VITÓRIA DE SETÚBAL»» Próximo objectivo é ser campeão - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

terça-feira, 22 de junho de 2021

VITÓRIA DE SETÚBAL»» Próximo objectivo é ser campeão

 

 

Na final com o Monte de Caparica…


 

“VAMOS ENTRAR EM CAMPO COMO FAZEMOS SEMPRE, COM O OBJECTIVO DE GANHAR”

 



Treinador Paulo Martins está optimista e adianta que os setubalenses querem dignificar o emblema  que trazem ao peito.


 


“Conseguimos o grande objectivo que era subir de divisão. Foi um trajecto muito difícil mas se olharmos para os resultados que fizemos [seis jogos nesta fase, com 16 pontos, 19 golos marcados e um sofrido, e na outra fase, um empate e duas vitórias também só com um golo sofrido], acho que somos justos vencedores e ao mesmo tempo prova que as nossas ideias estavam certas”, começou por referir ao nosso jornal Paulo Martins, o treinador da equipa que revelou ser a mais competente da Série A do Campeonato Distrital da 2.ª Divisão.




 


A caminhada para o sucesso


Num breve balanço sobre aquilo que foi a caminhada da equipa vitoriana no campeonato, Paulo Martins refere que o Vitória tentou praticar sempre bom futebol mas houve também outras equipas que estiveram muito bem.  

“Nós, encarámos este campeonato jogo a jogo, ficámos isentos na primeira jornada, ou seja, começámos com menos três pontos que as equipas vencedoras. Logo a seguir defrontámos o Comércio Indústria que tem uma equipa muito boa, com miúdos que discutem o resultado, vencemos esse jogo e isso foi muito importante. Seguiu-se o Lagoa da Palha que vencemos por margem bem dilatada devido à forma séria como encarámos o jogo, porque às vezes o facilitismo leva-nos a retardar as coisas. No Samouco fizemos talvez um dos nossos melhores jogos e na jornada seguinte, numa semana muito difícil para nós, porque não pudemos contar com quatro ou cinco jogadores que costumavam ser titulares, ganhámos ao Botafogo. Mas, a grande rampa de lançamento foi o jogo que disputámos nos Brejos de Azeitão contra um concorrente directo, não ganhámos é certo mas também não perdemos, e fomos para a última jornada, para o jogo com o Sonho XXI, dispostos a alcançar o objectivo”.  


 


Equipa construída em tempo recorde

 


Trabalho foi a palavra de ordem e aí ninguém falhou, todos deram o máximo e no fim saíram compensados porque conseguiram realmente o que queriam, mas Paulo Martins recorda as dificuldades que sentiu de início.   

 “Olhando para trás temos que ver que esta equipa começou a ser construída na semana em que começou o campeonato. Nessa altura não tínhamos sequer um único jogador contratado enquanto outros já tinham quatro e cinco semanas de trabalho na pré-época. Formámos a equipa e entrámos bem frente ao Banheirense, depois fomos empatar ao Botafogo e ganhámos ao Comércio Indústria, quando estávamos mais entrosados o campeonato parou e isso complicou um pouco a nossa missão mas depois voltámos e nunca fugimos ao trabalho. Os jogadores tiveram um grande sentido de responsabilidade e quando regressámos nenhum deles veio com peso a mais e isso acabou por facilitar o nosso processo. Depois, a mensagem que transmiti aos jogadores foi que não podíamos tirar o pé do acelerador porque não havia espaço para recuperar de algum percalço que pudesse haver e na verdade eles foram exemplares”.  



 


Duas subidas de divisão e 39 jogos sem perder


 

Depois de na época passada ter subido de divisão com o Águas de Moura, Paulo Martins voltou a sentir a sensação desta vez ao serviço da equipa sadina e a juntar a isto há ainda o pormenor de estar há 39 jogos consecutivos sem sofrer qualquer derrota.

“Para mim isso é um motivo de orgulho. É de facto a segunda vez consecutiva que consigo subir de divisão em dois clubes diferentes e em dois projectos iniciados basicamente do zero. Isto vem de encontro à ideia de jogo que tenho mas também à qualidade dos jogadores que me acompanham e à competência de toda a equipa técnica. Fico contente porque são já 39 jogos seguidos sem perder, se não é recorde associativo não deve andar muito longe disso”.

 

Para o jogo da final com o Monte de Caparica que vai decidir quem será o campeão, o treinador do Vitória Futebol Clube considera que “há 50% de hipóteses para cada lado mas nós vamos entrar em campo como fazemos sempre, com o objectivo de ganhar porque queremos dignificar o emblema, de um clube com 110 anos de história, que trazemos ao peito, mas para isso vamos ter que trabalhar muito porque do outro lado vai estar certamente uma equipa que tem o mesmo objectivo e que ficou também em primeiro lugar na outra série, sem derrotas”.

 

loading...

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here