1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» ALCOCHETENSE 2 PALMELENSE 1 - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

20 de janeiro de 2014

1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» ALCOCHETENSE 2 PALMELENSE 1

Palmelense ainda empatou de grande penalidade...


VITÓRIA COM “BIS” DE ALEX SERAFIM

Depois da derrota na última partida para o campeonato em casa do Amora, a formação alcochetana soube dar boa resposta no encontro onde recebeu o Palmelense no seu Estádio. Peca por escasso o “score” atingido no final dos noventas minutos. A formação de Palmela pode agradecer aos homens mais avançados da equipa do Alcochete o facto de não ter regressado a casa com uma derrota muito mais volumosa, tal as oportunidades criadas e desperdiçadas pelos alcochetenses.

Perante um quarteto defensivo palmelense muito macio e que não conseguia acertar com as marcações, o Alcochetense cedo começou a surgir com muito perigo junto á baliza de Gustavo, através de Ricardinho, Tiago Carvalho e Alex Serafim. O primeiro golo surge aos 6’ numa jogada de entendimento entre Ricardinho e Alex Serafim, com este a finalizar. Cinco minutos depois novamente Alex Serafim na cara de Gustavo falha incrivelmente o segundo golo. Até ao minuto 23’ altura em que o Palmelense tem o primeiro remate à baliza de Marco por intermédio de Sapo, com o número um Alcochetano a defender com segurança. Era o período de maior acerto da equipa de Palmela, respondendo a uma fase inicial quase demolidora do Alcochetense e é neste período que o golo da igualdade aparece através de uma grande penalidade apontada por Pombo, a castigar uma possível mão na bola de Cunha. Antes de chegar à igualdade o Palmelense através de Cortez aos 37’ já tinha obrigado Marco a grande intervenção. O intervalo chegou com uma igualdade, que castiga o Alcochetense pela ineficácia dos seus avançados e premeia o Palmelense que acreditou que poderia ir para o intervalo com outro resultado.

No regresso das cabines o técnico Alcochetano, operou a primeira alteração na equipa. Trocou Tiago Carvalho por Zé Pedro, que tinha iniciado a partida no banco e os segundos quarenta e cinco minutos foram de total domínio verde e branco. As ocasiões de golo foram surgindo em inúmeras ocasiões, no entanto muito perdulários os pupilos de Quim Serafim não conseguiam desfazer a igualdade. Após Ricardinho as 47’ obrigar Gustavo à defesa da tarde, Alex Serafim três minutos depois isola-se e vai bisar colocando a sua equipa na frente. A partida conforme se aproximava-se do fim mais difícil se tornava para as cores de Palmela e o resultado só não foi mais expressivo porque aos 53’ Alex Serafim, só Gustavo pela frente, permite a defesa deste. Seguindo este desacerto, Tiago Feiteira aos 61’ não fez melhor atirando para fora quando tinha a baliza ao seu dispor. A finalizar a oportunidade e a falha mais incrível de todo o jogo com Ricardo Dâmaso (81’) a transpor três adversários, guarda-redes incluído, rematando para a baliza deserta, viu o esférico percorrer a linha de golo entre os dois postes, incrível este lance. O final do encontro chegou com vitória justíssima para o Alcochetense, embora por números escassos. O Palmelense fez o que lhe foi possível frente a um adversário nitidamente superior.

As duas equipas queixam-se do trabalho de Pedro Almeida. O Alcochetense da grande penalidade assinalada e o Palmelense da ilegalidade do segundo golo (posição irregular de Alex Serafim). Tirando estas duas decisões em que damos o benefício da dúvida ao árbitro, o desempenho do trio de arbitragem situou-se na mediania, embora no capitulo disciplinar não tenho actuado com o mesmo critério.



A OPINIÃO DOS TREINADORES:



JOAQUIM SERAFIM (QUIM), treinador do Alcochetense:

“Criámos muitas ocasiões mas não finalizámos como devíamos”

”É verdade que andamos há alguns jogos a criar muitas oportunidades e não conseguimos finalizar. Hoje foi assim. Criámos muitas ocasiões mas não finalizámos como devíamos. Isto faz parte do futebol, não jogamos sozinhos e o Palmelense hoje complicou a nossa estratégia, batendo-se bem, num jogo onde poderíamos ter feito mais golos. O relvado como estava também complicou, mas o futebol é assim. O adversário, tirando as bolas paradas pouco perigo criou para a nossa baliza e chegou ao golo numa falta que só o árbitro viu. Mas, pronto, ele é soberano o que é que se pode fazer. Estou triste porque poderíamos ter marcado mais golos. Estou em crer que num piso melhor concretizaríamos mais golos, não tenho dúvidas nenhumas.”




FERNANDO ENCARNAÇÃO, treinador do Palmelense:

“Fomos derrotados com um golo fora-de-jogo”

“Penso que foi um jogo com uma primeira parte equilibrada. Na segunda parte o Alcochetense esteve melhor e teve mais iniciativa de jogo. Embora eu não goste de falar dos árbitros, acabo por sair daqui derrotado com um golo fora-de-jogo. Quero dar os parabéns à minha equipa porque os jogadores se bateram como leões e dar também os parabéns ao Alcochetense, porque mesmo sendo superior à minha equipa, sá acabou por por ganhar com um golo irregular. Mas, o futebol é mesmo assim. Vamos continuar a trabalhar e começar desde já a pensar já no próximo jogo, com o Arrentela”


PAIS CORREIA




FICHA DO JOGO

Jogo no Estádio António Almeida Correia “Foni”, em Alcochete
ÁRBITRO: Pedro Almeida (Núcleo de Almada / Seixal), auxiliado por João Domingos e Artur Fino

ALCOCHETENSE: Marco Nunes; Kiki, Piqueira, Venâncio, Alex Serafim; Ricardinho (Djão, 66’), Dâmaso, Portela; Tiago Feiteira (Queijinho, 72’), Cunha e Tiago Carvalho (Zé Pedro, 45’).
Suplentes não utilizados: Hugo Pinto, Óscar, Gil Costa e Martinho
TREINADOR: Joaquim Serafim (Quim)

PALMELENSE: Gustavo; Pedrinho (Fabinho, 74’), Pombo, Samuel, Paulo Sousa; Grilo (Diogo, 74’), Toninho, Cortez; Nelson, Rodrigues e Sapo (Rocha, 65’).
Suplentes não utilizados: Neves, Jones, Humberto e Magoito
TREINADOR: Eduardo Machado

Ao intervalo: 1-1
Marcadores: 0-1, Alex Serafim (6’); 1-1, Pombo (40’) gp; 2-1, Alex Serafim (50’).
Disciplina: cartão amarelo para Pedrinho (33’); Cortez (35’); Cunha (40’), Alex Serafim (77’); Kiki (81’); Samuel (81’).

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here