1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» ALCOCHETENSE 2 PESCADORES 0 - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

9 de fevereiro de 2014

1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» ALCOCHETENSE 2 PESCADORES 0

Golos surgiram apenas no segundo tempo

HERNÂNI FOI ADIANDO O GOLO DO ALCOCHETENSE...

Num relvado pesado e com condições atmosféricas complicadas, onde o vento muito forte se fez sentir durante todo o encontro, foi a equipa da casa a que melhor se adaptou à situação.

Apresentando-se desfalcada de alguns dos seus elementos a formação dos Pescadores, que no primeiro tempo contou com o vento a seu favor, pouco ou nenhum partido soube tirar desse factor. Por seu turno, o Alcochetense cedo tomou conta do jogo, surgindo com perigo junto da baliza de Hernâni que, muito atento, adiou o golo para a equipa da casa, através de excelentes intervenções. Ao minuto 8’, Djão, de cabeça, dá o primeiro sinal de perigo, um minuto depois grande intervenção do guarda-redes caparicano a uma “bomba” de Zé Pedro. A primeira e única ocasião de perigo dos Pescadores é dada por Telmo aos 12’ aproveitando uma desatenção da defesa alcochetana, valendo então Marco Nunes que negou o golo ao jogador adversário. Com o decorrer da partida acentuava-se o domínio da equipa da casa. O golo não surgia ora por inoperância dos jogadores alcochetanos (Cunha 40’) ou por uma tarde inspirada de Hernâni que com mais duas grandes intervenções (Ricardinho 17’ e Tiago Feiteira 48’) adiou o abrir do marcador ainda no primeiro tempo. O nulo com que se atingiu o intervalo era lisonjeiro para os Pescadores e castigava a falta de finalização dos alcochetanos.

O segundo tempo foi de total domínio do Alcochetense que, aproveitando o vento favorável, partiu para cima do seu adversário manietando-o no seu meio-campo, levando a que Marco Nunes fosse praticamente um mero espectador nos segundos quarenta e cinco minutos. O primeiro golo surge na sequência de um canto, onde Venâncio se limitou a empurrar o esférico para as redes de Hernâni. Depois surgiram duas alterações na equipa da casa. As entradas de Tiago Carvalho e Alex Serafim trouxeram uma maior dinâmica ao jogo do Alcochetense, que após o golo estava a entrar numa toada lenta, embora controlada. Daqui, até final do encontro, as três grandes ocasiões de golo tiveram a assinatura de Alex Serafim. Aos 68’ o jovem verde e branco obriga Hernâni a outra grande defesa, aos 75’ sofre uma grande penalidade (desperdiçada por Zé Pedro que rematou por cima do travessão) e finalmente aos 84’ obtém o segundo golo da sua equipa numa jogada individual, surgindo isolado não dando hipótese ao guardião Caparicano.

Vitória justa do Alcochetense, tal como reconheceu no fim do encontro o técnico dos Pescadores, perante uma equipa caparicana desfalcada de alguns jogadores que mais não fez porque encontrou um adversário que se adaptou melhor ao estado do relvado e soube aproveitar melhor as condições adversas do tempo.

Bom trabalho do trio de arbitragem tanto no capítulo técnico como no disciplinar. Bem no assinalar da grande penalidade. Mostrou o cartão amarelo por duas vezes, o que face ao estado do terreno de jogo, diz da extrema correcção do encontro.



REPORTAGEM


DJÃO, capitão do Alcochetense:

“O estado do relvado e o vento muito forte não ajudaram”

Foi um jogo muito complicado. O estado do relvado e o vento muito forte também não ajudaram, mas conseguimos os três pontos e isso é que importa porque era o que pretendíamos. Agora, temos de continuar com esta senda de vitórias para alcançarmos o primeiro lugar, que é o nosso grande objectivo. Vamos ter mais dois jogos em casa e, jogo a jogo, tentaremos ganhá-los porque em casa mandamos nós”.



PAULO CARDOSO, treinador dos Pescadores:

“Os meus jogadores mostraram uma grande dignidade”

Sabíamos que iriamos defrontar uma equipa que está a lutar pela subida de divisão. Tentámos ganhar superioridade na primeira parte aproveitando o vento a nosso favor mas isso não foi conseguido. Ainda fomos para o intervalo com zero-zero mas sentíamos que na segunda parte iriamos ter algumas dificuldades. Foi o que aconteceu. O vento dificultou-nos tanto nas acções defensivas como nos processos de construção de jogo e ao sofrermos o primeiro golo, numa bola parada, as coisas complicaram-se ainda mais. No entanto, quero dar os parabéns aos meus jogadores que mostraram uma grande dignidade. Também dar os parabéns ao Alcochetense que acabou por ser um justo vencedor.”

PAIS CORREIA



FICHA DO JOGO

Jogo no Campo António Almeida Correia “Foni”, em Alcochete
ÁRBITRO: André Pagaime (Núcleo do Pinhal Novo), auxiliado por João Martinho e José Viera

ALCOCHETENSE: Marco Nunes; Pedro Batista, Piqueira, Venâncio; Djão (Alex Serafim, 56’), Ricardinho (Tiago Carvalho, 56’), Zé Pedro, Portela; Tiago Feiteira, Cunha e Queijinho (Peter Caraballo, 79’).
Suplentes não utilizados: Miguel Brás, Óscar, Gil Costa e Marco Véstia
TREINADOR: Joaquim Serafim (Quim)

COSTA DE CAPARICA: Hernâni; Laranjeira, Conceição, Charles (Forby, 44’), Chico; Edu, Ião, Gelson (Mário Rui, 76’); Telmo, Rodrigo e Dani (Bruno Almeida, 79’).
Suplentes não utilizados: Cascalho, Ricardo, Ginolá e Igor
TREINADOR: Paulo Cardoso

Ao intervalo: 0-0
Marcadores: 1-0, Venâncio (55’); 2-0, Alex Serafim (84’)
Disciplina: cartão amarelo para Charles (27’) e Peter Caraballo (83’).

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here