COSTA DE CAPARICA»» Dois anos depois regressa à 1.ª Divisão

Nuno Ferreira realça a competitividade existente na fase final…

“JÁ PASSEI POR MUITOS CAMPEONATOS MAS NÃO ME RECORDO DE NENHUM ASSIM”


"À entrada para este jogo estávamos totalmente consciente de que seria efectivamente uma final a disputar em 90 minutos onde apenas a vitória era importante.


Não valia a pena fazer grandes contas, mesmo sabendo que o empate poderia ser suficiente, tínhamos passado as duas últimas semanas a fazer contas de cabeça e a contar com o trabalho de outros para poder sorrir. Esta semana, tínhamos que ganhar!

Entrámos muito bem em campo com qualidade na posse de bola, em consonância com aquilo que fizemos ao longo do ano. Ataque organizado, paciente e de qualidade. Entrámos por cima do jogo e chegámos ao golo perto dos 24' numa jogada brilhante, finalizada ao segundo poste. Até ao intervalo houve mais uma ou duas oportunidades de parte a parte, mas a vantagem era inteiramente merecida, não por o Almada não estar bem mas por nós termos estado muito bem. 

Na segunda parte procurámos manter o sentido do jogo mas o Almada naturalmente cresceu e começou à procura de mais. Chegou com maior força à nossa baliza e poderia em duas ou três oportunidades empatar o jogo. E, tendo em conta isso, optámos a partir dos 60 minutos por um jogo mais rápido nos corredores e um posicionamento mais de equilíbrio no sector intermédio. Fomos conseguindo conter as investidas do Almada ao mesmo tempo que íamos criando oportunidades de golo na baliza do nosso adversário.


Apenas um cartão amarelo

Penso que a nível geral foi um jogo muito bem disputado. Ambas as equipas fizeram por ganhá-lo. Ambas foram dignas e ambas mereceram chegar ao final com hipótese de subir de divisão. Se fomos melhores? Humildemente, penso que sim. Soubemos atacar e soubemos defender quando foi preciso, foi um jogo de enormes emoções.

Em relação à equipa de arbitragem, deixo os meus naturais parabéns. Quando uma final disputada entre dois eternos rivais, com perto de 2000 pessoas nas bancadas termina com um cartão amarelo, penso que está tudo dito. É sem dúvida a tarefa mais difícil num jogo e este foi muito bem orientado.​

Reforcei a semana passada aquilo que tinha dito à sensivelmente um mês: "suba quem subir, será bem entregue a subida!".​ Agora que sorriu para nós reforço o que tenho dito. 


Excelente campeonato

Tenho 31 anos, já passei por muitos campeonatos, muitos torneios, muitas fases finais e não me recordo de algo assim. Cinco equipas (com o máximo respeito pelo Santo André que tão bem nos venceu há duas semanas atrás!) ao longo de 2 meses a disputarem o acesso à primeira divisão. Foi fantástico, isto credibiliza ainda mais o trabalho que foi feito e a nossa subida.​
Aproveito o momento para enviar um grande abraço ao Olívio Cordeiro, ao Tiago Correia e ao Custódio Galveias por tão bem terem dirigido as suas equipas. Um forte abraço ao Carlos Ribeiro por ter sido claramente a melhor equipa deste campeonato, o Comércio merece estar para onde vai. E ao Jorge Coelho pela humildade em cada jogo que disputámos. 

Foi um excelente campeonato, tenho muito orgulho em ter feito parte dele. No final, penso que subiram as equipas que mais fizeram por isso ao longo da primeira e segunda fase, portanto justas estas duas subidas em minha análise.


Duas mil pessoas viram um jogo

Não posso terminar sem elogiar a massa associativa dos Pescadores. Toda uma terra se uniu em prol de um grupo de homens que tudo fez para honrar o nome dessa mesma terra. A Costa é uma terra maravilhosa que merece e muito ter um representante no melhor campeonato do distrito. Foi fantástico o que se viveu na Costa de Caparica na passada quinta-feira. 

Agora não há tempo para pausas, há que preparar já a próxima época e depois sim aproveitarmos as merecidas férias. Ao José Pina, muito, muito, muito obrigado pelo acompanhamento de sempre”.


Share on Google Plus