através das suas equipas técnicas e dos canais oficiais do clube, nomeadamente através da sua página social Facebook. Houve também a preocupação em divulgar o Comunicado Oficial da AF de Setúbal sobre a suspensão dos campeonatos, bem como as medidas preventivas perante o Covid19.

Tem havido algum plano de trabalho para os jogadores manterem a sua forma física?
Foi dada a indicação pelos treinadores aos jogadores de todos os escalões, orientações no sentido de exercitarem e manterem a actividade física, de forma a não haver uma quebra física muito acentuada.

Qual a sua opinião sobre os campeonatos e o que poderá vir a acontecer?
Em minha opinião o quadro competitivo está terminado. Pelo que se perspectiva até ao final de Maio, não é expectável o reinício dos campeonatos. Penso que a melhor solução para todos os clubes, é a AF de Setúbal como entidade responsável e organizadora de todo o quadro competitivo Distrital, tomar medidas em consonância com os clubes, que vá de encontro aos interesses dos clubes sem prejuízo dos mesmos, ou seja, encontrar soluções equilibradas e justas para todos. Tenho uma opinião muito particular sobre esta matéria.


Pré-época conturbada


O U. Santiago tem andado pelo fundo da tabela e ainda não está livre de perigo. Por que razão isto aconteceu?
O União SC passou por uma fase conturbada no início da pré-época desportiva. Tínhamos um plantel praticamente concluído, forte e com qualidade, mas com a saída de Pedro Duarte do comando da equipa e cumulativamente com a saída de jogadores, criou-se uma lacuna de treinador e jogadores que teve de ser resolvida no imediato, muito perto do início do campeonato, que originou uma corrida contra o tempo, para recuperar e recuperar o plantel dentro das possibilidades logísticas e financeiras do clube. Obviamente que estes constrangimentos, criaram instabilidade no seio da equipa o que levou com que o início do campeonato não fosse da melhor forma. Aliado a esta situação, tivemos também falta de sorte, fizemos bons jogos, os jogadores correspondiam em campo, mas faltou eficácia na finalização, oportunidades que a equipa não conseguiu aproveitar, tudo consequência da instabilidade e do desespero da falta de resultados positivos vivenciada pelos jogadores. No entanto, temos um plantel modesto, com qualidade demonstrada em campo e com capacidade para militar na 1.ª Divisão Distrital.

Quer deixar alguma mensagem ou acrescentar algo mais ao que foi dito?
Neste momento particular e difícil para todos nós e em especial para os clubes, dirigentes, equipas técnicas, atletas e seus familiares, quero deixar uma mensagem de esperança, confiança e de serenidade perante este momento crítico que estamos a viver, apelando a todos à união e solidariedade, colocando as nossas divergências de lado e centrar os nossos esforços no combate a esta pandemia, para que possamos voltar ao activo da nossa actividade social e desportiva. À AF de Setúbal, peço apenas responsabilidade social para com os seus associados, os clubes.

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here