MONTIJO»» David Martins fala da sua passagem pelo Olímpico - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

22 de maio de 2019

MONTIJO»» David Martins fala da sua passagem pelo Olímpico

Sempre teve o apoio das pessoas do Montijo...

“FORAM TRÊS ANOS DE ENORME SATISFAÇÃO PESSOAL E GRANDE CRESCIMENTO”

Treinador já teve alguns convites que recusou mas mostra-se disponível para abraçar outro projecto que permita dar continuidade à sua carreira, alcançar outro desafio e outros objectivos.

  

Quais as razões que contribuíram para a saída do Olímpico?
Foi uma decisão pessoal que coloca um ponto final em três anos de enorme desgaste e de enorme exaustão. Porque, como é público, houve nesse período de tempo algumas peripécias. Esta época acabou por ser ligeiramente diferente principalmente após a criação da SAD que assumiu a parte mais profissionalizada do futebol que veio trazer mais estabilidade em termos financeiros. Nas épocas anteriores vivemos momentos muito conturbados e muito difíceis do ponto de vista da gestão do grupo, das expectativas e dos objectivos que só foram conseguidos devido ao mérito de todas as pessoas que trabalharam comigo, incluindo naturalmente os jogadores que formaram os vários plantéis.


Apesar de todas essas dificuldades fica a ideia de ter sido muito positiva a passagem pelo Montijo?
Do ponto de vista pessoal foi uma enorme aprendizagem. Foram três anos de enorme satisfação pessoal e de crescimento, enquanto treinador. Sinto que estou neste momento muito mais preparado enquanto treinador do que estava no primeiro dia em que cheguei ao Olímpico e isso deve-se a todas as situações pelas quais passei. Sempre tive o apoio das pessoas do Montijo, especialmente da sua massa adepta que desde a primeira hora se mostrou solidária comigo e com todas as situações que fomos vivendo. Também nos ajudaram de alguma forma a ultrapassar as dificuldades com apoio constante que davam. Sempre nos acompanharam para todo o lado, isso é também motivo de satisfação e orgulho.


Satisfação pelo trabalho desenvolvido

O objectivo era a manutenção e isso foi conseguido mas na ponta final do campeonato parece ter havido alguma instabilidade porque os resultados não foram os melhores…
Sim, de facto houve alguns resultados menos conseguidos como foi o empate em casa com o Angrense e as derrotas consentidas com o Louletano e o Armacenenses que não estavam nas nossas previsões. De qualquer parte, creio que fizemos um campeonato regular. Perdemos pontos e jogos com equipas que ficaram maioritariamente à nossa frente na tabela classificativa. Tivemos apenas três derrotas com adversários que vão abaixo de nós, tivemos também um ou outro empate com equipas que já estão despromovidas. E aí, sim, se calhar foi a parte mais negativa do nosso percurso no campeonato porque não fomos tão competentes como deveríamos ter sido. De qualquer forma fiquei muito satisfeito com o percurso e com o trabalho desenvolvido por todo o grupo de trabalho, todos os jogadores e staff técnico.

Falando de jogadores há um ou outro que se foi destacando ao longo da época, sendo um deles Beto que chegou a ir a França fazer testes no Lille. Acreditas que ele pode vir a dar o salto para um clube de maior dimensão?
Ele tem todas as características para isso e um grande potencial. O miúdo fez um percurso incrível. Esta foi a primeira vez que disputou o Campeonato de Portugal, veio do Distrital de Lisboa, jogava no Tires. Apareceu no início do campeonato para fazer testes e nós assim que o vimos entendemos que tinha qualidades muito boas e características que poderiam ser potenciadas. O campeonato correu-lhe bem e teve mérito nisso mas será bom lembrar também o colectivo e o trabalho de todo o grupo que o ajudou a potenciar as suas características e permitiu que ele tivesse este destaque devido aos golos que marcou. A velocidade que apresenta, estatura física, capacidade de finta e compromisso defensivo que mostra em todas as dinâmicas de jogo, mesmo sendo ponta-de-lança, são factores muito importantes no futebol moderno.


Fase de expectativa

E o teu futuro como treinador qual vai ser?
Neste momento estou numa fase de expectativa. Já surgiram alguns convites que recusei. Vamos ver o que o futuro nos reserva, mas estou disponível para encarar outro desafio e outro projecto que permite dar continuidade à minha formação enquanto treinador e poder também de alguma maneira estar no contexto que permita ter outro tipo de objectivos e outras condições de trabalho para tentar dar outra perspectiva de carreira no meu percurso de treinador.

E isso pode passar por um clube do mesmo campeonato ou de outra divisão?
Dependerá sempre das situações que surgirem, com o óbvio. A minha ideia passa em primeiro lugar por este campeonato ou eventualmente de um patamar acima, mas isso não depende exclusivamente de mim, mas da possibilidade de existirem convites ou propostas nesse sentido.

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here