CICLISMO»» Equipas precisam muito de disputar a Volta a Portugal - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

sexta-feira, 26 de junho de 2020

CICLISMO»» Equipas precisam muito de disputar a Volta a Portugal

Director da LA Alumínios-LA Sport, não tem dúvidas…


“SE A VOLTA FOSSE CANCELADA O CICLISMO PORTUGUÊS IRIA TER DANOS IRREVERSÍVEIS” 



As equipas portuguesas "precisam muito" de disputar a Volta a Portugal em bicicleta, adiada pela organização para data a determinar, realçou o director desportivo da LA Alumínios-LA Sport, Hernâni Broco.


O líder da equipa do escalão continental profissional, sediada em Pinhal de Frades, no concelho do Seixal, frisou que a prova, cuja 82.ª edição iria decorrer entre 29 de Julho e 9 de Agosto, é a "montra principal do ciclismo português", da qual várias formações dependem para manter a actividade.


"As equipas precisam muito deste evento. Se for realizado em Setembro, será um mal menor. Se fosse cancelado, o ciclismo português iria ter danos irreversíveis", afirmou.


Responsável pela LA Alumínios-LA Sport desde 2018, Hernâni Broco vincou que o "patrocinador máximo" da equipa, Luís Almeida, quer vê-la na estrada em 2021, mas avisou que as "dificuldades económicas" que se esperam no próximo ano, na sequência da pandemia de covid-19, podem afectar outras formações.

Hernâni Broco

"Nas equipas nacionais em que o marketing é o principal retorno, este é um ano completamente novo. Com as dificuldades económicas que provavelmente vão surgir em 2021, há equipas que podem ficar afectadas. Se uma fica afectada, todas ficam", disse.


O antigo corredor vincou ainda que a LA Alumínios-LA Sport tem um bloco formado por elementos como Emanuel Duarte, vencedor da camisola da juventude em 2019, Bruno Silva e André Ramalho, que lhe permite ambicionar, pelo menos, a vitória numa etapa da próxima Volta a Portugal.


"Os nossos atletas estavam na serra da Estrela, com uma preparação avançada. A fasquia, no ano passado, foi bastante alta. Andámos com a camisola azul [prémio da montanha] e a vitória no prémio da juventude. [Os objectivos] passavam também por essas classificações. Mas conseguir uma vitória de etapa era um marco importante", realçou.



Troféu Joaquim Agostinho confirmado entre 18 e 20 de Julho

 

A União Desportiva do Oeste confirmou hoje a realização da 43.ª edição do Troféu Joaquim Agostinho em bicicleta entre 18 e 20 de Julho, um dia depois de a Volta a Portugal ter sido adiada.

O Grande Prémio Internacional de Torres Vedras - Troféu Joaquim Agostinho é a prova portuguesa há mais anos inscrita no calendário internacional de ciclismo.

A prova vai ter este ano menos um dia, correndo-se em três, ao invés dos habituais quatro. As três etapas somarão 331,6 quilómetros, distribuídos entre um contra-relógio individual, uma etapa em linha, com possibilidade de chegada ao ‘sprint', e uma etapa com final em montanha.


Post Bottom Ad

Responsive Ads Here