TRAFARIA»» Gonçalo Sousa analisa época desportiva

Equipa terminou em 7.º lugar com 15 pontos…
“O BALANÇO É NEGATIVO PORQUE NÃO ATINGIMOS OS OBJECTIVOS PROPOSTOS”

O Trafaria, esta época regressado ao futebol sénior, ficou muito aquém daquilo que era desejado no Campeonato Distrital da 2.ª Divisão. O 7.º lugar acabou por ser uma desilusão e, por essa razão, o clube entendeu dar por terminada a época.
Gonçalo Sousa, mais conhecido no mundo de futebol por “Gazza”, não foi feliz no ano de estreia como treinador principal de uma equipa de futebol sénior e em declarações ao nosso jornal não escondeu a sua desilusão.   
“O balanço acaba por ser negativo porque não atingimos os objectivos propostos no início da época. Este foi o ano zero para todos nós e a equipa era toda nova mas, mesmo assim, tínhamos equipa para fazer mais e melhor. Algumas circunstâncias que aconteceram durante a época, umas vezes por falta de sorte e outras por falta de competência, levaram-nos a fazer uma pontuação muito fraca e a não conseguir os objectivos. No meu caso pessoal valeu por ter sido o primeiro ano de treinador. Espero que os jogadores tenham aprendido com alguns erros que cometeram e espero também que todos possamos ter crescido com esta experiência no Trafaria”.
Sobre os objectivos propostos pela direcção, Gonçalo Sousa adiantou que aceitou o desafio porque “pensava que iria ter uma equipa à minha imagem, com jogadores que conhecia. Infelizmente, esses jogadores tiveram outras propostas e o grupo acabou por ser construído com base em conhecimentos de jogadores que já tinha e por sugestão de outros jogadores que não conhecíamos. Se tivéssemos arrancado com a pré-época um pouco mais cedo talvez as coisas tivessem corrido melhor. O objectivo traçado no início da época consistia na passagem à segunda fase da competição e se possível lutar pela subida à 1.ª Divisão Distrital, o lugar onde o Trafaria merece estar”.
Em relação à sua estreia como treinador Gonçalo Sousa diz que “deu para crescer e para aprender”. Nesse aspecto o técnico considera que foi positivo mas na vertente competitiva nem por isso. Quinze pontos, é de facto muito pouco para aquilo que tínhamos pensado inicialmente. De qualquer forma não tenho dúvidas que saio daqui muito mais treinador do que quando comecei”.

Share on Google Plus