BARREIRO»» Dérbi da cidade continua a fazer correr muita tinta

Treinadores dizem o que lhes vai na alma…

ALFREDO ALMEIDA E JORGE PRAZERES EMITEM A SUA OPINIÃO SOBRE O JOGO E AS SUAS INCIDÊNCIAS


Alfredo Almeida tece duras críticas à arbitragem e enaltece a solidariedade que sempre existiu entre os seus jogadores. Jorge Prazeres realça a qualidade da sua equipa e lança algumas “farpas” aos adversários.



O dérbi disputado no passado domingo entre o Barreirense e o Desp. Fabril continua a dar que falar devido às incidências do próprio jogo que geraram alguma polémica causada essencialmente pela expulsão de Crisanto, aos 4 minutos, que deixou o Barreirense reduzido a 10 jogadores a partir dessa altura.

O nosso jornal, em jeito de rescaldo ouviu os dois treinadores que falaram do jogo e não só.


Alfredo Almeida critica arbitragem

Alfredo Almeida começou por abordar o jogo da seguinte forma: “Estiveram em campo três equipas. O Fabril com muita qualidade e competência, recheado de bons jogadores, que procurava apanhar o Barreirense na tabela classificativa; o Barreirense que se tem mostrado muito forte e procurava aumentar a vantagem sobre o adversário; e a terceira equipa, a de arbitragem chefiada por Tiago Rodrigues”.

E, numa breve análise ao desempenho de cada uma delas referiu que “o Fabril soube estar ao nível do jogo, aproveitou da melhor maneira a vantagem que teve a partir dos cinco minutos, tirou partido disso, e está de parabéns. O Barreirense viu-se privado de uma unidade logo no início do jogo mas, mesmo com 10 jogadores, nunca, em momento algum, abdicou de duas coisas, do carácter e da solidariedade. Quanto à terceira equipa quero dizer que o Tiago Rodrigues não tem competência para ser árbitro de futebol como vem mostrando semana após semana e, quando falo em competência dou como exemplo um treinador que não pode ser só bom no treino ou em jogo, mas também na gestão. E, o mesmo deve acontecer com um árbitro de futebol que pode ser muito bom nos testes escritos mas se não tiver tudo o resto, nada vale”.

E, o técnico do Barreirense foi ainda não contundente nas suas críticas. “Se eu fosse árbitro e estivesse protegido por quem ajuda a gerir a arbitragem em Setúbal dentro da Associação, talvez me tornasse um árbitro arrogante, prepotente e com a mania da superioridade. Poderia estar mal acompanhado de auxiliares, porque isso não iria interessar, pois estava sempre mais perto da subida que os meus colegas, por ter uma retaguarda bem protegida. Não estou a dizer que isto acontece, apenas coloco esta ideia”.

Por fim, Alfredo Almeida deu os parabéns à massa adepta do FCB pela união demonstrada para com a equipa, durante os 94 minutos. “Mesmo a perder nunca se deixou de fazer ouvir e nunca deixou de aplaudir. Os adeptos do FC Barreirense são fantásticos e mereciam outro jogo mas esta equipa vai voltar a dar-lhes muitas alegrias, como já aconteceu esta época”

 

Jorge Prazeres diz que ganhou a melhor equipa


Jorge Prazeres, treinador do Fabril, por sua vez começou por falar da importância do resultado que lá mais para a frente “pode ajudar no confronto directo”. Quanto ao jogo, não tem dúvidas “ganhou a melhor equipa”. 

“É evidente que jogar contra 10 não é a mesma coisa que jogar contra 11 mas justificar o que se passou em campo com os árbitros, é a parte mais fácil. Eu também já me queixei mas tenho imagens que comprovam os erros e nos primeiros seis jogos da época sofremos cinco penaltis e no que respeita a expulsões também já vamos na quinta. Temos o melhor ataque e a melhor defesa do campeonato portanto temos que ter algum valor, não podem ser apenas os árbitros que nos estão a levar ao colo, como andam por aí a dizer. O grupo tem valor, competência e tem tido um excelente desempenho. É por isso que estamos no topo da classificação de um campeonato como há muitos anos não era disputado com três equipas igualadas na frente e mais algumas com possibilidade de lá chegarem porque têm jogos em atraso”, realçou Jorge Prazeres que emitiu também a sua opinião sobre uma outra situação relacionada com a competição.

“As pessoas deveriam preocupar-se com o Cova da Piedade que está a desvirtuar este campeonato porque pode utilizar jogadores que estão a competir noutros campeonatos. Sei de fonte segura que daqui a duas semanas é isso que vai acontecer quando jogarem contra o Fabril. É absolutamente incrível que isto possa acontecer. Era nisto que os treinadores deveriam pensar em vez de andarem somente a criticar o Fabril e os árbitros”.  

E a finalizar deixou ainda mais alguns reparos. “Esta é a primeira vez que disputo este campeonato e não compreendo a forma como os adversários jogam contra nós nem a linguagem que alguns treinadores utilizam em relação à minha pessoa. Eu ouvi declarações do treinador e de um jogador do Vasco da Gama que não esqueço, um dia vou dar a resposta E, no domingo o mister Alfredo também não teve respeito absolutamente nenhum nem para mim, nem para as pessoas que trabalham no Fabril”.


Share on Google Plus