ZAMBUJALENSE»» Treinador fala da derrota em Corroios - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

18 de junho de 2019

ZAMBUJALENSE»» Treinador fala da derrota em Corroios


Rodrigo Silva considera o resultado enganador… 

“SENSAÇÃO DE INJUSTIÇA MEXEU COM O PSICOLÓGICO DOS JOGADORES”

“Este foi um jogo muito difícil de preparar, apenas com 14 jogadores disponíveis, na sequência da derrota com a Quinta do Conde (castigos, lesões e indisponibilidade profissional) e animicamente a equipa não se encontrava nas melhores condições. Queríamos ganhar, para deitar abaixo a série vitoriosa do Corroios, que se encontra a fazer um excelente complementar, e com toda a justiça, vai discutir a sua vitória com os Brejos de Azeitão.

Nós até começámos melhor, com uma oportunidade na marcação de um canto logo aos 3 minutos, onde podíamos, mais uma vez, ter começado com um golo, que nos permitisse ir para uma exibição tranquila. Mérito do GR do Corroios que instintivamente fez duas excelentes defesas na mesma jogada.
O Corroios através de um jogo rápido e dinâmico, conseguiu nos minutos iniciais ganhar supremacia no jogo e ter mais posse de bola. A nossa equipa algo lenta e com pouca reacção a deixar algum espaço para o Corroios jogar no nosso meio campo. Através de uma bola, como se costuma dizer na gíria, morta (na sequência de um lançamento lateral do lado esquerdo com uma bola longa para o nosso corredor direito), o extremo direito do Corroios consegue cruzar e a nossa defesa apática, deixa-se antecipar pelo avançado que sem oposição e no coração da área faz um remate a meio da nossa baliza e faz um 1-0.


Antes do golo, através de um livre directo o nosso GR fez a única defesa da 1.ª parte. Após o golo sofrido, começámos a condicionar melhor a primeira fase de construção do Corroios, e a espaços começámos a jogar mais no meio campo adversário, mas não tivemos mais nenhuma oportunidade clara de golo. Fica por marcar, na nossa opinião, um penalti sobre o Rodrigo Pinto, que dentro da área, ganha em antecipação a bola à defesa do Corroios e é tocado para grande penalidade. Faltou alguma coragem à equipa de arbitragem assinalar a falta. Mérito do Corroios que sai em vantagem para o intervalo. 

Alterações ao intervalo

Na 2.ª parte, fizemos duas alterações, e passámos a jogar em 4-4-2 procurando pressionar o adversário mais em cima e crescendo as nossas linhas, que até então estavam um pouco mais baixas do pretendíamos. Mas logo a abrir, a segunda parte, sofremos o 2-0, onde mais uma vez numa bola que não oferecia qualquer perigo para a nossa baliza, facilitámos e oferecemos o golo de bandeja ao adversário, que sem oposição encosta facilmente para o golo. No entanto, o nosso GR é condicionado na disputa de bola por um jogador que no início da jogada se encontra fora de jogo, que mesmo sem se fazendo ao lance, impede o nosso GR de saltar à bola.


Respondemos com a última substituição aos 59', lançando Gonçalo Borges, para colocarmos mais velocidade no último terço, e na primeira intervenção no jogo é carregado pelas costas em falta dentro da área e mais uma vez, faltou coragem à equipa de arbitragem assinalar uma falta clara que nos podia permitir relançar no jogo.

Após isso, dispusemos de duas oportunidades claras para reduzir através do Gonçalo Santos, mas infelizmente para nós o GR do Corroios, mais uma vez saiu por cima evitando o nosso golo. O Corroios sempre com mais intensidade e critério que nós, foi controlando o jogo e mais no nosso meio-campo, mas sem criar uma oportunidade clara de golo. 

Já acabar o jogo, através de um cruzamento, sofremos o terceiro golo. Um cruzamento rasteiro, feito em esforço pelo lado direito, o nosso GR confia no golpe de vista, e no momento da queda, a bola bate no poste e ao sair para fora, bate nas costas do nosso GR entrando na baliza. Assim é a Lei de Murphy, que diz "Qualquer coisa que possa ocorrer mal, ocorrerá mal, no pior momento possível".
O Corroios é um justo vencedor, fez por merecer a sua vitória e isso não está em causa. Mas acho que, mais pelas oportunidade que tivemos, e não tanto pela qualidade de jogo (ao contrário do que tem sido feito até aqui), podíamos ter tido um resultado mais equilibrado. 



“Já tivemos arbitragens mais positivas”

Uma nota para a equipa de arbitragem, que ao contrário dos últimos jogos onde tivemos arbitragens bastantes positivas, hoje não correu tão bem, mas uma equipa que perde 3-0 nunca se pode desculpar por isso. No entanto, existem momentos que nos podem relançar no jogo, mas infelizmente assim não foi e neste jogo esses lances acabaram por fazer alguma diferença. Se animicamente não estávamos a 100%, através dessa sensação de injustiça acabou por mexer com o psicológico dos jogadores.

Para os meus jogadores, fica a resposta positiva de alguns elementos menos utilizados até ao momento e a ideia que na próxima época se queremos mais do que esta temos que trabalhar muito e melhor! Já crescemos muito, já melhorámos muitos aspectos, mas ainda temos uma longa caminhada pela frente”.

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here