1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» AMORA 1 B. MAR DE ALMADA 0

Freire foi o autor do golo da vitória

Amora vence Beira Mar de Almada com golo solitário marcado na primeira parte

Num jogo que não foi primoroso em termos técnicos, o Amora derrotou o Beira Mar de Almada por 1-0 com um golo marcado por Freire, aos 28 minutos, na sequência de um pontapé de canto. Uma vitória magra, sem dúvida, mas inteiramente merecida porque foi a equipa que mais fez para ganhar durante o encontro. O Beira Mar tentou dificultar e teve um bom desempenho mas não conseguiu colocar em prática a sua principal arma [o contra-ataque] saindo derrotado pela diferença mínima.

O Amora começou por tomar conta do jogo obrigando o Beira Mar a actuar mais sobre a sua zona defensiva para depois tentar explorar a velocidade dos seus jogadores nas transições ofensivas.

Por força das circunstâncias, o Amora mostrava-se mais pressionante em termos ofensivos mas não criava grandes oportunidades de golo porque se tratava mais de um domínio consentido que outra coisa. E, o que é certo é que a primeira grande oportunidade surgiu por parte do Beira Mar de Almada com Kanu aos 20 minutos a atirar com muito perigo ao lado da baliza de Pombo, quando se encontrava em excelente posição.

Aos 27 minutos, após um cruzamento efectuado do lado direito do seu ataque Filipe rematou forte sendo a bola desviada para canto por Gonçalo e na sequência desse canto acabou por nascer o golo que daria a vitória do Amora. O guarda-redes, Ricardo, rechaçou a bola, tendo esta sobrado para Freire que na recarga não perdoou. A toada do jogo não se alterou e o Amora voltou a colocar em perigo a baliza adversária quando aos 40 minutos Maside, num cruzamento da direita, levou a bola a bater na barra.

Na segunda parte, tudo continuou na mesma. O Amora continuava a controlar o jogo mas não conseguia rasgar a defensiva almadense que se batia com unhas e dentes para anular as investidas dos jogadores adversários. O espectáculo não era nada famoso e a emoção era praticamente nula porque ninguém arriscava demasiado. Porém, aos 74 minutos, a equipa almadense esteve quase a chegar ao golo da igualdade mas na hora da verdade Paulo Pereira acabou por falhar a oportunidade e pouco tempo depois aconteceu o lance mais polémico do encontro com o árbitro a mostrar cartão amarelo a Lorete por simulação quando na verdade este terá sido derrubado em plena grande área almadense. Nesta altura, o banco do Amora insurgiu-se contra a decisão e por indicação do auxiliar, o árbitro ordenou a expulsão do treinador adjunto, Carlos Rebocho, este não compreendeu a razão, protestou, e afinal quem acabou por ser expulso foi o trenador principal, Pedro Amora.

O jogo tornou mais quezilento e já em período de compensação Ivo acabou por ser expulso por acumulação de amarelos num lance em que nada fez para merecer tal castigo. Por aquilo que já se disse, será fácil concluir que o trabalho da equipa de arbitragem não foi nada famoso, antes pelo contrário, deixou muito a desejar. Opinião, de resto também partilhada pelos treinadores das duas equipas.


A OPINIÃO DOS TREINADORES:


PEDRO AMORA, treinador do Amora:

“Não queremos ser beneficiados mas
também não queremos ser prejudicados”

A vitória foi magra mas inteiramente justa porque embora não tendo grandes oportunidades nem fazendo um grande jogo, ou um jogo brilhante, conseguimos controlar o jogo inteiro. Eles foram fazendo alguns contra-ataques mas pouco nos incomodaram. Não há muito mais para dizer. De qualquer forma, quero deixar aqui um recado; nós não somos candidatos à subida. Por isso, as outras equipas que façam o seu trabalho, que nós fazemos o nosso. Vamos entrar em campo todas a semanas para ganhar mas não estamos a pensar no título. No que respeita à arbitragem, não se entende o critério na amostragem dos amarelos porque ao intervalo estávamos a ganhar por 1-0 e tínhamos quatro ou cinco cartões amarelos enquanto a equipa adversária que passou grande parte do tempo a defender foi para o intervalo sem qualquer cartão. Na segunda parte mais do mesmo. Foi uma arbitragem horrível. Penso que nós temos grandes razões de queixa e por isso deixo o recado que não somos candidatos à subida, que nos deixem fazer os nossos jogos e que os critérios sejam iguais para as duas equipas. Não queremos ser beneficiados mas também não queremos ser prejudicados. Os meus jogadores levam amarelos por tudo e por nada e à mínima coisa vão para a rau. A AF Setúbal tem que pensar um pouco em relação às pessoas que nomeia para os jogos do Amora porque todas as semanas é mais do mesmo. Em relação à minha expulsão nem o próprio árbitro sabia quem havia de expulsar, primeiro era um depois era outro. O mau da fita acabei por ser eu”.




JOÃO LUÍS, treinador do Beira Mar de Almada:

“O Amora deve ter as suas queixas
mas nós também temos as nossas”

Foi um jogo complicado, num campo difícil, contra uma boa equipa. Nós viemos preparados mas o vento dificultou um bocadinho a nossa tarefa. O jogo foi disputado de forma intensa e os jogadores tentaram ser competentes mas penso que foi mal jogado de parte a parte. O Amora acabou por ganhar com um golo marcado num lance de bola parada. Nós tentámos reagir, tivemos dois ou três lances em que podíamos ter marcado, mas falhámos. E, depois, em minha opinião tivemos uma má arbitragem. Este foi o árbitro que nos apitou em Grândola e que fez com que perdêssemos dois pontos e quatro jogadores naquilo que foi uma roubalheira tremenda e, hoje, condicionou outra vez o jogo todo. É evidente que o Amora deve ter as suas queixas mas nós também temos as nossas. Eles acabaram por ganhar, controlaram o tempo, fizeram o que quiseram e o jogo teve somente 20 minutos na segunda parte. Isto vale o que vale porque o Amora é que está lá em cima. Nós somos o Beira Mar. O Amora é que é bom e o futebol não se faz dentro do campo mas sim à volta destas coisas todas. O Beira Mar está a lutar para não descer mas convém que percebam que quem trabalha no Beira Mar não é propriamente uma pessoa inculta e que já está farto de ser sempre o mesmo a ser entalado. De resto, vamos continuar a trabalhar. Só tenho que dar os parabéns à minha equipa por aquilo que fez e os parabéns ao Amora pela vitória”.


FICHA DO JOGO

Jogo no Estádio da Medideira, em Amora
ÁRBITRO: Tiago Marques (Núcleo de Setúbal), auxiliado por Miguel Martins e Tiago Madeira

AMORA: Pombo; Lacão, David Martins, Freire, Jandir; Maside, Rigor (Pedro Pereira, 45+1’), Hugo Graça; Joca (Alex, 90+2’), David Rodrigues e Filipe (Lorete, 70’).
Suplentes não utilizados: Fábio Paulo, Tiago, Domingos e Park
TREINADOR: Pedro Amora

BEIRA MAR DE ALMADA: Ricardo; Jonas, Gonçalo, Louro, Hadil (Ricardo Sobral, 62’); Paulo Pereira, Kanu, Luís Gonçalves, Antunes (Fábio, 45+2’); José Vitória (João Oliveira, 72’) e Ivo.
Suplentes não utilizados: Ricardo Santos, D. Gonçalves, Paulo Pinto e Sérgio
TREINADOR: João Luís

Ao intervalo: 1-0
Marcadores: 1-0, Freire (28’)
Disciplina: cartão amarelo para ão amarelo para Rigor (24’), Freire (28’), Joca (30’), Jandir (41’), Maside (45+2’), Kanu (54’), Fábio (68’), Ivo (76 e 90+4’), Lorete (77’), Pedro Pereira (85’), Jonas (88’). Cartão vermelho por acumulação para Ivo (90+4’). Pedro Amora foi expulso aos 77 minutos.
Share on Google Plus