GRANDOLENSE»» Guarda-redes defendeu quatro penaltis - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

25 de fevereiro de 2020

GRANDOLENSE»» Guarda-redes defendeu quatro penaltis

No jogo com o Águas de Moura…

JOÃO CARRADINHA FOI O GRANDE RESPONSÁVEL PELA PASSAGEM AOS QUARTOS-DE-FINAL DA TAÇA AF SETÚBAL


Treinador não acredita muito na sorte nem na lotaria mas sim no trabalho, na competência e na preparação. E considera que o seu guarda-redes teve uma tarde memorável 

Vítor Pereira, treinador da equipa sénior
O Grandolense está apurado para os quartos-de-final da Taça AF Setúbal – “Joaquim José Sousa Marques” depois de ter vencido o Águas de Moura num jogo disputado de forma bastante renhida em que o guarda-redes Carradinha, de 27 anos, esteve em plano de grande evidência ao defender quatro grandes penalidades, no desempate da eliminatória.

Depois de 90 minutos sem golos, a equipa de Grândola adiantou-se no marcador logo aos três minutos da primeira parte do prolongamento mas o Águas de Moura chegou à igualdade mesmo sobre os 120 minutos, facto que obrigou ao desempate por penaltis que acabou por apurar o Grandolense não só porque foi mais eficaz mas também porque o seu guarda-redes se exibiu ao mais alto nível.


Na conversa que tivemos com o treinador do Grandolense, Vítor Pereira, este começou por “felicitar as duas equipas que estiveram em campo, sobretudo o Águas de Moura por ser da 2.ª Divisão e pelo futebol de qualidade que apresentou. Tem uma boa equipa, jogadores de qualidade e está muito bem orientada. Como nos competia e como era nosso dever, fomos nós que impusemos a intensidade no jogo, tivemos mais posse de bola, criámos mais situações e poderíamos ter resolvido a questão ainda nos 90 minutos. Não conseguimos e o jogo foi para prolongamento que acaba por ser um justo prémio para a entrega dos jogadores do Águas de Moura”.

João Carradinha
E prosseguindo adiantou: “Conseguimos marcar logo no início do prolongamento e ainda tivemos mais duas ou três ocasiões para decidir a eliminatória. Não conseguimos e já muito perto dos 120 minutos, no último lance do jogo, o Águas de Moura fez o empate. Seguiram-se as grandes penalidades, situação que tínhamos preparado durante a semana e acabámos por ser compensados pela competência da equipa e em especial do Carradinha que teve uma tarde memorável ao defender quatro grandes penalidades, sendo três delas de grande nível”.

Quando as eliminatórias são decididas desta forma fala-se muito em sorte e em lotaria mas neste caso não foi bem assim, dir-se-ia que foi pela competência do seu guarda-redes porque o que ele fez não está ao alcance de qualquer um.


“Não acredito muito na sorte nem em lotaria, acredito muito mais no trabalho, na competência e na preparação. O Carradinha não jogava há algum tempo mas tinha vindo a trabalhar bem. Fico feliz por ele e também pela equipa ter sido compensada pelo trabalho que tem vido a desenvolver. O Águas de Moura foi uma equipa que valorizou a nossa passagem aos quartos-de-final”, salientou o treinador do Grandolense.

Sobre o adversário ideal para a próximo eliminatória, Vítor Pereira não tem preferências.  “Todas as equipa que chegaram até aqui têm como objectivo marcar presença na final e nós não fugimos à regra. Vamos esperar para ver os adversários que nos tocam mas, uma coisa é certa, são todos de qualidade. Como nós já conquistámos o troféu não nos importávamos nada de repetir a façanha. Mas, para já vamos pensar em chegar às meias-finais”.


Post Bottom Ad

Responsive Ads Here