JOSÉ ALEXANDRE BRUNO»» Viveu experiência incrível na Ucrânia - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

quarta-feira, 29 de setembro de 2021

JOSÉ ALEXANDRE BRUNO»» Viveu experiência incrível na Ucrânia

 

Passou duas vezes pelo Moitense…



NO REGRESSO A PORTUGAL MOSTRA-SE DISPONÍVEL PARA ABRAÇAR NOVO PROJECTO

 


Foi adjunto de Bruno Lage na formação do Benfica, coordenou vários projectos de formação no nosso país e no estrangeiro e também já trabalhou no futebol sénior.

 



José Alexandre Bruno, de 46 anos, é treinador de futebol, passou pela equipa sénior do Moitense na época de 2018 / 2019, mas o seu percurso começou muito antes, precisamente no mesmo clube há 20 anos.

 

Depois ingressou na formação do Sport Lisboa e Benfica onde foi adjunto de Bruno Lage nas equipas de sub-15 e sub-17, passou pelo Bloemfontein Celtic Football Club da África do Sul, Academia Sporting da Moita e Estoril Praia na formação e no futebol feminino. 


 


Entre 2019 e 2021esteve na Ucrânia a coordenar a Academia do Sport Lisboa e Benfica em Cracóvia onde viveu uma experiência que considera incrível.

 

Terminada a sua missão regressou a Portugal disposto a prosseguir a sua carreira e mostra-se disponível para abraçar novos projectos, quer na área da coordenação ou a nível de seniores porque respira futebol.  

 

Na entrevista que concedeu ao nosso jornal José Alexandre Bruno fala essencialmente da sua recente passagem pela Ucrânia e daquilo que pretende para o seu futuro.  

 

 

“O maior desafio da minha vida”

 


Ultimamente esteve ligado à Academia do SL Benfica em Cracóvia, na Ucrânia. Quer falar-nos desta sua experiência?

Foi uma experiência incrível. Outra cultura, outra forma de ver o futebol. Trabalhei com grandes ex-jogadores do país e aprendi também com eles. Coordenar num país como a Ucrânia foi o maior desafio da minha vida.

 

 

Pelas suas mãos passaram certamente muitos jovens desejosos de singrarem no futebol. Viu por lá muita qualidade?

O Ucraniano tem muito talento. Precisam os clubes e treinadores de mudar a mentalidade e deixar os atletas expressarem a sua qualidade. Existe pouca tolerância ao erro e aí tentei mudar a mentalidade na cidade de Kharkiv.

 

 

Que balanço faz desta sua passagem pela Academia?

O balanço é muito positivo. Cresci enquanto treinador e Homem. A Ucrânia é um país com uma história muito diferente. Por lá conheci pessoas com histórias de vida incríveis. Saí muito mais preparado para outro desafio.

 

 

De regresso a Portugal vai querer com certeza continuar ligado ao futebol?

Eu amo o treino e o jogo e durante estes 20 anos desenvolvi uma ideia própria. Tenho o meu modelo de treino e de jogo e isso é um sonho que concretizei. Ter a minha própria "receita", não precisar de imitar ninguém. Aguardo e espero um projecto que venha de encontro às minhas ideias.

 

 


“Competição pura e dura é algo que me fascina”

 


Quais são os seus objectivos. Continuar ligado à formação ou abraçar um projecto a nível de seniores?

Eu não retiro nenhuma hipótese de trabalho mas os seniores e a competição pura e dura é algo que sempre me fascinou. A coordenação também é algo que amo e que me deixa confortável no meu trabalho. Estar ligado ao futebol e viver o dia-a-dia de um clube é algo que não se explica, sente-se.  Tenho desenvolvido nos últimos 20 anos a minha metodologia que é resultado de uma aprendizagem transversal que passou pelo Benfica-Seixal, EA Sporting e mais recentemente pelas Escolas Benfica e Benfica Internacional. A metodologia powered by Prof. Antonio Fonte Santa permitiu-me identificar pontos de convergência bem como “abrir ainda mais a minha mente“ para princípios e ideologias “out of the box”.

 

 

Quer acrescentar algo mais que considere importante?

Quero deixar um agradecimento ao meu agente Ricardo Derriça pela amizade e profissionalismo e ao Benfica Área Internacional por esta oportunidade de grande crescimento pessoal e profissional.

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here