COVA DA PIEDADE»» SAD disponível para rever contractos



Director-geral, Edgar Rodrigues…

“ESTAMOS AQUI PARA ESTABELECER CONVERGÊNCIAS, ACALMAR AS 'ÁGUAS' E APELAR AO BOM SENSO”

A SAD do Cova da Piedade esclareceu que continua disponível para rever os contractos em vigor com o clube, conforme estipulado pelo acordo judicial obtido entre as duas partes em Março.

À margem de uma sessão de esclarecimento aos sócios, realizada na sede social da SAD, o director-geral, Edgar Rodrigues, revelou que os advogados de ambas as partes acordaram estender até quinta-feira o prazo daquela sociedade para apresentar a sua proposta de alteração, que havia expirado no dia 20 de Abril.

"Não estamos aqui para apontar o dedo a ninguém, mas sim para estabelecer convergências, acalmar as 'águas' e apelar ao bom senso e responsabilidade dos órgãos sociais do clube", disse o dirigente.

Para a SAD, o mais importante nesta fase é a "estabilidade da equipa profissional", que se encontra envolvida na luta pela manutenção na II Liga portuguesa, sendo que o foco deve ser virado para a resolução das divergências ", depois de garantir o objectivo".


Nesse sentido, Edgar Rodrigues apontou uma alínea do acordo judicial que refere que, "após a revisão dos acordos, as partes comprometem-se a acertar as divergências financeiras" para reforçar a posição da SAD face às alegadas dívidas apontadas pelo clube.

Não obstante o apelo à serenidade, o dirigente reforçou que apenas no sábado de manhã foi confrontado pela Federação Portuguesa de Futebol com a intransigência do Cova da Piedade, que impediu a equipa de sub-23 da SAD de utilizar o Estádio Municipal José Martins Vieira para o jogo da Liga Revelação, frente ao Vitória de Setúbal.

"O primeiro contacto foi feito nesse momento pelo Dr. João Morais e a FPF foi inexcedível nos seus esforços para alterar o local do jogo", sublinhou Edgar Rodrigues.

Share on Google Plus