1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» C. INDÚSTRIA 1 ALFARIM 0 - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

7 de dezembro de 2014

1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» C. INDÚSTRIA 1 ALFARIM 0

Alfarim com quatro expulsões critica fortemente a equipa de arbitragem

Golo da vitória marcado de penalti na compensação envolto de polémica

O Comércio e Indústria venceu o Alfarim por uma bola a zero com um golo marcado por Samuel de penalti, aos 90+6 minutos que gerou, e continua a gerar, muita polémica pela forma como aconteceu.

Assinalada a grande penalidade, Daniel Baião chamado a cobrar atirou mas o guarda-redes do Alfarim [Sérgio] fez uma grande defesa e evitou o golo. Só que o lance foi mandado repetir por indicação do árbitro auxiliar provavelmente pelo facto do guarda-redes se ter mexido antes de a bola ter partido.

Na repetição, os setubalenses que optaram por Samuel, fizeram o golo da vitória perante uma chuva de protestos por parte das gentes de Alfarim que contestaram fortemente o trabalho da equipa de arbitragem não só por este facto mas também por outros ocorridos no decorrer da partida que foram objecto de análise por parte do treinador José Carlos Oliveira.

O jogo decorreu de forma bastante equilibrada com algumas situações de golo de parte a parte e quando tudo fazia prever que chegasse ao fim igualado aconteceu o lance acima descrito que deu o triunfo aos sadinos. De salientar, entretanto, que durante a partida foram feitas quatro expulsões e todas elas para a equipa de Alfarim que terminou assim o jogo com nove jogadores em campo, sem massagista e sem guarda-redes suplente que foi expulso no banco.

Na tabela classificativa, Comércio e Indústria e Alfarim repartem o 10.º lugar com 11 pontos, mas o Alfarim tem um jogo em atraso.

Na próxima jornada o Comércio e Indústria volta a jogar no Campo da Bela Vista onde recebe o Olímpico do Montijo e o Alfarim recebe o Monte de Caparica, nas suas novas instalações [bancada e balneários] que foram inauguradas na passada segunda-feira, dia 8 de Dezembro.


A OPINIÃO DOS TREINADORES

CARLOS RIBEIRO, treinador do C. Indústria:

“Não foi a arbitragem que esteve contra eles mas sim a estrela que esteve do nosso lado”

“Foi uma vitória saborosa obtida contra um adversário bem organizado e bem dirigido. Aliás, defrontaram-se os dois treinadores mais antigos deste campeonato. Nós tínhamos um conhecimento muito bom da equipa deles, uma equipa que faz boa circulação de bola e que joga à procura do erro do adversário, foi um jogo bastante equilibrado com duas ou três boas oportunidades para as duas equipas na primeira parte. Depois tornou-se mais desequilibrado na parte final porque eles tiveram jogadores expulsos, por terem falado com o árbitro. Na compensação surgiu então o penalti que toda a gente viu. As pessoas ficaram a contestar a decisão do árbitro em ter mandado repetir o penalti porque o guarda-redes se havia mexido. A estrelinha esteve do nosso lado. Eles queixam-se da arbitragem mas nós não temos razões para isso. Acho que não foi a arbitragem que esteve contra eles mas sim a estrela que esteve do nosso lado. Também temos perdido muitos pontos na parte final dos jogos. Já há muito que esperávamos uma vitória assim para nos dar mais confiança em relação ao futuro. Por aquilo que temos feito no campeonato merecíamos estar numa posição em termos classificativos”.


JOSÉ CARLOS OLIVEIRA, treinador do Alfarim:

“Estamos revoltados com esta equipa de arbitragem”

“Não querendo colocar em causa o trabalho do Comércio e Indústria nem das outras equipas, sou obrigado a dizer que começa a ser demais para as pessoas de Alfarim [onde se incluem adeptos, treinadores, jogadores e dirigentes], o que se está a passar. Este senhor, é o terceiro jogo que nos apita esta época, com cinco expulsões. A única expulsão que temos sem ter sido feita por ele foi na jornada anterior e aconteceu depois do jogo ter terminado quando um jogador nosso estava a lamentar o resultado com um companheiro e o árbitro interpretou que as palavras foram dirigidas a si. Portanto, o Alfarim não tem de forma nenhuma uma equipa indisciplinada. Porque é que isto só acontece com este árbitro. No Barreiro, para o campeonato, só não ganhámos porque sofremos um golo aos 90+4’, depois de uma expulsão ridícula. E, para a Taça, com este senhor a apitar, fomos lá ganhar, mas não deixámos também de ter um jogador expulso por uma falta em que o cartão amarelo já era demais. A nossa revolta é grande e a vontade que dá é desistir, mas nem eu nem o clube somos de desistir. Para jogar contra todas estas adversidades temos que ter um plantel enormíssimo e nós não temos em termos de quantidade mas temos em maturidade, por isso vão ter que contar com o Alfarim até ao fim. Se já estávamos a incomodar alguém ou alguma coisa não sabemos mas o que é certo, é que este senhor nos prejudicou imenso neste jogo porque teve uma grande dualidade de critérios”.

Dualidade de critérios

“Na primeira parte há dois lances idênticos de dois jogadores que escorregam e caem em cima da bola: no nosso caso foi falta contra nós mas no caso deles, como aconteceu dentro da área já não foi. Depois há também um jogador nosso que vai em despique com outro [ombro a ombro] e caiu, resultado, o nosso jogador leva cartão amarelo e acaba por ser expulso porque no entender do árbitro estava a tentar sacar um amareli ao adversário; levámos também dois cartões amarelos com faltas marcadas a nosso favor. Enfim, com árbitros destes não vale a pena andar no futebol porque se trata de uma pessoa sem categoria que nem sequer devia apitar miúdos porque não tem pedagogia e durante os jogos provoca as pessoas como aconteceu neste jogo ao vir anotar os cartões para junto do banco para ver se alguém diz alguma coisa, temos que ter uns fígados enormes para suportar isto. Se fosse no Inatel este jogo não tinha chegado ao fim. Com atitudes destas, começamos a perceber porque é que alguns árbitros são agredidos. Mas, neste caso, não é só o árbitro mas sim toda a equipa de arbitragem. Na primeira parte é arrancado um fora de jogo que não existe pelo mesmo auxiliar que mandou repetir a grande penalidade. Ando no Distrital há muitos anos e raramente falo dos árbitros mas neste caso não posso ficar calado porque isto está a atingir uma expressão com a qual não posso pactuar. Sinto que tenho uma boa equipa e que até já fizemos coisas que outros não fizeram como foi o caso de termos ganho em Alcochete e no Barreiro, mas assim tudo se torna muito complicado. Estou revoltado com a situação mas podem ter a certeza que isto só vem dar mais força ao Alfarim. Não gostava de proferir estas palavras porque são dirigidas a pessoas que, tal como eu, andam no futebol mas não posso ficar calado perante tantas injustiças. Quanto ao jogo, foi equilibrado, creio que o empate seria o desfecho mais justo e por isso entendo que fomos espoliados de um ponto…“.


FICHA DO JOGO

Jogo no Campo da Bela Vista, em Setúbal
ÁRBITRO: Ricardo Pinto (Núcleo do Barreiro)

COM. INDÚSTRIA: Bonifácio; Cacela (Álvaro, 85), Samuel, Dany, Madruga; Paulo Vinícius, Daniel Baião, Diogo; Rui Faria (Gonçalo, 65’), Luís Costa e Rafa.
TREINADOR: Carlos Ribeiro

ALFARIM: Sérgio; Tiago Veríssimo, Tiago Dias, Elson, António Pires; Dinis (Marçal, 75’), Bolacha, Luís Carlos, Tiago Carvalho (Adrien, 75’); Mantorras (João António, 80’) e Fábio Nunes.
TREINADOR: José Carlos Oliveira


Ao intervalo: 0-0
Marcadores: 1-0, Samuel (90+6’) gp
Disciplina: Foram expulsos Fábio Nunes (63’), Luís Carlos (80’), Dani (no banco, 90+3’) e massagista do Alfarim (85’).



Post Bottom Ad

Responsive Ads Here