ÁGUAS DE MOURA»» Reacção à decisão do Conselho Jurisdicional

Convicto da causa que defende...

CLUBE VAI CONTINUAR A PROCURAR PELOS MEIOS DISPONÍVEIS A REPOSIÇÃO DO QUE CONSIDERA SER A VERDADE DOS FACTOS

O Clube Desportivo e Recreativo Águas de Moura reagiu à decisão do Conselho Jurisdicional da AF Setúbal, através de comunicado oficial que publicamos na íntegra:

“Dado o Conselho Jurisdicional da Associação de Futebol de Setúbal ter finalmente proferido a sua decisão sobre o protesto apresentado pelo CDR Águas de Moura e terminada, por agora, esta fase, vimos então nos prenunciar oficialmente sobre todo este caso.

O CDR Águas de Moura ao detectar uma irregularidade grave apenas fez o seu dever, que foi protestar e informar a Associação de Futebol de Setúbal sobre o que se estava a passar.


Ao contrário do que muito se tem dito nas redes sociais, o CDR Águas de Moura nunca pediu a derrota do Quintajense nem tentou ganhar pontos na secretaria. Apenas pediu que fosse aplicado o regulamento e que o jogo fosse repetido, pois que, o mesmo decorreu de forma irregular.

Pedimos e continuamos a achar que tal deveria ser feito, mas o Conselho de Jurisdição assim não o entendeu.

Certos e convictos da causa que defendemos, o CDR Águas de Moura continuará a procurar pelos meios disponíveis ao seu alcance a reposição do que considera ser a verdade dos factos.

Tendo o Conselho de Jurisdição da AFS considerado provado todos os factos, alega no entanto que os dirigentes do CDR Águas de Moura deveriam ter obrigado o árbitro no início do jogo a escrever no seu relatório que estávamos a jogar sobre protesto. Como se pode obrigar um árbitro a escrever, é a questão? Não havia policiamento ou ARD, para onde pudéssemos recorrer, como fazer?


O Sr. Árbitro foi avisado antes, durante e no fim do jogo e nada escreveu no seu relatório, mas uma coisa é certa ele não conseguiu escrever que estava lá a segurança adequada para o jogo e sabia muito bem que não podia dar o jogo. Tudo isto é muito estranho.

Uma coisa é certa, o CDR Águas de Moura irá pedir nos órgãos competentes da Associação de Futebol de Setúbal que sejam divulgados a todos os clubes associados o resultado do inquérito interno, se é que existe, sobre como foi possível durante tantos jogos tanta gente falhar, quer os árbitros, quer quem analisa os relatórios dos árbitros e quais as consequências daí tiradas.

Que fique aqui uma reflexão para todos os clubes associados, o que está a acontecer agora com o Aguas de Moura, poderá vir a acontecer com qualquer outro clube, quer seja esta ou outra matéria. O CDR Aguas de Moura não se revê neste tipo de actuação. Algo tem que mudar”.

A direcção CDR Águas de Moura

Share on Google Plus