VALE DE MILHAÇOS»» Desiludido e triste com o que se passou nas meias-finais do Campeonato da Fundação Inatel…

Treinador Ricky Nelson indignado com a equipa de arbitragem…

“PARA ALÉM DE TER COMETIDO ERROS GROSSEIROS FALTOU TAMBÉM AO RESPEITO AOS JOGADORES E AO CLUBE”


O Vale de Milhaços, que nas últimas três épocas se havia sagrado campeão distrital da Fundação Inatel, tinha como objectivo para esta temporada a conquista do tetra, objectivo que falhou porque foi eliminado nas meias-finais pela Juventude Melidense num jogo em que foram muitas as razões de queixa.

Ricky Nelson, treinador que dá especial importância à disciplina e ao respeito, era um homem desiludido no final do encontro principalmente com a equipa de arbitragem que terá cometido erros grosseiros com influência directa no resultado e comentários pouco abonatórios de pessoas que exercem ou devem exercer o papel de juiz.

No final de uma época desgastante onde exerceu funções em dois clubes e competições diferentes [Amora, como treinador estagiário na equipa de juvenis, no campeonato nacional e Vale de Milhaços, na Fundação Inatel], Ricky Nelson mostra-se satisfeito e ao mesmo tempo confiante em relação ao seu futuro como treinador.



“Eliminados num jogo onde fomos claramente superiores”


O Vale de Milhaços que realizou uma época exemplar foi eliminado no jogo das meias-finais. O que é que falhou?
Desde logo, não queria deixar de felicitar o campeão Melidense pela sua conquista. Agora, respondendo à sua pergunta, é verdade que fizemos um grande campeonato, só não digo fantástico porque não conseguimos atingir o nosso principal objectivo que era sermos campeões. Mas, como referiu, fomos eliminados, num jogo onde fomos claramente a melhor equipa em campo, tendo dominado todos os momentos do jogo. No entanto, em minha opinião, não fomos inteligentes o suficiente. Porém, e sem querer arranjar desculpas, falhou também a nomeação da equipa de arbitragem porque a que esteve presente não teve capacidade para acompanhar a maioria das jogadas e cometeu erros grosseiros que tiveram influência directa no resultado final. Isto para além do antijogo feito pela equipa adversária, que fez o seu papel, mas claro com a permissão da equipa de arbitragem que não o deveria ter permitido.


“Neste jogo senti que não fomos respeitados”


Ficou desiludido com o que se passou?
Claro que me sinto desiludido e triste, porque desde que cheguei aqui a disciplina e o respeito sempre foram o principal foco e neste jogo senti que não fomos respeitados, porque para vencer tem que haver disciplina e depois porque houve declarações por parte da equipa de arbitragem que me deixaram bastante incomodado, como por exemplo:  "vocês não podem ganhar sempre os outros também têm que vencer".  Quando cheguei os árbitros lutavam contra a indisciplina da equipa e agora lutam para nos ver perder e, isso, só me deixa orgulhoso do trabalho que temos vindo a realizar. Aliás, quando cheguei ao clube, a direcção preferia a disciplina às vitórias mas com o trabalho e mérito de todos conseguimos conciliar as duas coisas.


“Foi uma época desgastante mas gratificante”


Calculo que esta tenha sido uma época desgastante para si porque exerceu funções em dois clubes e em competições diferentes...
Sim é verdade, foi uma época bastante desgastante mas gratificante porque tenho aprendido e desfrutando ao máximo do estágio. Conheci pessoas fantásticas que respiram futebol todos os dias e agradeço a Deus a oportunidade que o Mister Paulo Correia me deu. Não só tenho crescido muito como treinador, mas também como pessoa.


“Espero encontrar um bom projecto”


E na próxima época como vai ser, já pensou nisso?
Agora quero desfrutar dos últimos dias do estágio e depois tirar uns dias de férias para descansar. Só depois disso vejo o que Deus tem para mim. Espero, claro, encontrar um bom projecto, onde possa continuar a crescer e a fazer o que mais amo, de preferência na Distrital, mas não estou obcecado com isso porque mais tarde ou mais cedo, vou chegar lá com trabalho e humildade.

Share on Google Plus